Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Lavínia Rabech da Rosa (Pedofilia)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 15/11/2008

Localização: Curitiba (PR)

Data de Falecimento: 15/11/2008

Sexo: Feminino Feminino
 

Lavínia Rabech da Rosa, 9 anos, foi vítima de pedofilia e enforcada com o cordão de um tênis, Curitiba - PR, em 15/11/2008.

A mãe fumando crack no banheiro, o padrasto bêbado na sala e o maníaco, o andarilho, Mariano Torres Ramos Martins, 45 anos, no quarto, matando Lavínia Rabech da Rosa, de apenas 9 anos, que dormia na cama de casal com a irmã mais nova.

Esta foi a cena descrita por Mariano, quando interrogado pelo delegado Rogério Martin de Castro, do 12.º Distrito Policial (Santa Felicidade). Ele confessou ter tentado abusar da garotinha e tê-la matado enforcada com um cordão de sapato.

O delegado reuniu a imprensa para informar que o caso estava resolvido. Mas assegurou que as investigações continuam para a apuração de mais detalhes.

“As suspeitas e os depoimentos indicavam que Mariano era o culpado, mas durante as investigações, descobriu-se que a mãe era usuária de drogas e o acusado freqüentava a casa da família, diferente do que havia sido informado no primeiro momento”, explicou. Ao denunciar o assassinato da filha, Maura Bela Rosa disse que o homicida havia invadido a casa, pulando uma janela.

Em sua versão, o acusado contou que ele e Maura estavam fumando crack juntos, e o padrasto da menina, Mário Luiz de Castro, não estava na casa. “Ele disse que cada um havia consumido de quatro ou cinco pedras de crack. Como a droga havia acabado, Maura saiu para comprar mais”, disse o delegado.

Mariano revelou ainda que ouviu o padrasto das crianças chegar em casa, bêbado, e se acomodar na sala para dormir. “Ele esperou que Mário dormisse para molestar Lavínia Rabech da Rosa. Ela acordou chorando, e ele a enforcou com o cordão do tênis, para que ela não fizesse barulho”, completou o delegado.

O criminoso ainda tentou fugir, mas como viu movimento de pessoas na rua, que poderiam vê-lo deixando o local, voltou para casa e começou a beber. Depois, dormiu embaixo da cama.

Ao retornar com mais drogas, Maura se trancou no banheiro para consumi-las. Só mais tarde foi ao quarto e viu Lavínia Rabech da Rosa desacordada. Ela começou a gritar e o acusado saiu correndo.

A mulher ainda o perseguiu com uma faca na mão, mas atendendo a conselho do amásio, que tinha acordado com os gritos, parou em um telefone público e chamou a polícia. Mariano foi apanhado por vizinhos da vítima, que o espancaram até que a polícia chegasse.

Mauro está preso no Centro de Triagem de Piraquara. Era foragido da Colônia Penal Agrícola e tinha mandado de prisão expedido por porte ilegal de arma e por dois roubos.

DNA confirma que andarilho abusou sexualmente de Lavínia Rabech da Rosa ainda não se sabe se ele chegou a consumar o estupro. O laudo do exame de conjunção carnal deve ficar pronto em até 20 dias e será emitido pelo Instituto Médico-Legal.

Parentes da menina relatam que a própria Lavínia Rabech da Rosa costumava entregar comida ao andarilho, mas que ele nunca havia entrado na casa. A menina tinha marcas de estrangulamento e cortes na nuca.

O delegado Rogério de Castro indiciou o andarilho e amigo da família Mariano Torres Ramos Martins por homicídio e atentado violento ao pudor. A mãe de Lavínia Rabech da Rosa, Maura da Rosa, passa a responder por abandono de incapaz. A irmã de cinco anos de Lavínia Rabech da Rosa foi encaminhada a um abrigo, após a mãe tirar a jovem da tia que cuidava da criança.

Lavínia Rabech da Rosa é mais uma vítima da violência e criminalidade no Brasil.


O delegado Rogério de Castro indiciou o andarilho e amigo da família Mariano Torres Ramos Martins por homicídio e atentado violento ao pudor.

 

O principal suspeito de ter matado a menina Lavínia Rabech da Rosa, 9 anos, no bairro Atuba, em Curitiba, confessou o crime. Mariano Torres Ramos Martins, 45 anos, contou, no fim da manhã desta quarta-feira (19), que enforcou a criança com um cordão de sapato depois de molestá-la sexualmente.

A mãe de Lavínia Rabech da Rosa, Maura da Rosa, passa a responder por abandono de incapaz. A irmã de cinco anos de Lavínia Rabech da Rosa foi encaminhada a um abrigo, após a mãe tirar a jovem da tia que cuidava da criança.

Lavínia Rabech da Rosa é mais uma vítima da violência e criminalidade no Brasil.



Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)






Suzanamilene em 16/02/2012 15:25
que judiação! vejam o que as drogas faz.... uma coisinha tão inoscente morrer assim por relaxo de uma mãe deslexada ... que mundo é esse onde vivemos?

Rosimere Aparecida Soares  Fabiana Aparecida de Souza Daniela Nogueira Oliveira Victor Emanuel Muanis Sérgio Luis Mendes Francisco Ferreira Oliveira Neto Alex Schomaker Bastos Rodrigo Macedo Silva Alaélcio Pereira de Araújo André Luis Gusmão de Almeida Michelle Chaffin Cubeiro Pérola Bichara Benjamin Ana Karina Matos Guimarães Décio Sá Carlos Eduardo Mendes de Jesus Allan Diego Henriques Barbosa Nicole Mayra da Silva Nogueira Pedro Paulo Lemes Camila Bezerra Erika Pereira Seoane Marcos Roberto Pretel Viana
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS