Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Renata Aparecida Leite (Assassinato)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 30/01/2012

Localização: Governador Valadares (MG)

Data de Nascimento: 00/00/1986 (31 anos)

Sexo: Feminino Feminino
 
Renata Aparecida Leite, 26 anos, foi encontrada morta no dia 31 de janeiro de 2011 num matagal, na cidade de Governador Valadares-MG.
 
O corpo da calelereira Renata Aparecida Leite foi encontrado no fim da manhã de 31/01 pela Polícia Militar na Travessa Industrial, próximo a Chácara Paraíso, em um loteamento na localidade rural conhecida como Córrego do Jacarandá. O corpo da vítima tinha três perfurações feitas por arma de fogo e outras diversas por golpe de faca.
 
O corpo foi removido para o Instituto Médico Legal (IML) de Governador Valadares e na quarta-feira (1º), liberado para o sepultamento em São Geraldo de Tumiritinga, cidade natal da vítima, onde residem seus familiares.
 
Com o homicídio da cabelereira, a Polícia Civil quer saber agora onde está a filha dela, Nívia Victoria Leite, de apenas dois anos, que até o momento está desaparecida. A informação de que a criança estava com a mãe no momento do crime não foi confirmada pela PC, que já abriu um inquérito para investigar o caso e trabalha com mais de uma linha de investigação.
 
Segundo informações de populares, Renata Leite já teve envolvimento com drogas no passado, mas há algum tempo não se envolvia mais. Outra pessoa que não quis se identificar chegou a afirmar que ela teria sido presa por dois anos por tráfico de drogas, em Conselheiro Pena. Atualmente Renata seria proprietária de um salão de beleza no Distrito Industrial, aqui em Valadares.
 
Mãe e filha moravam com um amigo de Renata Aparecida Leite, mas a família da mulher era natural de Tumiritinga, cidade vizinha a Valadares. 
 
Segundo os delegados Clériston Lopes de Amorim e Vinícius Sampaio da Costa, das Delegacias de Pessoas Desaparecidadas e de Homicídios, que estão atuando juntos na solução do caso, informaram que familiares e testemunhas ainda estão sendo ouvidos, e já há algumas pistas, as quais ainda não podem ser detalhadas.
 
De acordo com o delegado Vinícius, o caso é complexo, a Delegacia de Homicidios junto com a Delegacia de Pessoas Desaparecidas está trabalhando no sentido de duas linhas, apurando o homicídio e na tentativa de localizar a criança que está desaparecida. “Temos também várias linhas de investigações. Nesse primeiro momento nós não descartamos suspeitos, pessoas que tinham relacionamento com a vítima, pessoas que poderiam ter interesse na morte dela [Renata] e no desaparecimento da criança [Nívea]”, declara.   

A Polícia Civil pede a quem tiver informações que ligue para os telefones 181 (Disque Denúncia) e 197 (Central de Operações).

A polícia já tem um suspeito pelo sumiço da menina Nívea Victória Leite, de 2 anos, e pelo homicídio da mãe dela, Renata Aparecida Leite, de 26. O delegado Clériston Lopes de Amorim, da delegacia de Homicídios de Governador Valadares, na Região do Rio Doce, informou que o homem, que está sendo procurado, morava na casa da vítima há mais de dois anos. Ele já tem quatro mandados de prisão em seu desfavor.

Gilmar Alves dos Santos, de 42, chegou a dar depoimentos à polícia, mas com um nome falso. “Conversamos com ele, mas o depoimento não contribuiu para nada. Aqui em Governador Valadares ele se apresentava como Rodrigo e apenas agora descobrimos o nome verdadeiro dele”, afirma o delegado Clériston Lopes
 
Um suspeito do crime chegou a ser preso, mas deve ser solto nos próximos dias. “Pedimos a prisão temporária de 10 dias para ele, que vence ainda esta semana. Vamos avaliar para ver se ele teve participação no crime e se vamos pedir a manutenção da prisão”, afirma o delegado.
 
Os policiais intensificaram as buscas por Gilmar Alves. Um mandado de prisão temporária já foi expedido contra ele. “Já fizemos várias diligências em cidades do Vale do Aço, Região do Mucuri e até em Belo Horizonte, mas não o encontramos”, diz Clériston Lopes.

Carla Vanessa Henrique, tia da criança, se desesperou ao falar da sobrinha e da irmã

Renata Aparecida Leite, 26 anos, foi encontrada morta no dia 31 de janeiro de 2011 num matagal, na cidade de Governador Valadares-MG.
 
O corpo da calelereira Renata Aparecida Leite foi encontrado no fim da manhã de 31/01 pela Polícia Militar na Travessa Industrial, próximo a Chácara Paraíso, em um loteamento na localidade rural conhecida como Córrego do Jacarandá. O corpo da vítima tinha três perfurações feitas por arma de fogo e outras diversas por golpe de faca.

Com o homicídio da cabelereira, a Polícia Civil quer saber agora onde está a filha dela, Nívia Victoria Leite, de apenas dois anos, que até o momento está desaparecida. A informação de que a criança estava com a mãe no momento do crime não foi confirmada pela PC, que já abriu um inquérito para investigar o caso e trabalha com mais de uma linha de investigação.

Segundo informações de populares, Renata Leite já teve envolvimento com drogas no passado, mas há algum tempo não se envolvia mais. Outra pessoa que não quis se identificar chegou a afirmar que ela teria sido presa por dois anos por tráfico de drogas, em Conselheiro Pena. Atualmente Renata seria proprietária de um salão de beleza no Distrito Industrial, aqui em Valadares.
 
Mãe e filha moravam com um amigo de Renata Aparecida Leite, mas a família da mulher era natural de Tumiritinga, cidade vizinha a Valadares. 
 
Segundo os delegados Clériston Lopes de Amorim e Vinícius Sampaio da Costa, das Delegacias de Pessoas Desaparecidadas e de Homicídios, que estão atuando juntos na solução do caso, informaram que familiares e testemunhas ainda estão sendo ouvidos, e já há algumas pistas, as quais ainda não podem ser detalhadas.
 
De acordo com o delegado Vinícius, o caso é complexo, a Delegacia de Homicidios junto com a Delegacia de Pessoas Desaparecidas está trabalhando no sentido de duas linhas, apurando o homicídio e na tentativa de localizar a criança que está desaparecida. “Temos também várias linhas de investigações. Nesse primeiro momento nós não descartamos suspeitos, pessoas que tinham relacionamento com a vítima, pessoas que poderiam ter interesse na morte dela [Renata] e no desaparecimento da criança [Nívea]”, declara.   

A Polícia Civil pede a quem tiver informações que ligue para os telefones 181 (Disque Denúncia) e 197 (Central de Operações).

A polícia já tem um suspeito pelo sumiço da menina Nívea Victória Leite, de 2 anos, e pelo homicídio da mãe dela, Renata Aparecida Leite, de 26. O delegado Clériston Lopes de Amorim, da delegacia de Homicídios de Governador Valadares, na Região do Rio Doce, informou que o homem, que está sendo procurado, morava na casa da vítima há mais de dois anos. Ele já tem quatro mandados de prisão em seu desfavor.

Gilmar Alves dos Santos, de 42, chegou a dar depoimentos à polícia, mas com um nome falso. “Conversamos com ele, mas o depoimento não contribuiu para nada. Aqui em Governador Valadares ele se apresentava como Rodrigo e apenas agora descobrimos o nome verdadeiro dele”, afirma o delegado Clériston Lopes
 
Um suspeito do crime chegou a ser preso, mas deve ser solto nos próximos dias. “Pedimos a prisão temporária de 10 dias para ele, que vence ainda esta semana. Vamos avaliar para ver se ele teve participação no crime e se vamos pedir a manutenção da prisão”, afirma o delegado.
 
Os policiais intensificaram as buscas por Gilmar Alves. Um mandado de prisão temporária já foi expedido contra ele. “Já fizemos várias diligências em cidades do Vale do Aço, Região do Mucuri e até em Belo Horizonte, mas não o encontramos”, diz Clériston Lopes.

 



Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)






Selma Fermino em 09/03/2012 23:37
Ainda não encontraram a menina Nívea Vitória?


Jhonatan em 22/02/2012 16:53
pra mim isso foi uma pouca vergonha e uma safadeza que fizerao com a renatinha pois ela tinha um bom coração se ela foi presa por algum erro saibão que ela pago e nao devia mais nada a ninguem

Aracy Mendonça Da Silva Leopardi Emerson Luis Marques Goularte Rodrigo Paulo Neves Cardoso Amaro Tavares da Silva Nívea Victória Leite Wanderson Lucio Amaral Bruno Gitahy Zagootho Michellyne Rocha Araújo Paulo Cesar Fonteles de Lima Caíque Müller de Oliveira Santana Kauê Abreu dos Santos Alana Ezequiel Alex Damaceno de Souza Francisco Ferreira Oliveira Neto Fernanda Lages Veras Palmerina Pires Ribeiro Liliane de Assis Lopes Kaio Lucas Garcia Negris Thiago do Nascimento Braz Cauane Borges da Silva Fábio Paulus
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS