Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Kaio César Alves Muniz Ribeiro (Trânsito)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 18/11/2011

Localização: Campinas (SP)

Data de Nascimento: 00/00/1988 (23 anos)

Data de Falecimento: 18/11/2011

Sexo: Masculino Masculino
 

Kaio César Alves Muniz Ribeiro, 23 anos, morreu ao ser atropelado por um Audi A3 que perdeu o controle durante um racha na madrugada de 18 de novembro de 2011 em Campinas, no interior de São Paulo

A morte do professor de jiu-jítsu Kaio César Alves Muniz Ribeiro, deixou amigos e parentes inconformados. Na casa onde ele vivia com a mãe, os avós e as irmãs, os amigos tentavam consolar a família. Ribeiro voltava da casa da namorada, Bruna Helena dos Santos Amaral, também de 23 anos, quando foi atingido.

O acidente aconteceu na Avenida Júlio Prestes, no bairro Taquaral. Segundo um policial militar que fazia ronda, um Audi e um Camaro seguiam em alta velocidade pouco antes da batida. A motorista do Audi perdeu o controle, subiu na calçada, acertou um orelhão e derrubou o portão de uma empresa. Kaio usava o telefone público no momento do acidente e foi arrastado por cinco metros. O impacto foi tão forte que um muro que separava a empresa de uma casa vizinha também foi destruído. Os motoristas dos carros de luxo envolvidos no acidente irão responder por homicídio doloso – quando há intenção de matar - e não terão direito a pagar fiança para serem soltos.
 
Os dois motorista envolvidos no racha foram presos. A empresária de 42 anos que dirigia o Audi A3 foi para a Cadeia Feminina de Paulínia, SP. O empresário de 32 anos que dirigia o Camaro está no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Campinas.
 
Os advogados dos empresários que provocaram a morte do lutador de jiu-jítsu Kaio César Alves Muniz Ribeiro entraram com pedido na Justiça na sexta-feira (18) para que os acusados respondam aos processos em liberdade. De acordo com a Polícia Civil de Campinas, eles disputavam um racha quando a empresária Adriane Aparecida Ignácio de Souza, de 42 anos, que conduzia um Audi A3, atropelou o jovem. O advogado da motorista nega que ela participasse de um racha.
 
O motorista do outro veículo, um Camaro, também está preso. Segundo a polícia, eles devem ser indiciados por homicídio doloso - quando se assume a responsabilidade de causar uma morte - e não estão sujeitos ao estabelecimento de fiança. Os advogados Antônio Godoy Maruca, que representa o motorista do Camaro, e Fabrício Costa Oliveira, defensor de Adriane, impetraram os habeas corpus na tarde de sexta.
 
Três peritos analisaram o local onde ocorreu o acidente. Eles fotografaram a área e recolheram as imagens de uma câmera de segurança do comércio, que registrou o momento da batida. O acidente aconteceu na Avenida Júlio Prestes, no bairro Taquaral.
Apenas a motorista do Audi aceitou fazer o teste do bafômetro, quatro horas após o acidente. Mesmo assim, o resultado foi de 0,42 mg/l de sangue, acima do permitido por lei - 0,3 mg/l. O laudo sobre uma eventual embriaguez do motorista do Camaro ainda não foi concluído - ele se recusou a realizar o teste do bafômetro ou exame de sangue.
 
Kaio era atleta da Federação do Estado de São Paulo de Jiu-Jítsu. Ele era vice-campeão brasileiro e campeão paulista na categoria adulto, faixa marrom. No fim de semana, ele iria participar de uma competição em Mogi Guaçu, no interior do estado.
Em uma de suas páginas de relacionamento na internet, Kaio, que aparece ao lado da namorada, comentou a sua boa fase de vida.
 
O velório do lutador de jiu-jítsu ocorreu na tarde de sexta (18/11) no Cemitério da Saudade, em Campinas, e o enterro foi as 8h30 do sábado (19).
 
Tribunal de Justiça adiou a data para 17 de outubro de 2012 para perito se pronunciar.
 
De acordo com a assessoria do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), a data da sessão foi transferida do dia 8 de agosto para 17 de outubro, por uma questão processual. "O perito criminal ainda terá de se manifestar nos autos", informa a nota.
 
Em março de 2013 MP anunciou que pedirá júri popular para acusados de matar lutador de jiu-jítsu em racha 
 
"Temos provas tranquilas para que este caso vá para júri popular", resumiu o promotor de Justiça de Campinas (SP) Fernando Viana sobre a acusação de que o empreiteiro Fabrício Narciso Rodrigues da Silva e a empresária Adriane Aparecida Pereira Diniz Ignácio de Souza participaram de um racha que terminou com a morte do lutador de jiu-jítsu Kaio Muniz Ribeiro
 
Quem bebe, dirige e mata, deve ir para a cadeia: http://www.NaoFoiAcidente.com.br
 
Por Sandra Domingues, com informações do G1, EPTV e Jornal da Tarde

Audi que atropelou o jovem Kaio César Alves Muniz Ribeiro foi levado para um pátio de veículos de Campinas (Foto: Juliana Cardilli/G1)

Kaio voltava da casa da namorada quando foi atropelado (Foto: Juliana Cardilli/G1)

Camaro que participava de racha também foi apreendido (Foto: Juliana Cardilli/G1)

Airbags do Audi foram acionados com o impacto da colisão (Foto: Juliana Cardilli/G1)

Local onde o lutador de jiu-jítsu foi atropelado na madrugada de 18/11/2011. (Foto: Juliana Cardilli/G1)

Enterro do lutador de jiu-jítsu Kaio César Alves na manhã de sábado (19/11) em Campinas (Foto: Denny Cesare/Futura Press)

Kaio César Alves Muniz Ribeiro, 23 anos, morreu ao ser atropelado por um Audi A3 que perdeu o controle durante um racha na madrugada de 18 de novembro de 2011 em Campinas, no interior de São Paulo

O acidente aconteceu na Avenida Júlio Prestes, no bairro Taquaral. Segundo um policial militar que fazia ronda, um Audi e um Camaro seguiam em alta velocidade pouco antes da batida. A motorista do Audi perdeu o controle, subiu na calçada, acertou um orelhão e derrubou o portão de uma empresa. Kaiousava o telefone público no momento do acidente e foi arrastado por cinco metros. O impacto foi tão forte que um muro que separava a empresa de uma casa vizinha também foi destruído. Os motoristas dos carros de luxo envolvidos no acidente irão responder por homicídio doloso – quando há intenção de matar - e não terão direito a pagar fiança para serem soltos.

Os dois motorista envolvidos no racha foram presos. A empresária de 42 anos que dirigia o Audi A3 foi para a Cadeia Feminina de Paulínia, SP. O empresário de 32 anos que dirigia o Camaro está no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Campinas.

Os advogados dos empresários que provocaram a morte do lutador de jiu-jítsu Kaio César Alves Muniz Ribeiro entraram com pedido na Justiça na sexta-feira (18) para que os acusados respondam aos processos em liberdade. De acordo com a Polícia Civil de Campinas, eles disputavam um racha quando a empresária Adriane Aparecida Ignácio de Souza, de 42 anos, que conduzia um Audi A3, atropelou o jovem. O advogado da motorista nega que ela participasse de um racha.
 
O motorista do outro veículo, um Camaro, também está preso. Segundo a polícia, eles devem ser indiciados por homicídio doloso - quando se assume a responsabilidade de causar uma morte - e não estão sujeitos ao estabelecimento de fiança. Os advogados Antônio Godoy Maruca, que representa o motorista do Camaro, e Fabrício Costa Oliveira, defensor de Adriane, impetraram os habeas corpus na tarde de sexta.
 
Kaio era atleta da Federação do Estado de São Paulo de Jiu-Jítsu. Ele era vice-campeão brasileiro e campeão paulista na categoria adulto, faixa marrom. No fim de semana, ele iria participar de uma competição em Mogi Guaçu, no interior do estado.
 
Em março de 2013 MP anunciou que pedirá júri popular para acusados de matar lutador de jiu-jítsu em racha 
 
"Temos provas tranquilas para que este caso vá para júri popular", resumiu o promotor de Justiça de Campinas (SP) Fernando Viana sobre a acusação de que o empreiteiro Fabrício Narciso Rodrigues da Silva e a empresária Adriane Aparecida Pereira Diniz Ignácio de Souza participaram de um racha que terminou com a morte do lutador de jiu-jítsu Kaio Muniz Ribeiro
 
Por Sandra Domingues, com informações do G1, EPTV e Jornal da Tarde


Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)






Cicero Junior em 17/03/2012 00:49
Saudades. Ser amigo é para sempre, como eterno é o nosso Deus. Como amigo nós diremos "até breve" e "não adeus" R.I.P. KCAMR

Carlos Murilo de Almeida Danghlie Vieira de Andrade Cleonice Marinho de Araújo Marcelo Castelo Branco Iudice Jacqueline Ruas Edgar Pacha Quintela Alcides do Nascimento Lins Sônia Regina de Oliveira Eveline Moreti Soares  Pedro Lucas Barreto da Conceição Mariele da Silva Araújo Jamile de Castro Nascimento Kérsia Maia Porto Amorim Arthur Lourenço Alcaide Miquelan Giovani Schiller Balau Sara Borges Rocha Bruno Soares e Silva Cadela Preta Diego Gonçalves Carvalho Daniel Carrilho Evaristo Caíque Müller de Oliveira Santana
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS