Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Paulo Jorge de Freitas (Latrocínio)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 28/09/2013

Localização: Itanhaém (SP)

Data de Nascimento: 00/00/1956 (57 anos)

Data de Falecimento: 28/09/2013

Sexo: Masculino Masculino
 

O ex-repórter fotográfico do Jornal A Tribuna e Expresso Popular Paulo Jorge de Freitas, de 57 anos, estava desaparecido. O último contato feito com a família ocorreu na noite de 28/09/2013, enquanto visitava amigos em Itanhaém, litoral de São Paulo. 

Freitas, que residia em Santos, foi para Itanhaém, no final de semana, para resolver assuntos relacionados à escritura de uma chácara que vendeu para um casal, no bairro Balneário Gaivota. Por volta de 19 horas do sábado, o jornalista realizou o último contato com familiares, informando que dormiria na chácara e retornaria para Santos no domingo.
O casal de Itanhaém que hospedaria o jornalista confirmou que ele esteve na chácara, na tarde de sábado, mas informou que ele não retornou de noite, como havia sido combinado.
 
No dia 1º de outubro, após uma denúncia, foi localizado, no Centro de Mongaguá, o veículo de Paulo  de Freitas. O carro, um Ford Fiesta preto, de placas FEL-1710, estava trancado e estacionado de forma regular em uma via, conforme conta o filho do jornalista Eduardo Henrique Silva Freitas.
 
A DIG divulgou que o último local em que Freitas foi visto, no sábado, foi em um bar na Estrada do Rio Preto, em Itanhaém. O jornalista esteve no estabelecimento com um amigo até as 21 horas. Essa testemunha já foi interrogada pela DIG e está descartado seu envolvimento no desaparecimento.
 
Na manhã de 03/10 a Polícia Militar já tinha um suspeito de ser o responsável pelo sumiço do fotógrafo Paulo Freitas. Na casa da irmã desse homem foi encontrada uma calça que pertencia ao profissional, que trabalhou durante 27 anos no Jornal A Tribuna, o principal de Santos.

Os investigadores da Polícia Civil de Itanhaém decidiram iniciar as buscas pelo  fotógrafo Paulo Freitas, na tarde de quinta-feira (03/10). Os trabalhos, que contaram com a ajuda do Corpo de Bombeiros, se concentraram nas margens do Rio Preto (que desemboca no mar, pelo Rio Itanhaém), último lugar onde foi visto. 
 
No final da tarde de quarta-feira, a polícia solicitou à Justiça a prisão termporária do homem acusado de assassinar o repórter-fotográfico de A Tribuna. Segundo o delegado Douglas Borguez, que investiga o caso, o crime teve motivação patrimonial. Outro suspeito ainda não foi identificado. 
 
O titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Itanhaém, estava convicto de que Paulo Freitas foi assassinado.  
 
A polícia chegou à identidade desse homem depois que uma testemunha, cujo nome a Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Itanhaém mantém em sigilo, ligou para o celular do suspeito identificado, na tarde de  terça-feira. 
 
A ligação foi feita na  unidade especializada, na presença de policiais, e com a função viva voz ativada. Ao questionar Ronaldo, o acusado do crime, sobre o paradeiro do fotógrafo, ele confessou que “dei um fim nele”, obviamente, sem saber que terceiros ouviam o diálogo.
 
Era com Ronaldo e um outro homem, ainda não identificado, que Paulo Freitas estava na noite de sábado, última vez em que foi visto. 

A Polícia Civil encontrou na noite de quinta-feira (03/10/2013) em Itanhaém, no litoral de São Paulo, o corpo do fotógrafo Paulo Freitas. Segundo a polícia, o corpo do profissional foi localizado em uma vala, às margens no Km 335 da Rodovia Padre Manoel da Nóbrega, na altura do bairro Jardim Anchieta.
 
A descoberta do corpo foi possível após a prisão do acusado de matar o profissional, Ronaldo da Silva, de 38 anos. Ele foi capturado às 18 horas, em frente a um supermercado, em Peruíbe, e confessou o crime, indicando a localização do cadáver. Ao admitir o assassinato, ele disse que matou o fotógrafo por esganadura, dentro do carro de Paulo Freitas.
 
O caso está sendo investigado pela Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Itanhaém.
 
Por Sandra Domingues, com informações do Jornal A Tribuna, Diário do Litoral e G1

Caso acompanhado pelo Grupo Justiça é o que se Busca, no Facebook



03/10/2013 - O titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Itanhaém, está convicto de que Paulo Freitas foi assassinado. 

O ex-repórter fotográfico do Jornal A Tribuna e Expresso Popular Paulo Jorge de Freitas, de 57 anos, estava desaparecido. O último contato feito com a família ocorreu na noite de 28/09/2013, enquanto visitava amigos em Itanhaém, litoral de São Paulo. 

Freitas, que residia em Santos, foi para Itanhaém, no final de semana, para resolver assuntos relacionados à escritura de uma chácara que vendeu para um casal, no bairro Balneário Gaivota. Por volta de 19 horas do sábado, o jornalista realizou o último contato com familiares, informando que dormiria na chácara e retornaria para Santos no domingo.
 
O casal de Itanhaém que hospedaria o jornalista confirmou que ele esteve na chácara, na tarde de sábado, mas informou que ele não retornou de noite, como havia sido combinado.
 
No dia 1º de outubro, após uma denúncia, foi localizado, no Centro de Mongaguá, o veículo de Paulo  de Freitas. O carro, um Ford Fiesta preto, de placas FEL-1710, estava trancado e estacionado de forma regular em uma via, conforme conta o filho do jornalista Eduardo Henrique Silva Freitas.
 
A Polícia Civil encontrou na noite de quinta-feira (03/10/2013) em Itanhaém, no litoral de São Paulo, o corpo do fotógrafo Paulo Freitas. Segundo a polícia, o corpo do profissional foi localizado em uma vala, às margens no Km 335 da Rodovia Padre Manoel da Nóbrega, na altura do bairro Jardim Anchieta.
 
A descoberta do corpo foi possível após a prisão do acusado de matar o profissional, Ronaldo da Silva, de 38 anos. Ele foi capturado às 18 horas, em frente a um supermercado, em Peruíbe, e confessou o crime, indicando a localização do cadáver. Ao admitir o assassinato, ele disse que matou o fotógrafo por esganadura, dentro do carro de Paulo Freitas.
 
O caso está sendo investigado pela Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Itanhaém.
 
Por Sandra Domingues, com informações do Jornal A Tribuna, Diário do Litoral e G1


Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)





Luíza Delinger dos Santos Andressa Holz Bruno Soares e Silva Itaize Santos Da Silva  Pedro Lucas Barreto da Conceição Rodrigo Lopes de Marcelos Jonathan Felipe dos Santos Marcela da Silva Xavier Marcelo Alves da Silva Ademilson Candido Luiz Paulo Viola Rose Inês Moreira Cely Vidal Rodrigo Wanick Miranda Ferreira Pedro Branco Couto Rodrigues Guilherme do Nascimento de Oliveira Rodrigo José Neves Groetaers Bruno Gitahy Zagootho Flávio Augusto Nascimento Cordeiro Jhonata Oliveira André Barros dos Santos Júnior
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS