Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Renan Rodrigues da Silva (Assassinato)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 03/11/2011

Localização: São Paulo (SP)

Data de Nascimento: 03/11/2009 (2 anos)

Data de Falecimento: 03/11/2011

Sexo: Masculino Masculino
 

Renan Rodrigues da Silva, de apenas dois anos, foi encontrado morto e com o rosto desfigurado junto ao meio fio na Vila Marieta, na zona leste de São Paulo, no dia 03 de novembro de 2011. Quem encontrou o corpo, na rua José Iran Ferreira Filho, foi o vigilante que passava pelo local. O menino tinha sinais de pancadas e as calças estavam abaixadas. Segundo delegado, não houve abuso sexual.

Depois de ser pego pela polícia, o pai do garoto confessou que matou o filho. Segundo Renato Batista de Oliveira, delegado do 24º DP responsável  pelo caso, ele relatou problemas com drogas como cocaína e disse estar passando por problemas com a ex-mulher.

Renato Madeira da Silva, 30 anos, foi encontrado pela polícia na casa de uma tia, na zona leste de São Paulo, na sexta-feira (04/11/2011). Ao ser abordado pela equipe, não reagiu e disse que tinha sido vítima de um sequestro. Mais tarde, diante das provas, acabou confessando o crime. 

Segundo a polícia, no, 30/10/2011, o garoto havia sido entregue ao pai para comemorar seu aniversário com o avô paterno - o menino morava com a mãe em um conjunto habitacional em Itapevi (Grande São Paulo).
 
O carro do pai, um Siena vermelho, foi localizado em uma rua na Ponte Rasa, também na zona leste, por volta das 16 horas. Nele havia uma cadeirinha para transporte de crianças com manchas de sangue, uma bicicleta,uma camiseta infantil e um pedaço de pau.
 
O autônomo Renato Madeira da Silva estava com a roupa suja de sangue quando foi localizado pela polícia. Primeiramente, ele alegou que bandidos o assaltaram e o colocaram no porta-malas de seu carro, onde teria ficado até a tarde de quinta-feira.
 
Mas a polícia conseguiu imagens de câmeras de circuito interno de residências e estabelecimentos comerciais que mostram outra versão. “Meio-dia o carro já havia sido localizado. E moradores nos contaram que o veículo estava ali desde a parte da manhã. Com essas provas, ele não resistiu e confessou”, disse o delegado José Francisco.
 
Segundo ele, quando Renato começou a detalhar o crime, o pai dele, Sidnei, saiu da sala, incrédulo. O avô paterno havia dado dinheiro ao filho para que comprasse uma bicicleta a Renan. O brinquedo ficou no carro onde o menino foi morto.
 
"Renato alegou que estava psicótico pelo uso excessivo de cocaína e bebida alcoólica e  matou o menino porque ele causava muito transtorno", revelou o delegado José Francisco Rodrigues Filho, titular do 24º Distrito Policial (Ermelino Matarazzo).
 
Segundo a polícia, Renato disse que consumiu cocaína e bebida alcoólica antes, durante e depois da festa de aniversário do filho, comemorada na casa da mãe de Renan, em Itapevi, na Grande São Paulo. Quando levava o garoto para passar o dia seguinte em sua casa, teve um surto.
 
O caso será investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e foi registrado pelo delegado Rogério Zuim Uehara.
O suspeito permanecerá no DP até que a polícia decida em que local ele será transferido.

Autônomo Renato Madeira, na delegacia, após confessar que matou o filho, Renan Rodrigues da Silva, de apenas 2 anos

Renan Rodrigues da Silva, de apenas dois anos, foi encontrado morto e com o rosto desfigurado junto ao meio fio na Vila Marieta, na zona leste de São Paulo, no dia 03 de novembro de 2011. Quem encontrou o corpo, na rua José Iran Ferreira Filho, foi o vigilante que passava pelo local. O menino tinha sinais de pancadas e as calças estavam abaixadas. Segundo delegado, não houve abuso sexual.

Depois de ser pego pela polícia, o pai do garoto confessou que matou o filho. Segundo Renato Batista de Oliveira, delegado do 24º DP responsável  pelo caso, ele relatou problemas com drogas como cocaína e disse estar passando por problemas com a ex-mulher.

Renato Madeira da Silva, 30 anos, foi encontrado pela polícia na casa de uma tia, na zona leste de São Paulo, na sexta-feira (04/11/2011). Ao ser abordado pela equipe, não reagiu e disse que tinha sido vítima de um sequestro.

Mais tarde, diante das provas, acabou confessando o crime. O suspeito permanecerá no DP até que a polícia decida em que local ele será transferido.



Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)






Evelin em 02/04/2013 22:58
O mundo está ficando cada vez pior. Será o final dos tempos? O pai do assassino deve sentir uma dor dupla: a perda do neto e a culpabilidade do filho. Que horror.


Célia em 07/11/2011 08:20
Mais lágrimas,mais uma Mãe na Dor. Parabéns ao avó pela atitude a vC todo nosso carinho. Agora resta esperar da JUSTIÇA,quem vai pagar por esse crime???


Sandra Domingues em 06/11/2011 17:48
A esse avô nossa solidariedade! Ele não passou a mão na cabeça do filho assassino e dê certo assim como nós, ainda que lhe doa na alma, deve querer que o filho pague pela monstruosidade praticada contra a vida do seu pequeno neto. Esse pai (avô do pequeno assassinado) é digno de Solidariedade!!!!

Marcelo Henrique Prade Igor Leonardo Lacerda Xavier Jeferson Iotti Valdir Marques Paulo Roberto Rosal Filho  Anastácio Cassaro Lucas da Luz Alves Paulo Cesar Fonteles de Lima Rafael Macedo Vieira Michelle Domingos da Silva Veruska Prado de Jesus Danghlie Vieira de Andrade Luiz Paulo Viola Ana Carolina Salvador Custódio Elson Melo Daniela Cristina Costa Nery Amanda Glívia Vale Daiana Silva Ramos Juliana Pereira da Silva Gil Melo Sicuro Edson Roberto Domingues
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS