Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Saulo Batista Jansen (Latrocínio)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 06/04/2012

Localização: Brasília (DF)

Data de Nascimento: 08/04/1981 (30 anos)

Data de Falecimento: 06/04/2012

Sexo: Masculino Masculino
 

Saulo Batista Jansen, 31 anos, auditor fiscal pernambucano, morreu na Sexta-feira da Paixão, 6 de abril de 2012,  após uma tentativa de assalto numa lanchonete no Distrito Federal em que estava junto com a esposa, a filha e um casal de amigos, acertado no peito por um disparo feito pelo bandido. 

Saulo foi enterrado no dia que completaria 32 anos, 8 de abril.  O velório e o sepultamento aconteceram no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, no Grande Recife.
 
As cerimônias contaram com a presença de muitos amigos e parentes de Saulo Jansen. "O que aconteceu é um absurdo, mas não cabe a nós julgar o homem que atirou. O que queremos é justiça", disse Wilame Jansen, tio da vítima. "Uma das coisas que provam como ele era querido são as mensagens de carinho e saudade que recebemos de muitas pessoas de Brasília", afirmou o parente.
 
O pernambucano morava em Brasília há mais de sete anos. Ele esteve pela última vez no Recife em fevereiro, para o aniversário de uma de suas sobrinhas, que era sua afilhada. Saulo deixa a esposa Roberta (Berinha) e uma filha, Alice, que irá completar cinco meses.
 
Parentes e amigos do pernambucano Saulo Jansen pedem paz no Brasil
 
Com faixas com os dizeres "Saulo, paz e esperança. Por um Brasil sem violência", familiares e amigos do pernambucano Saulo Jansen participou de uma passeata em favor do fim da violência, no domingo (15/04) pela manhã, na Avenida Boa Viagem, em Boa Viagem, Zona Sul do Recife.
  
"Não queremos estimular o ódio e rancor. Saulo era uma pessoa pacífica. A justiça está sendo feita. Queremos apenas reforçar esse grito de paz no Brasil", disse a mãe do analista, Carli Jansen. 
 
No domingo logo cedo, foi realizada uma missa na Igreja de Boa Viagem, localizada na pracinha. Do local, a passeata seguiu pela avenida, até o primeiro jardim. 
 
A esposa de Saulo, Roberta, participou da missa mas não da passeata porque precisou amamentar a filha.
 
No bairro Paranoá, na quadra 25, a polícia prendeu um suspeito de 21 anos. Os policiais encontraram a moto, o notebook, a bolsa e o celular, que tinha GPS, o que ajudou na localização do suspeito. Na casa, foi encontrada também a arma do crime.
 
Segundo a polícia, o suspeito confessou tudo na delegacia. Ele saiu do Maranhão na semana passada e estava em Brasília na casa de parentes. "Um pessoa extremamente fria, não tem nenhum respeito pela vida humana. Na hora de sair do local, ele deixou cair objetos, alguns tentaram reagir, manter sob custódia, ele retirou a arma e efetuou o disparo que veio atingir a vítima", afirmou o delegado Watson Warmiling.

 

Mãe de Saulo, Carli Jansen, esteve presente na passeata (Foto: Luna Markman/G1)

 

Para Roberta Jansen, irmã da vítima, algo precisa ser feito (Foto: Luna Markman/G1)

Saulo Batista Jansen, 31 anos, auditor fiscal pernambucano, morreu na Sexta-feira da Paixão, 6 de abril de 2012,  após uma tentativa de assalto numa lanchonete no Distrito Federal em que estava junto com a esposa, a filha e um casal de amigos, acertado no peito por um disparo feito pelo bandido. 

Saulo foi enterrado no dia que completaria 32 anos, 8 de abril.  O velório e o sepultamento aconteceram no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, no Grande Recife. 
 
O pernambucano morava em Brasília há mais de sete anos. Ele esteve pela última vez no Recife em fevereiro, para o aniversário de uma de suas sobrinhas, que era sua afilhada. Saulo deixa a esposa Roberta (Berinha) e uma filha, Alice, que irá completar cinco meses.
 
No bairro Paranoá, na quadra 25, a polícia prendeu um suspeito de 21 anos. Os policiais encontraram a moto, o notebook, a bolsa e o celular, que tinha GPS, o que ajudou na localização do suspeito. Na casa, foi encontrada também a arma do crime.
 
Segundo a polícia, o suspeito confessou tudo na delegacia. Ele saiu do Maranhão na semana passada e estava em Brasília na casa de parentes. "Um pessoa extremamente fria, não tem nenhum respeito pela vida humana. Na hora de sair do local, ele deixou cair objetos, alguns tentaram reagir, manter sob custódia, ele retirou a arma e efetuou o disparo que veio atingir a vítima", afirmou o delegado Watson Warmiling.


Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)





Daniela Nogueira Oliveira Luiz Henrique de Andrade Roberta Yuri Yoshifusa Sigouney Tereza Coelho de Moraes Carolina Rodrigues Macchiorlatti Braz Antonio Duarte Mário Sérgio Gabardo Daniel Víctor  de Bastos Kaio César Alves Muniz Ribeiro Luiz Carlos Soares da Costa Luiz Vinicius Purkott Janinha Pereira de Freitas Vítor Vicente de Macedo Silva Cláudio Von Randow de Almeida Jean Charles de Menezes Joanna Cardoso Marcenal Marins Sara Borges Rocha Danielle Tobler Esser Edison Tsung Chi Hsueh Thiago Klemtz de Abreu Pessoa Alex Hausch
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS