Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Thayna de Oliveira (Assassinato)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 09/11/2011

Localização: São Paulo (SP)

Data de Nascimento: 00/00/1995 (16 anos)

Data de Falecimento: 09/11/2011

Sexo: Feminino Feminino
 

A estudante Thayna Oliveira, de 16 anos, foi encontrada morta na noite de 09 de novembro de 2011, num conjunto habitacional popular no bairro do Campo Limpo, na Zona Sul da capital paulista. 

Uma hora após receber um telefonema misterioso no celular e sair de casa às pressas,  Thayna de Oliveira foi encontrada morta no Campo Limpo, zona sul de São Paulo. A polícia acredita que o assassino pode ter sido um homem que a adolescente conheceu em um site de relacionamento na internet. O corpo da vítima tinha sinais de estrangulamento e hematomas.

A família de Thayna conta que ela era uma menina sossegada, caseira e só saía de casa para estudar e participar de cultos religiosos na igreja Assembleia de Deus. Às 17h de quarta-feira (09/11), uma mulher fazia caminhada pela Rua Antonio Canuti e viu um Kadett com Thayna e um homem. No banco de trás havia dois pedaços de corda. A mulher seguiu em frente por achar que se tratava apenas de mais um casal namorando no carro.

Quando passou novamente pelo local viu o corpo da adolescente já na calçada. A menina estava com calça jeans e uma miniblusa rosa. Além da corda perto do corpo, também foi achada uma segunda corda amarrada no poste.

Um dos vizinhos da vítima, que pediu para não ser identificado, disse que conhece a família. Ele contou que Thayna tinha o costume de usar sites de relacionamento e bater papos pela internet. Na tarde do crime, a menina estava no computador quando recebeu no celular, segundo parentes, um telefonema com número restrito.

Em seguida, sem falar nada para os irmãos que estavam em casa, ela saiu usando chinelos e não voltou mais.

A mãe da jovem, a garçonete Marinete Martins de Oliveira, de 40 anos, esteve no 37º Distrito Policial (Campo Limpo) e disse em depoimento que a filha era de boa índole, obediente e jamais usou drogas. A mãe não soube dizer por que a filha saiu sozinha. De acordo com Marinete, os únicos amigos da jovem eram colegas da igreja do bairro. A mãe admitiu que a filha utilizava sites de relacionamento, mas não conhecia quem eram seus amigos virtuais.

O delegado Maurício Guimarães Soares, da Divisão de Homicídios do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), disse que o computador da menina e um celular foram apreendidos para auxiliar na investigação. “Nada está descartado, mas como existe o fato de que ela teria marcado um encontro pelos sites, vamos apurar”, afirmou.

Guimarães disse que encontros na net são perigosos e podem acabar em crime. O caso será acompanhado pela Equipe Especial de Investigação de Crimes contra Criança e Adolescente do DHPP. Ontem, quatro pessoas foram ouvidas pelos policiais.

A ONG SaferNet Brasil alerta que as pessoas podem fantasiar e mentir em salas de bate-papo para tentar ganhar confiança e prestígio de quem está do outro lado do computador. Além disso, jamais encontre amigos virtuais sem autorização da família.

O delegado Jorge Carrasco, diretor do DHPP, disse em entrevista no dia 10/11 que, “aparentemente”, não havia sinais de violência sexual na vítima. Uma das hipóteses é que ela tenha ido se encontrar com uma pessoa depois de marcar um encontro pela internet.

“Possivelmente, ela foi morta por estrangulamento. Havia sinais na região do pescoço e um cordão (de tapeçaria) próximo ao corpo”, contou a delegada Cintia Tucunduva, titular da Delegacia de Homicídio Contra a Criança e o Adolescente.
 
A polícia espera o laudo do Instituto Médico-Legal para ter certeza da causa da morte e se houve violência sexual. Cintia e Carrasco informaram que já têm indícios da motivação do crime, mas não os revelaram com o argumento de que poderiam atrapalhar as investigações.

G1

A estudante Thayna Oliveira, de 16 anos, foi encontrada morta na noite de 09 de novembro de 2011, num conjunto habitacional popular no bairro do Campo Limpo, na Zona Sul da capital paulista. 

Uma hora após receber um telefonema misterioso no celular e sair de casa às pressas,  Thayna de Oliveira foi encontrada morta no Campo Limpo, zona sul de São Paulo. A polícia acredita que o assassino pode ter sido um homem que a adolescente conheceu em um site de relacionamento na internet. O corpo da vítima tinha sinais de estrangulamento e hematomas.

O delegado Jorge Carrasco, diretor do DHPP, disse em entrevista no dia 10/11 que, “aparentemente”, não havia sinais de violência sexual na vítima. Uma das hipóteses é que ela tenha ido se encontrar com uma pessoa depois de marcar um encontro pela internet.

“Possivelmente, ela foi morta por estrangulamento. Havia sinais na região do pescoço e um cordão (de tapeçaria) próximo ao corpo”, contou a delegada Cintia Tucunduva, titular da Delegacia de Homicídio Contra a Criança e o Adolescente. 
 
A polícia espera o laudo do Instituto Médico-Legal para ter certeza da causa da morte e se houve violência sexual. Cintia e Carrasco informaram que já têm indícios da motivação do crime, mas não os revelaram com o argumento de que poderiam atrapalhar as investigações.


Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)






Camila em 03/02/2013 03:02
É muito triste ver este caso parado! o assassino continua solto

Ricardo Wagner Léslis Silva Luciana Gonçalves de Novaes Maria Tatiana Barros de Oliveira Michele Amorim Lopes Ana Lucia Monteiro de Castro Felipe Leite Castilho Magda Aparecida Galasso Gomes Rafael de Jesus Jonathan Felipe dos Santos Suênia Souza Faria Mariana Rocha de Souza Rafael Mascarenhas Jeferson Iotti Carlos Magno Oliveira Hozana Rodrigues Kerolly Alves Lopes Kelly dos Santos Benincaza  Felipe Wellington da Silva Cruz Cristiane Souza Leite Eliza Silva Samudio Kauê Abreu dos Santos
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS