Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Françoise Steffani Silva de Oliveira (Pedofilia)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 22/03/2012

Localização: Corumbá (MS)

Data de Nascimento: 00/00/2000 (12 anos)

Data de Falecimento: 22/03/2012

Sexo: Feminino Feminino
 

Françoise Steffani Silva de Oliveira, de 12 anos, foi vítima de estupro seguido de asfixia. A menina havia desaparecido na manhã de 22 de março de 2012, em Corumbá, município que fica a 444 quilômetros de Campo Grande.

Françoise Stéffani Silva de Oliveira saiu de casa para fazer compras a pedido da mãe. Testemunhas contaram à polícia que viram a adolescente sendo acompanhada por um homem em uma bicicleta, na rua da casa dela. Na escola, onde a adolescente deveria ter ido à tarde, professores disseram que ela não apareceu.
 
A vítima foi encontrada na noite de 22/03 em um matagal, próximo à BR-262, no bairro Maria Leite,em Corumbá. Uma moradora da região havia acionado a polícia e contado que viu pés estirados no local. 
 
De acordo com a Polícia Militar (PM) a menina estava sem as roupas da parte de baixo e com a blusa aberta na região dos seios. Um suspeito foi detido nas proximidades do local ainda na noite que o corpo foi encontrado, mas foi liberado. De acordo com a delegada, Priscila Anuda Quarti Vieira, não houve provas que o ligassem ao crime.
 
O corpo de Françoise Steffani foi sepultado no dia 23/03 às 13h, no Cemitério Nelson Chamma. O velório aconteceu na capela "Anjos da Paz". 
 
A delegada Priscila Anuda Quarti Vieira, titular da Delegacia de Atendimento à Infância, Juventude e Idoso (DAIJI) apresentou na manhã de sábado, 24 de março de 2012, à imprensa, Leandro de Oliveira, 20 anos, conhecido pelo apelido de Diego, acusado de estuprar e matar Françoise Steffani Silva de Oliveira, 12 anos, na quinta-feira, 22 de março. A prisão ocorreu na sexta-feira, 23. É o mesmo homem que havia sido detido como suspeito logo após os policiais terem encontrado o corpo. Naquela ocasião, ele e uma irmã é que informaram a Polícia Militar, pelo telefone 190, terem "encontrado um corpo".
 
"Ele afirmou que há tempos observava a Steffani, pois a avó dela mora na mesma rua em que ele morava com a esposa, em Ladário e que no dia do crime, encontrou um ‘momento oportuno'. Leandro relatou que viu Steffani retornando de uma mercearia próxima à casa da mãe, no bairro Popular Velha, e de uso de ameaça - ele não confirma se utilizou faca, revólver, mas diz que a ameaçou -, a colocou em sua bicicleta, seguiu pela rua Gaturama, chegou ao matagal, a arrastou para dentro de uma trilha e disse dessa forma: ‘caí para cima dela e a estuprei', relatou a delegada Priscila Vieira.
 
Leandro tem histórico de antecedentes criminais, como várias passagens policiais quando menor de idade, além de estar respondendo por outra acusação de abuso sexual a uma criança de 4 anos de idade, em Ladário. O caso, foi registrado há cerca de 2 anos, porém, de acordo com a delegada não há evidencias que comprovem realmente que ele tenha realizado a conjunção carnal com a criança. A vítima, neste caso é sua enteada.
 
Leandro poderá pegar até 30 anos de prisão, pois ele responderá por estupro qualificado pela morte. Ele vai ser encaminhado ao presídio masculino de Corumbá. 
 

Leandro de Oliveira, 20 anos, conhecido pelo apelido de Diego, acusado de estuprar e matar Françoise Steffani Silva de Oliveira, 12 anos, na quinta-feira, 22 de março de 2012.

Françoise Steffani Silva de Oliveira, de 12 anos, foi vítima de estupro seguido de asfixia. A menina havia desaparecido na manhã de 22 de março de 2012, em Corumbá, município que fica a 444 quilômetros de Campo Grande.

A vítima foi encontrada na noite de 22/03 em um matagal, próximo à BR-262, no bairro Maria Leite,em Corumbá. Uma moradora da região havia acionado a polícia e contado que viu pés estirados no local. 
 
De acordo com a Polícia Militar (PM) a menina estava sem as roupas da parte de baixo e com a blusa aberta na região dos seios. Um suspeito foi detido nas proximidades do local ainda na noite que o corpo foi encontrado, mas foi liberado. De acordo com a delegada, Priscila Anuda Quarti Vieira, não houve provas que o ligassem ao crime.
 
A delegada Priscila Anuda Quarti Vieira, titular da Delegacia de Atendimento à Infância, Juventude e Idoso (DAIJI) apresentou na manhã de sábado, 24 de março de 2012, à imprensa, Leandro de Oliveira, 20 anos, conhecido pelo apelido de Diego, acusado de estuprar e matar Françoise Steffani Silva de Oliveira, 12 anos, na quinta-feira, 22 de março. A prisão ocorreu na sexta-feira, 23. É o mesmo homem que havia sido detido como suspeito logo após os policiais terem encontrado o corpo. Naquela ocasião, ele e uma irmã é que informaram a Polícia Militar, pelo telefone 190, terem "encontrado um corpo".
 
"Ele afirmou que há tempos observava a Steffani, pois a avó dela mora na mesma rua em que ele morava com a esposa, em Ladário e que no dia do crime, encontrou um ‘momento oportuno'. Leandro relatou que viu Steffani retornando de uma mercearia próxima à casa da mãe, no bairro Popular Velha, e de uso de ameaça - ele não confirma se utilizou faca, revólver, mas diz que a ameaçou -, a colocou em sua bicicleta, seguiu pela rua Gaturama, chegou ao matagal, a arrastou para dentro de uma trilha e disse dessa forma: ‘caí para cima dela e a estuprei', relatou a delegada Priscila Vieira.
 
Leandro tem histórico de antecedentes criminais, como várias passagens policiais quando menor de idade, além de estar respondendo por outra acusação de abuso sexual a uma criança de 4 anos de idade, em Ladário. O caso, foi registrado há cerca de 2 anos, porém, de acordo com a delegada não há evidencias que comprovem realmente que ele tenha realizado a conjunção carnal com a criança. A vítima, neste caso é sua enteada.
 
Leandro poderá pegar até 30 anos de prisão, pois ele responderá por estupro qualificado pela morte. Ele vai ser encaminhado ao presídio masculino de Corumbá. 
 


Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)






Roseli Cardoso em 12/05/2013 20:44
VAGABUNDO MALDITO uma crianca com 12 anos com tanta mulher na rua pena de morte nesse brasil para casos ediondos

Rosilene Maria da Silva João Roberto Amorim Soares Alexandre Menezes dos Santos Vagner Luiz Lopes de Sa Taiane Monteiro de Lima Danillo Lopes Barros Pinto Anderson Silva de Oliveira Júnior Jácomo Lima Bonapace Patricia Leal dos Santos Danilo Ryden Viana Merlini Nicollas Maciel Franco Vitor Gurman Jeferson Iotti William da Silva Castro Alves Pedro Augusto Santos Prates Beltrão Kamille Karoline da Cunha Pauxis de Souza Maria Vitória Oliveira de Souza Eduardo Antônio Lara Carlos Eduardo Mendes de Jesus Emelly Ketlen Ferrari Campos Luis Paulo Oliveira Barbosa
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS