Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Giulia de Oliveira da Silva (Assassinato)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 13/04/2012

Localização: Caxias do Sul (RS)

Data de Nascimento: 00/00/1997 (15 anos)

Data de Falecimento: 13/04/2012

Sexo: Feminino Feminino
 

Giulia de Oliveira da Silva, 15 anos, grávida de oito meses, foi resgatada da água sem vida pelos bombeiros. O corpo foi encontrado boiando por volta das 16h30min do dia 15 de abril de 2012, em uma represa no bairro Desvio Rizzo, às margens da RS 122, em Caxias do Sul.

Conforme informações da Brigada Militar, a polícia foi avisada por meio de uma ligação anônima de pessoas que pescavam no local. 

Ela saiu de casa na sexta-feira (13), por volta das 12h40min, para a ir à escola Abramo Pezzi, no bairro Rio Branco. De acordo com o padrasto, Antonio Bonesso, 55, Giulia foi vista pela última vez em frente à escola, por volta das 13h. A família já havia registrado o desaparecimento da adolescente.
 
O autônomo Gabriel Stanki Subtil, 18 anos, assumiu a morte da estudante Giulia de Oliveira da Silva. Acompanhado de advogado, Subtil se apresentou na tarde de 16/04 na Delegacia de Proteção à Criança e Adolescente (DPCA), onde prestou depoimento. O rapaz contou que na sexta-feira (13/04), dia em que a jovem desapareceu, eles se encontraram para uma conversa. O corpo de Giulia foi encontrado no final da tarde de domingo (15/04) na represa Samuara, perto da RS-122.
 
Conforme o assassino confesso, ele e Giulia se conheciam havia um ano e haviam “ficado” e mantido relações sexuais algumas vezes. Ao engravidar, a garota teria dito que o filho era de Subtil. Pelo relato à Polícia Civil, o autônomo procurou a família da moça e disse que, após o nascimento da criança e caso a paternidade fosse comprovada por meio de exame de DNA, ele assumiria o bebê. No entanto, não casaria com Giulia porque tinha uma namorada.
 
Na quinta-feira (12/04), a estudante teria mandado um recado para Subtil encontrá-la na saída da Escola Abramo Pezzi, no Rio Branco, onde estudava. Mas o autônomo teria ido ao colégio antes da aula começar, às 13h30min. Do Rio Branco, Giulia e Subtil foram até a represa na moto dele. Conforme o depoimento, ao ouvir de Subtil que ele não ficaria com ela, a estudante teria lhe desferido socos. O rapaz tirou um cordão que segurava as próprias calças e tentou asfixiar a garota, que teria caído na água ao se desequilibrar. Enquanto Giulia se debatia pedindo socorro, o autônomo subiu na moto e foi embora. Subtil entregou à polícia o cordão.
 
Conforme a delegada Suely Rech, no momento, ela não pedirá à Justiça a prisão do autônomo, porque ele assumiu o crime, não tinha antecedentes policiais, trabalha e tem residência fixa. No entanto, após ouvir testemunhas, ter o laudo indicando a causa da morte, que ainda está indefinida, e reunir outros elementos ao inquérito, a delegada poderá solicitar a detenção de Subtil.

Giulia de Oliveira da Silva, 15 anos, grávida de oito meses, foi resgatada da água sem vida pelos bombeiros. O corpo foi encontrado boiando por volta das 16h30min do dia 15 de abril de 2012, em uma represa no bairro Desvio Rizzo, às margens da RS 122, em Caxias do Sul. 

Conforme informações da Brigada Militar, a polícia foi avisada por meio de uma ligação anônima de pessoas que pescavam no local. 

Ela saiu de casa na sexta-feira (13), por volta das 12h40min, para a ir à escola Abramo Pezzi, no bairro Rio Branco. De acordo com o padrasto, Antonio Bonesso, 55, Giulia foi vista pela última vez em frente à escola, por volta das 13h. A família já havia registrado o desaparecimento da adolescente.
 
O autônomo Gabriel Stanki Subtil, 18 anos, assumiu a morte da estudante Giulia de Oliveira da Silva. Acompanhado de advogado, Subtil se apresentou na tarde de 16/04 na Delegacia de Proteção à Criança e Adolescente (DPCA), onde prestou depoimento. O rapaz contou que na sexta-feira (13/04), dia em que a jovem desapareceu, eles se encontraram para uma conversa. O corpo de Giulia foi encontrado no final da tarde de domingo (15/04) na represa Samuara, perto da RS-122.
 
Conforme o assassino confesso, ele e Giulia se conheciam havia um ano e haviam “ficado” e mantido relações sexuais algumas vezes. Ao engravidar, a garota teria dito que o filho era de Subtil. Pelo relato à Polícia Civil, o autônomo procurou a família da moça e disse que, após o nascimento da criança e caso a paternidade fosse comprovada por meio de exame de DNA, ele assumiria o bebê. No entanto, não casaria com Giulia porque tinha uma namorada.
 
Na quinta-feira (12/04), a estudante teria mandado um recado para Subtil encontrá-la na saída da Escola Abramo Pezzi, no Rio Branco, onde estudava. Mas o autônomo teria ido ao colégio antes da aula começar, às 13h30min. Do Rio Branco, Giulia e Subtil foram até a represa na moto dele. Conforme o depoimento, ao ouvir de Subtil que ele não ficaria com ela, a estudante teria lhe desferido socos. O rapaz tirou um cordão que segurava as próprias calças e tentou asfixiar a garota, que teria caído na água ao se desequilibrar. Enquanto Giulia se debatia pedindo socorro, o autônomo subiu na moto e foi embora. Subtil entregou à polícia o cordão.
 
Conforme a delegada Suely Rech, no momento, ela não pedirá à Justiça a prisão do autônomo, porque ele assumiu o crime, não tinha antecedentes policiais, trabalha e tem residência fixa. No entanto, após ouvir testemunhas, ter o laudo indicando a causa da morte, que ainda está indefinida, e reunir outros elementos ao inquérito, a delegada poderá solicitar a detenção de Subtil.


Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)






Marcelo Mulinari em 24/05/2012 20:13
pois é, mais um crime barbaro na comunidade, e o ASSASSINO esta solto porque tem renda e casa fixa, quem vai responder processo e ir preso é ladrao de galinha né, e a familia é quem paga por isso, isso é as leis Brasileiras. Que vergonha !!!!!!!!!!!!!!!!


Ligiane em 28/04/2012 18:40
esse cara deveria eh tar atras das grades ele tirou a vida de dois seres qe hoje poderiam estar aq com a gente qe tinham uma vida inteira pela frente .a nossa justiça esta totalmente horrivel e a delegada ainda coloca um cara desses em liberdade não pensa que poderia ser com ela o com a filha dela será que se fosse a filha dela ela deixaria ele em plena liberdade?? ela tambm eh mulher sei qe deve fazer lei mas o que ela fez foi totalmente errado....eh a justiça hoje em dia não eh a mesma !!!boom TE AMAREMOS ETERNAMENTE GIULIA... dois seres qe foram brutalmente assasinados!!bom que ajustiça seja feita >


Vanderlei Marques em 27/04/2012 18:25
Uma menina cheia de vida e feliz por estar esperando um menino que iria por o nome de VICTOR, uma relacionamento onde viera brotar e ser podado uma vida prestes a nascer. Como os dias atuais estão cruéis, esqueceram os valores dos seres humanos, porque será disso tudo.... Acredito senhores porque a justiça não nos dá a segurança necessária, ela nos deixa a merce dos bandidos, dos assassinos. Não adiante senhores VEREADORE, JUIZES, MAGISTRADOS em fim... Não adianta colocarem mais homens e homens nas ruas, para surrupiarem nosso dinheiro suado que saimos amedrontados de casa para conseguir, não adianta SENHORES, virem pedir nossos votos e gastarem rios de dinheiros em campanhas que nos comovem, que nos sensibilizam em relação a cada um de vocês. Porque não investem em campanhas para mudarem essas leis que amparam bandidos seja eles iniciantes ou não, acabem com as brechas, acabem com os réus primários, acreditem SENHORES, bandido é bandido e mesmo que ele confesse ou haja apenas suspeitas, devem estarem em carceres privados sim, PRESOS, até que juntem provas suficiente para incriminá-los. Estruturem sim gastando dinheiro com pessoas para investigação, isso sim será bem investido, não adianta colocarem milhares de policiais nas ruas, sendo que o serviço deles próprios fica desmoralizados pela JUSTIÇA, que ampara da sua condenação! Vamos SENHORES VEREADORES, JUIZES, todos vocês que tem poderes para isso, que tem força e conhecem nossas leis, invistam na mudança dessas leis que facilitam a marginalidade de nossos jovens. Vejam vos, que o indice de criminalidade está nas mãos daqueles que nunca mataram ou não tiveram antecedentes... ISSO PRECISA SER MUDADO E PARA ISSO QUE NOSSO VOTO SERVE SENHORES PARA QUE FAÇAM MUDANÇAS QUANDO PRECISAMOS DE VOCÊS... Essa menina não pode ficar sem JUSTIÇA, não pode um assassino como este ficar impune, em liberdade, ele não tirou a vida de uma menina apenas SENHORES, ele tirou a vida de dois seres em perfeita ordem de seguir suas vidas, por serem jovens, serem saudáveis.. CADEIA PARA ELE JÁ!!!!!

Vagner Luiz Lopes de Sa Fernando Iskierski Dyenifer Aparecida Costa dos Santos Angelito Barros Correia de Mello Kelly Cristina Rodrigues João Cláudio Cardoso Leal Maiara Natalie da Silva Sandra Florentino Gomide Rodrigo de Andrade Bezerra Izabella Pajuçara Monteiro Frazão Rosileide Queiros de Oliveira Aston Alisson da Silva Telma Veloso Pinto Arcanjo Antonino Lopes do Nascimento Eduardo Antônio Lara Sara Borges Rocha Guilherme Gabriel Caetano Carlos Antonio de Paula Nicolas Cauã Secco Rufino Gomes Araújo Neto Wellington Cardoso Ferreira
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS