Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Alex Damaceno de Souza (Trânsito)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 22/10/2011

Localização: São Paulo (SP)

Data de Nascimento: 00/00/1985 (26 anos)

Data de Falecimento: 22/10/2011

Sexo: Masculino Masculino
 

Alex Damaceno de Souza, 26 anos, foi um dos três garis atropelados na Marginal Pinheiros, em São Paulo. O acidente ocorreu por volta das 7h40, na pista expressa, sentido Interlagos, no acesso à Ponte Ary Torres, na região do Morumbi, no dia 22/10/2011.

O bancário de São Bernardo, Fernando Mirabelli, 32 anos, foi preso em flagrante por homicídio doloso, tentativa de homicídio e suspeita de embriaguez ao volante. Dirigindo um Toyota Hilux, carro de luxo, ele atropelou três garis, dois deles, Alex Damaceno de Souza, 26 anos e Roberto Pires de Jesus, 36 anos, morreram no local. A polícia não determinou fiança para que o motorista pudesse responder pelos crimes em liberdade.

Segundo o Corpo de Bombeiros, as vítimas eram ajudantes de jardinagem. Eles trabalhavam no local quando o motorista perdeu o controle da direção e invadiu o canteiro. O impacto foi tão grande que chegou a danificar um poste de sinalização.

O helicóptero Águia, da Polícia Militar, pousou na via para socorrer Ademir Abrantes Dantas, um dos garis que foi atropelado. Ademir passou por cirurgia no hospital Santa Marcelina no final da tarde. Segundo o hospital Santa Marcelina, Dantas passou por uma cirurgia no quadril e na perna. Ainda não há previsão de alta e o gari não corre risco de morrer.

Mirabelli foi levado para o 89ª DP (Portal do Morumbi), onde o caso foi registrado. O homem se recusou a passar pelo teste do bafômetro, mas, segundo o tenente da PM, Luís Gomes, o motorista apresentava sinais de embriaguez, como olhos avermelhados e fala pastosa. Além disso, foram encontradas garrafas de bebidas alcoólicas no veículo. Na delegacia, ele admitiu que voltava de uma balada, onde ingeriu bebida alcoólica, e seguia para casa da mãe, no Campo Belo, quando ocorreu o acidente.

O bancário foi levado ao Instituto Médico Legal. Lá, ele recusou-se a fazer o exame de dosagem alcoólica, mas passou por exame clínico. Em depoimento à polícia, testemunhas afirmaram que Mirabelli trafegava a mais de 120 km/h. O máximo permitido na via é 60 km/h.

Fernando Mirabelli foi indiciado por homicídio doloso. O policial afirmou que, logo depois do acidente, outras pessoas que estavam no local agrediram o motorista, que teve de ser socorrido pelos policiais.

O caso foi encaminhado para o 89° Distrito Policial. O bancário está na carceragem do DP e será transferido para o 91ºDP, que é uma delegacia de trânsito, informou a Secretaria de Segurança Pública.

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, disse estar inconformado com o acidente. A Prefeitura afirmou que dará apoio aos familiares das vítimas. "Eu quero aqui manifestar este inconformismo e me associar a todas as campanhas públicas e da sociedade que existem para que haja cada vez mais campanhas educativas, aplicação de penalidades rigorosas para aqueles que cometem este crime e dizer que a Prefeitura de São Paulo dará todo o apoio aos familiares destas três vítimas e decretará um voto de pesar no Diário Oficial na próxima edição. Estamos cada vez mais conscientes de como é importante criarmos mecanismos, em especial de legislação, que impeçam estas barbaridades", dizia a nota.

Foram enterrados na manhã de domingo (23/10) os corpos dos dois garis atropelados. Os sepultamentos ocorreram entre 10 e 11 horas no Cemitério Vila Nova Cachoeirinha, na zona norte da cidade. Parentes e amigos de Alex Damasceno de Souza e de Roberto Pires de Jesus acompanharam os cortejos.

“Meu irmão era o caçula. Estava irradiante com esse emprego. Estava trabalhando havia uma semana. Levou até o uniforme laranja para casa para minha mãe ver. Falou que os R$ 610 que iria ganhar eram para ajudar o filho dele, de 4 anos. Agora o que restou foi só a touca e a luva dele. Não entendo porque isso ocorreu, meu irmão era da paz, fã de reggae. Nunca fez mal a ninguém e vem um cara desses, bêbado, em alta velocidade e destrói a vida do meu irmão e da nossa família”, disse o bombeiro civil Ariomar Damasceno, 33, irmão de Alex."
 
O motorista da Hilux que atropelou e matou Alex Damaceno de Souza e Roberto Pires de Jesus foi solto no fim da manhã desta terça-feira. Ele estava preso no CDP (Centro de Detenção Provisória) do Belém (zona leste de SP), e pagou a fiança de R$ 50 mil estipulada pela Justiça. 
 
Fernando Mirabelli foi indiciado sob suspeita de homicídio doloso (quando há intenção de matar ou a pessoa assume o risco de que isso aconteça).
 
 

Por Rafael Baltresca

Pela memória de minha irmã Bruna Baltresca e mamãe Miriam, mude seu comportamento agora: NUNCA beba e dirija.

Ajude-me nesta campanha. Uma única latinha pode matar. Comece a conscientização dentro de casa. Fale com amigos e parentes.

Por favor, assine nossa petição pública online. Quem bebe, dirige e mata, deve ir para a cadeia: http://www.NaoFoiAcidente.com.br

Foto: Oslaim Brito/Futura Press

Motorista volta do IML, onde se recusou a fazer exame de dosagem alcoólica, para o 89º DP no sábado (Foto: Kleber Tomaz/G1)

Ariomar Damasceno, irmão de Alex Damaceno de Souza

Irmãos de Alex Damasceno carregam seu caixão (Fabio Braga/Folhapress)

Alex Damaceno de Souza, 26 anos, foi um dos três garis atropelados na Marginal Pinheiros, em São Paulo. O acidente ocorreu por volta das 7h40, na pista expressa, sentido Interlagos, no acesso à Ponte Ary Torres, na região do Morumbi, no dia 22/10/2011.

O bancário de São Bernardo, Fernando Mirabelli, 32 anos, foi preso em flagrante por homicídio doloso, tentativa de homicídio e suspeita de embriaguez ao volante. Dirigindo um Toyota Hilux, carro de luxo, ele atropelou três garis, dois deles, Alex Damaceno de Souza, 26 anos e Roberto Pires de Jesus, 36 anos, morreram no local. A polícia não determinou fiança para que o motorista pudesse responder pelos crimes em liberdade.
 
Fernando Mirabelli foi indiciado por homicídio doloso. 
 
O caso foi encaminhado para o 89° Distrito Policial. O bancário está na carceragem do DP e será transferido para o 91ºDP, que é uma delegacia de trânsito, informou a Secretaria de Segurança Pública.


Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)





André Penin Santos de Lima Andressa Victória de Sá Alves da Silva Jennifer Marion Nadja Kloker Marcos Monis Monteiro de Lima Brunno Zimmermann Kirsch Natália Marina De Carli Priscila Dias Furtado Maria Aparecida Fausta Ribeiro Silva Marcia Nascimento Gomes Dayane Silvestre Uliana Fábio Galhota Carla Adrielle Botelho Melo Vinícius Cesarino Daniel Víctor  de Bastos Galdino Jesus dos Santos Mariana Gonçalves de Souza Igor Desani da Silva Bárbara Guimarães Lopes Michael Mendes Rafael Mascarenhas Benoni Alencar
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS