Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Rozana da Silva Nascimento (Assassinato)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 02/01/2010

Localização: São Paulo (SP)

Data de Nascimento: 00/00/1995 (15 anos)

Data de Falecimento: 02/01/2010

Sexo: Feminino Feminino
 

Rozana da Silva Nascimento, diarista de 17 anos, foi encontrada morta com uma vela preta na boca no Rodoanel Mário Covas, na região de Perus, na Zona Norte de São Paulo, na tarde 06/01/2010. A polícia suspeita que a jovem foi vítima de ritual de magia negra. Tatiana de Jesus, operadora de telemarketing de 31 anos, confessou o crime.

A jovem desapareceu no dia 02/01/2010 com a filha de 3 meses. Com base no estado de decomposição, peritos dizem acreditar que ela foi morta naquele dia. 
 
A sogra da diarista procurou a Polícia Civil no domingo (4) e relatou que sua nora havia dito na manhã do dia anterior que iria almoçar com a mãe e, em seguida, faria faxina na casa de uma conhecida. Desde então, ela não foi mais localizada. 
 
Um adolescente de 17 anos que era companheiro de Rozana e pai da criança decidiu investigar o caso. Após ligar para diversas pessoas que poderiam ter entrado em contato com a jovem, ele desconfiou da operadora de telemarketing de 31 anos que havia contratado os serviços da adolescente.
 
Ao descobrir o endereço da mulher, ele passou a noite de domingo e a madrugada de segunda (4) em frente a sua casa, na Vila Mirian, Zona Oeste. Por volta das 7h30, ele viu a operadora sair do local com a menina de 3 meses no colo. 
 
Segundo a Secretaria da Segurança Pública, os dois foram até o 33º Distrito Policial (Pirituba). À polícia, a mulher contou que a diarista havia pedido ajuda para fugir do companheiro. A jovem teria levado sua filha até a casa da operadora e, em seguida, saído. Desde então, ela não foi mais vista, de acordo com o relato da mulher.  
 
A operadora é a principal suspeita do crime. Segundo parentes de Rosana ouvidos pela Agência Estado, a mulher de 31 anos é ligada a magia negra. "Minha cunhada era feliz. Essa patroa se encantou com a criança dela", disse a pedagoga Graziele Ramos. A criança foi devolvida ao pai. Policiais do 33º DP e do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investigam o assassinato.
 
Julgamento
 
Tatiana de Jesus foi condenada a 18 anos de prisão, sendo que 12 pelo Homicídio Triplamente Qualificado, tendo mais 2 anos de acréscimo devido ter utilizado de recurso que impossibilitou a defesa da vítima, somado 2 anos pelo motivo torpe e meio cruel.

Foi ainda condenada a mais 2 anos pelo crime de sequestro, praticado contra a pequena Gabriela, de apenas 4 meses, filha da vítima, saindo do plenário algemada e conduzida de volta ao presídio.

A sentença foi lida pelo Juiz Sandro Rafael Barbosa Pacheco, do 5º Tribunal do Júri de SP, às 00:48 de 12/09/2012, no Fórum da Barra Funda.
 
Além de ter sido acatado pelo júri o pedido de denunciar uma das testemunhas, o ex namorado da vítima, por falso testemunho, cujo mesmo teve que permanecer retido no fórum até o encerramento do julgamento e ao término foi conduzido à delegacia, para ser aberto, contra ele, um inquérito por falso testemunho.

 

Rozana da Silva Nascimento, diarista de 17 anos, foi encontrada morta com uma vela preta na boca no Rodoanel Mário Covas, na região de Perus, na Zona Norte de São Paulo, na tarde 06/01/2010. A polícia suspeita que a jovem foi vítima de ritual de magia negra. Tatiana de Jesus, operadora de telemarketing de 31 anos, confessou o crime. 

Tatiana de Jesus foi condenada a 18 anos de prisão, sendo que 12 pelo Homicídio Triplamente Qualificado, tendo mais 2 anos de acréscimo devido ter utilizado de recurso que impossibilitou a defesa da vítima, somado 2 anos pelo motivo torpe e meio cruel.

Foi ainda condenada a mais 2 anos pelo crime de sequestro, praticado contra a pequena Gabriela, de apenas 4 meses, filha da vítima, saindo do plenário algemada e conduzida de volta ao presídio.

A sentença foi lida pelo Juiz Sandro Rafael Barbosa Pacheco, do 5º Tribunal do Júri de SP, às 00:48 de 12/09/2012, no Fórum da Barra Funda.
 
Além de ter sido acatado pelo júri o pedido de denunciar uma das testemunhas, o ex namorado da vítima, por falso testemunho, cujo mesmo teve que permanecer retido no fórum até o encerramento do julgamento e ao término foi conduzido à delegacia, para ser aberto, contra ele, um inquérito por falso testemunho.


Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)





Rafaella Morais de Souza Alex Damaceno de Souza Alaélcio Pereira de Araújo Fabrício Pinto da Costa Diniz Clarisse Alves Mesquita Cláudio Von Randow de Almeida João Cláudio Cardoso Leal Francisco Ferreira Oliveira Neto Raquel Barros de Oliveira Bárbara Guimarães Lopes Luiz Vinicius Purkott Yago Batista de Souza Mayara Lilian Alves Ferraz Lewdo Ricardo Coelho Severino Edinei Pereira Gomes  Tayná Adriane da Silva Ana Paula Moreno Germano Nicolas Fuzaro Mori Gilmar Rafael Souza Yared Luíza Delinger dos Santos Saulo Victor da Silva
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS