Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Renata Novaes Pinto (Assassinato)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 06/11/2008

Localização: São Paulo (SP)

Data de Nascimento: 00/00/1964 (44 anos)

Data de Falecimento: 06/11/2008

Sexo: Feminino Feminino
 

A psicóloga Renata Novaes Pinto, 44 anos, foi morta com três tiros quando chegava em casa, no dia 08 de novembro de 2011.

Para a Polícia Civil, o crime foi encomendado e teve relação direta com a atividade profissional da vítima, que trabalhava na Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).
 
A suspeita era de que a mandante do crime, que não foi identificada, queria se vingar de orientações dadas a seu ex-marido, paciente da psicóloga.
 
A Justiça de São Paulo condenou na madrugada de terça-feira (25/10/2011) a mais de 20 anos de prisão os três acusados pela participação na morte da psicóloga Renata Novaes Pinto.
 
Após 15 horas de julgamento, o comerciante José Neudes Rodrigues do Prado --apontado como responsável por contratar pessoas para matar a psicóloga-- foi condenado a 23 anos de prisão e a pagar 10 dias-multa, fixados no piso mínimo legal.
 
João Nilton da Silva Moreira --que teria disparado os tiros contra a vítima-- foi condenado a 25 anos e oito meses de reclusão em regime fechado. Outro acusado Claudemir Rossi Marques --que teria conduzido a moto que levou Moreira até perto da psicóloga-- foi condenado a 22 anos e quatro meses.
 
O quarto acusado, o ex-PM Claudemir Macário dos Santos, ainda não tem data para ser levado a júri. Ele é apontado como o responsável por coordenar o assassinato.

A psicóloga Renata Novaes Pinto, 44 anos, foi morta com três tiros quando chegava em casa, no dia 08 de novembro de 2011.

Para a Polícia Civil, o crime foi encomendado e teve relação direta com a atividade profissional da vítima, que trabalhava na Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).
 
A Justiça de São Paulo condenou na madrugada de terça-feira (25/10/2011) a mais de 20 anos de prisão os três acusados pela participação na morte da psicóloga Renata Novaes Pinto.
 
Após 15 horas de julgamento, o comerciante José Neudes Rodrigues do Prado --apontado como responsável por contratar pessoas para matar a psicóloga-- foi condenado a 23 anos de prisão e a pagar 10 dias-multa, fixados no piso mínimo legal.
 
João Nilton da Silva Moreira --que teria disparado os tiros contra a vítima-- foi condenado a 25 anos e oito meses de reclusão em regime fechado. Outro acusado Claudemir Rossi Marques --que teria conduzido a moto que levou Moreira até perto da psicóloga-- foi condenado a 22 anos e quatro meses.
 
O quarto acusado, o ex-PM Claudemir Macário dos Santos, ainda não tem data para ser levado a júri. Ele é apontado como o responsável por coordenar o assassinato.


Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)






Cristina em 31/05/2012 11:41
Eu era amiga da Renata e não me conformo com a impunidade que reveste esse crime. Ela era um amor de pessoa. Para mim, tem crime político envolvido nessa história que precisa ser desvendada. Gostei da iniciativa. Pode contar comigo. Abraço, Cristina.

Eugênio Bozola Bruna Giovana De Siqueira Fontoura Renata Silva Monteiro Geisson Mauricio Negrello Viviane Alves Guimarães Wahbe Lore de Santana Vaz Ryan Alves Camargo Roberta Costa Dias Nayara Juliane Brandino  Tayná Adriane da Silva Fabrício Heron  Carlos Eduardo Lira dos Santos Rampini Thays Nascimento Martins Mariana Gonçalves de Souza Marcelo Ribeiro Kuczmarski Géssica Guedes Pereira Thayna de Oliveira Priscila Tavares Ramos Wellington Cardoso Ferreira Michel Ramos Costa Carlos Gustavo Russo
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS