Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Ilda Vitor Maciel (Erro Médico)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 07/10/2012

Localização: Barra Mansa (RJ)

Data de Nascimento: 00/00/1924 (88 anos)

Data de Falecimento: 08/10/2012

Sexo: Feminino Feminino
 

Ilda Vitor Maciel, 88 anos, estava internada desde o dia 27 de setembro de 2012, após sofrer um Acidente Vascular Encefálico que paralisou um lado do seu corpo, e morreu, no dia 08 de outubro de 2012, 12 horas após receber a sopa através de injeção na veia feita por um enfermeiro da Santa Casa de Misericórdia de Barra Mansa, no sul fluminense. 

Segundo familiares, a paciente estava melhorando. Ela era alimentada por meio de uma sonda que ficava no nariz. Simultaneamente, tomava soro na mão direita, onde eram injetados os medicamentos. Na noite de (07/10), um enfermeiro – cuja identidade não foi divulgada – injetou no soro a sopa que deveria ser aplicada na sonda. Segundo uma filha de Ilda, Ana Rute dos Santos, a mulher começou a se debater.

"Fiquei assustada e chamei a enfermeira", conta Ana. A paciente foi medicada, mas morreu 12 horas depois. Laudo emitido pela Santa Casa indica embolia pulmonar (obstrução de veias ou artérias ligadas ao pulmão) como causa da morte. No atestado de óbito, o Instituto Médico Legal considera indeterminada a causa da morte e afirma que ainda aguarda exames de laboratório.
 
O hospital admitiu o erro do funcionário, mas informou que ainda não sabe se a morte tem relação com a aplicação de sopa na veia da paciente. O caso está sendo investigado em um processo interno.

A aposentada foi enterrada no dia 09/10, no Cemitério Municipal de Barra Mansa.

Parentes da aposentada Ilda Vitor Maciel vão entrar com uma ação contra a Santa Casa de Misericórdia de Barra Mansa, no Sul Fluminense, com pedido de indenização por causa da morte da idosa. 

Conselho Regional de Enfermagem (Coren-RJ) informou através de nota que vai apurar o que aconteceu com a paciente Ilda Vitor Maciel. O Coren enviou na quarta-feira (10) uma equipe de fiscalização à Santa Casa de Misericórdia de Barra Mansa, onde o caso ocorreu. Segundo o Coren, o hospital já havia passado por uma fiscalização do conselho e do Ministério Público no dia 3 de agosto. Na ocasião, foram afastadas 36 pessoas por exercício ilegal da profissão.
 
Ainda de acordo com a nota, a direção da Santa Casa não quis informar o nome da funcionária, que teria sido contratada como técnica de enfermagem. No entanto, o Coren depende da informação para saber se a funcionária tem registro profissional e se está habilitada para a função.

Por Sandra Domingues 

Ilda Vitor Maciel, 88 anos, estava internada desde o dia 27 de setembro de 2012, após sofrer um Acidente Vascular Encefálico que paralisou um lado do seu corpo, e morreu, no dia 08 de outubro de 2012, 12 horas após receber a sopa através de injeção na veia feita por um enfermeiro da Santa Casa de Misericórdia de Barra Mansa, no sul fluminense. 

Laudo emitido pela Santa Casa indica embolia pulmonar (obstrução de veias ou artérias ligadas ao pulmão) como causa da morte. No atestado de óbito, o Instituto Médico Legal considera indeterminada a causa da morte e afirma que ainda aguarda exames de laboratório.

O hospital admitiu o erro do funcionário, mas informou que ainda não sabe se a morte tem relação com a aplicação de sopa na veia da paciente. O caso está sendo investigado em um processo interno.

Parentes da aposentada Ilda Vitor Maciel vão entrar com uma ação contra a Santa Casa de Misericórdia de Barra Mansa, no Sul Fluminense, com pedido de indenização por causa da morte da idosa. 

O Coren (Conselho Regional de Enfermagem) enviou uma equipe de fiscalização à Santa Casa, para apurar o caso e verificar se há registro do profissional. Segundo o órgão, em 3 de agosto, o hospital passou por uma fiscalização do conselho e do Ministério Público, quando foram afastadas 36 pessoas por exercício ilegal da profissão.
 
A direção da Santa Casa não quis informar o nome da funcionária, nem o registro.


Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)






Sandra Domingues em 16/10/2012 19:50
Revoltante e inadmissível isso ! Aqui em casa já estávamos todos de alerta desde o caso da pequena Stephanie , de 12 anos, que recebeu vaselina em lugar de soro, em 2010, em SP...Todas às vezes que as crianças têm que ser submetidas a qualquer medicação ficamos atentos ao que está sendo aplicado, questionamos o que é e para que serve, ainda que nem todos gostem e alguns até fiquem bravos, achando que estamos querendo ensiná-los a trabalhar...o pior é que muitos não têm nem se quer a humildade de admitir que não sabem mesmo! O pior é que não dá em nada...enquanto é notícia, alguns se sensibilizam, depois de um tempo a dor e luta por justiça é única da família...à espera de uma justiça que nunca vem!

Michael Mendes Cassiano Moreira da Silva Liana Friedenbach Eurides Santos de Castro Gabrielly Caroline Dias Rocha Paulo Roberto Rosal Filho Suênia Souza Faria Adrielly dos Santos Vieira André Barros dos Santos Júnior Carla Ingrid de Oliveira Correa Joana Aparecida da Silva Santos Nataly S.S Juliana Vania de Oliveira William da Silva Castro Alves Carolina Rodrigues Macchiorlatti Patricia Leal dos Santos Waimasse de Magalhães Tavares Karina Carvalho Leite Matthwes Eric Jones Juliana Costa Max Fernando de Paiva Oderich
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS