Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Sophia Mello de Araújo (Erro Médico)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 23/08/2012

Localização: Brasília (DF)

Data de Nascimento: 13/06/2012 (0 ano)

Data de Falecimento: 23/08/2012

Sexo: Feminino Feminino
 

Sophia Mello de Araújo, nasceu em 13 de Junho de 2012 e faleceu em 23 de Agosto de 2012, no Distrito Federal e os pais suspeitam de negligência médica.

Por Paulo Araújo, pai da pequena Sophia
 
Erro médico, omissão de socorro e descaso com a vida humana, jamais podem ser interpretados como mera fatalidade ou vontade divina, pois ao pensarmos assim estamos contribuindo com a impunidade e mais mortes evitáveis ou desnecessárias. É preciso que busquemos sempre a justiça, a punição e a reparação da omissão e/ou erro.
 
Minha filha, Sophia Mello de Araújo, foi atendida no Hospital Santa Helena, no Distrito Federal, e mesmo tendo sido diagnosticada estar com coqueluche e pneumonia aspirativa, foi transferida para outro hospital sem fazer exame de RX e de Sangue porque meu plano de saúde não tinha convênio com o Hospital.
 
Sem qualquer exame Sophia foi trasnferida de madrugada com um quadro onde horas são importantes para começo do tratamento e possível restabelecimento da saúde e salvamento da vida. Ao final de dois dias, pós alguns desencontros de diagnósticos do segundo hospital (Hospital Alvorada) e por ter perdido tempo no primeiro, minha filha morre.
 
É muito duro e asfixiante para um pai ler o prontuário médico e encontrar escrito "criança irritada, chorosa e inconsolável", essa era a descrição de Sophia quando ainda estava sem intubação. Ela sofreu até o último momento e como escrevi no começo dessa mensagem, não posso jamais aceitar que isso tenha sido uma mera fatalidade ou vontade divina. Erro médico deve ser denunciado, investigado e se a justiça assim entender, punido.
 
Dormi com minha filha na UTI. Infelizmente não podia pegá-la no colo, niná-la e dizer-lhe ao ouvido que a amava mais do que qualquer coisa na vida, que ela me revirou pelo avesso com sua chegada e que a hipótese de sua partida me deixava assombrado e sem chão, completamente perdido. A luta será um dos instrumentos para que eu não enlouqueça e assim contribuir para que outras vidas não sejam perdidas desnecessariamente.
 
Espero que a Srª. Lucelia Martins Pinto Melgares, em casos análogos ao de Sophia de Araújo, não deixe de realizar exames porque os pais não têm convênio com o hospital e use de sua autoridade descrita no código de ética médico e procure acima de burocracias e dinheiro, salvar vidas humanas. 
 
Paulo Guilherme de Araújo
 
Sandra Domingues, com informações do Blog Paulo Araújo

Sophia Mello de Araújo, nasceu em 13 de Junho de 2012 e faleceu em 23 de Agosto de 2012, no Distrito Federal e os pais suspeitam de negligência médica.Minha filha, Sophia Mello de Araújo, foi atendida no Hospital Santa Helena, no Distrito Federal, e mesmo tendo sido diagnosticada estar com coqueluche e pneumonia aspirativa, foi transferida para outro hospital sem fazer exame de RX e de Sangue porque meu plano de saúde não tinha convênio com o Hospital.

Sem qualquer exame Sophia foi trasnferida de madrugada com um quadro onde horas são importantes para começo do tratamento e possível restabelecimento da saúde e salvamento da vida. Ao final de dois dias, pós alguns desencontros de diagnósticos do segundo hospital (Hospital Alvorada) e por ter perdido tempo no primeiro, minha filha morre.
 
É muito duro e asfixiante para um pai ler o prontuário médico e encontrar escrito "criança irritada, chorosa e inconsolável", essa era a descrição de Sophiaquando ainda estava sem intubação. Ela sofreu até o último momento e como escrevi no começo dessa mensagem, não posso jamais aceitar que isso tenha sido uma mera fatalidade ou vontade divina. Erro médico deve ser denunciado, investigado e se a justiça assim entender, punido.
 
Dormi com minha filha na UTI. Infelizmente não podia pegá-la no colo, niná-la e dizer-lhe ao ouvido que a amava mais do que qualquer coisa na vida, que ela me revirou pelo avesso com sua chegada e que a hipótese de sua partida me deixava assombrado e sem chão, completamente perdido. A luta será um dos instrumentos para que eu não enlouqueça e assim contribuir para que outras vidas não sejam perdidas desnecessariamente.
 
Espero que a Srª. Lucelia Martins Pinto Melgares, em casos análogos ao de Sophia de Araújo, não deixe de realizar exames porque os pais não têm convênio com o hospital e use de sua autoridade descrita no código de ética médico e procure acima de burocracias e dinheiro, salvar vidas humanas. 
 
Paulo Guilherme de Araújo
 


Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)





Waimasse de Magalhães Tavares Eduardo Alfredo Ortelan Thiago De Osti Cardoso Lopes Lennon Sant’ana Ramos Ana Carolina Pacheco da Silva Maria Helena Priscila Fernandes Max Fernando de Paiva Oderich Agda Fátima Rocha Henrique dos Santos Silva Cléber Cley Pinto Marques Fonseca Filho Jeferson Iotti Rafael Mascarenhas Selma Heloísa Artigas da Silva Mariana Rocha de Souza André Penin Santos de Lima Dennyse Cryslany Paiva Alarcão Millena Freitas dos Santos Caylee Marie Anthony Talita Juliane Peixoto Paiva Claudia Correa Pereira Cely Vidal
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS