Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Angelito Barros Correia de Mello (Assassinato)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 28/08/2012

Localização: Rio de Janeiro (RJ)

Data de Nascimento: 07/05/1985 (27 anos)

Data de Falecimento: 28/08/2012

Sexo: Masculino Masculino
 

O jovem Angelito Barros Correia de Mello, de 27 anos, morreu depois de ter sido baleado por um ladrão na Avenida Dom Hélder Câmara, na tarde de 28 de agosto de 2012. O projetista Angelito Barros Correia de Mello, de 27 anos, estava almoçando em um restaurante quando decidiu deter um bandido na rua, depois que este assaltou uma mulher. Angelito deu entrada já sem vida no Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier.

Segundo a Polícia Militar, Angelito agarrou o bandido quando ouviu gritos de "pega ladrão!" na rua. Assim que o agarrou, o marginal efetuou um disparo, que o atingiu e o matou no local. O bandido fugiu. A Polícia Civil informou que, no momento, agentes da Divisão de Homicídios fazem buscas pelo bandido nas ruas da região.

“Eu quero ver esse bandido atrás das grades. Vou fazer o que puder para ver isso”, garantiu Angelito Mello, pai do projetista assassinado. A afirmação demonstra que as semelhanças entre pai e filho vão além do nome em comum: Angelito Mello, o filho, era conhecido nos círculos familiares e de amizade por lutar pelo que achava certo.

A Delegacia de Homicídios (DH) fez buscas na região, durante a tarde e a noite do crime, para tentar localizar o autor do disparo, mas ninguém foi preso. Para mudar este fato, Angelito, o pai, prometeu movimentar o caso oferecendo recompensa em dinheiro para quem entregar o bandido.
— Se esta é a forma que tenho para ajudar a polícia a prender esse marginal, farei isso — garantiu.
 
Kim, como era conhecido o Angelito filho, não temia ladrões. A própria família sabia das situações em que ele se envolvia e conversava sempre com ele para que não reagisse à ação de bandidos. Mesmo com as conversas, Kim não escondia dos amigos que reagiu a diversos assaltos.
 
No Cefet, onde estudou, ficou famoso depois que deu uma surra em um ladrão que tentou roubar a sua mochila. O assaltante era conhecido dos alunos e muitos já tinham perdido materiais escolares e até tênis para o marginal. Em outra ocasião, como contou uma amiga da escola, ele rolou pela calçada da Avenida Presidente Vargas lutando com um trombadinha que agia na área.
— Ele não ficava quieto. Se encontrasse alguém em dificuldade, ele ajudava. Mas longe de ser agressivo, ele só reagia. Era grande e achava que podia ajudar — explicou Wania Mello, mãe de Kim.
— Quem perdeu foi toda a sociedade. Perdeu um jovem que só queria fazer o bem, que só queria ajudar. E a culpa? A culpa é dos governantes que deixaram o Rio de Janeiro chegar a esse estado, onde muitas as pessoas não têm educação, nem emprego, nem oportunidade e viram ladrões e assassinos — finalizou Wania.
 
Por Sandra Domingues, com informações do Extra Globo e O Dia

O jovem Angelito Barros Correia de Mello, de 27 anos, morreu depois de ter sido baleado por um ladrão na Avenida Dom Hélder Câmara, na tarde de 28 de agosto de 2012. O projetista Angelito Barros Correia de Mello, de 27 anos, estava almoçando em um restaurante quando decidiu deter um bandido na rua, depois que este assaltou uma mulher. Angelito deu entrada já sem vida no Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier.

Segundo a Polícia Militar, Angelito agarrou o bandido quando ouviu gritos de "pega ladrão!" na rua. Assim que o agarrou, o marginal efetuou um disparo, que o atingiu e o matou no local. O bandido fugiu. A Polícia Civil informou que, no momento, agentes da Divisão de Homicídios fazem buscas pelo bandido nas ruas da região.

Por Sandra Domingues, com informações do Extra Globo e O Dia



Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)






Marcos em 27/06/2013 22:05
temos que nos unir,porque as autoridades nao estao com nada ,se fosse um filho de um governardor ou da presidenta ja estava PRESO OU MORTO.


Zona Oeste em 27/06/2013 21:59
estamos preste a ajudar a caçada nao desistimos facil assasino so tem dois caminhos CADEIA OU INFERNO

João Luiz Sá Freire Azevedo Daniela Nogueira Oliveira Francisco de Assis Guerra Ramalho Edson Roberto Domingues Marcos José Aloise da Rocha Pablo Gomes Matielli Gislaine Aparecida Gonçalves Rodrigo José Neves Groetaers Suellen Santos da Silva Lore de Santana Vaz Patrícia Gonçalves Marinho Robson Eduardo Carriel De Lima Priscila Machado Simão Padre Wagner Rodolfo da Silva Gabriella Oliveira Ribeiro Gabriela Nunes de Araújo Alexandre Pereira Pinto Almeida Rafael Fernandes de Oliveira Adna Priscila Alves da Silva Natasha Manuelle Correia Pinheiro Jorge Luís Lourenço
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS