Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Padre Wagner Rodolfo da Silva (Latrocínio)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 25/09/2003

Localização: São José dos Campos (SP)

Data de Nascimento: 20/08/1968 (35 anos)

Data de Falecimento: 25/09/2003

Sexo: Masculino Masculino
 

Padre Wagner Rodolfo da Silva, 35 anos, foi morto em 25 de setembro de 2003 depois de um assalto à casa paroquial no bairro Alto da Ponte, em São José. O corpo dele foi encontrado em Santa Isabel. 

Padre Wagner era de São José dos Campos foi levado pelos criminosos até uma estrada rural, entre Guararema e Santa Isabel. Ele estava acompanhado de outro padre, Manoel Serafim. Os acusados feriram os religiosos a facadas. O padre Wagner morreu no local e o padre Manoel ficou internado por uma semana na Santa Casa de Misericórdia da cidade.
 
Os dois padres de São José dos Campos desapareceram durante a madrugada, da casa paroquial, ao lado da igreja de São Benedito, no bairro Alto da Ponte, zona norte.
O primeiro a ser localizado foi o religioso Wagner Rodolfo da Silva que já estava morto. Padre Manoel Serafim Lima, 39 anos foi socorrido e operado no hospital da cidade.
 
Segundo informações da polícia, uma das hipóteses do crime seria o interesse dos ladrões no dinheiro de um bingo realizado na igreja em um domingo.
A polícia encontrou na casa dos dois religiosos sinais de arrombamento e manchas de sangue no quarto de um deles.
De acordo com a polícia, os ladrões teriam invadido a residência e agredido os religiosos . A principal hipótese dos policiais é que os religiosos tenham sido levados pelos ladrões em seus veículos, um Gol verde e um Corsa prata.
 
Segundo o delegado seccional de São José, Roberto Monteiro de Andrade Júnior, a principal hipótese é de roubo com retenção de vítima. 
Na época, ele afirmou que o caso não se configura como sequestro porque não foi pedido resgate.
 
A empregada dos religiosos chegou à casa e percebeu sinais de arrombamento na porta.
 
Ela ligou para Cúria Diocesana, que acionou os policiais. Segundo os fiéis da igreja São Benedito, os padres são homens bons e dedicados. 
A morte do padre Wagner e o estado grave de saúde do padre Manoel na época, provocou comoção no bairro. 
 
A busca por pistas mobilizou cerca de 40 policiais civis das delegacias seccionais de São José e Jacareí.
Eles fecharam ruas e vasculharam bairros. Uma equipe de seis policiais do DHPP (Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa) de São Paulo chegou a fazer uma perícia no Corsa.
 
O delegado seccional de Jacareí, Fábio de Carvalho Joaquim, disse que entre as hipóteses que estão sendo investigadas para o sumiço dos padres está uma suposta ligação com uma acusação feita contra o padre Manoel em março de 2001.
Quatro pessoas foram condenadas pelo crime, com pena de 31 anos de prisão por latrocínio, que é o roubo seguido de morte. 
Mas depois de um recurso da defesa, o Tribunal de Justiça determinou que seja feito um novo julgamento, entendendo que o caso tem a acusação de homicídio. 
 
Com a nova decisão do Tribunal de Justiça os acusados devem ir a júri popular. Mas ainda não há uma nova data para que o julgamento seja realizado.

Anderson Jucá de Freitas, 30 anos, condenado a 36 anos, um dos acusados de assassinar o Padre Wagner Rodolfo da Silva

Padre Wagner Rodolfo da Silva, 35 anos, foi morto em 25 de setembro de 2003 depois de um assalto à casa paroquial no bairro Alto da Ponte, em São José. O corpo dele foi encontrado em Santa Isabel. 

Padre Wagner era de São José dos Campos foi levado pelos criminosos até uma estrada rural, entre Guararema e Santa Isabel. Ele estava acompanhado de outro padre, Manoel Serafim. Os acusados feriram os religiosos a facadas. O padre Wagner morreu no local e o padre Manoel ficou internado por uma semana na Santa Casa de Misericórdia da cidade.
 
Quatro pessoas foram condenadas pelo crime, com pena de 31 anos de prisão por latrocínio, que é o roubo seguido de morte. 
 
Mas depois de um recurso da defesa, o Tribunal de Justiça determinou que seja feito um novo julgamento, entendendo que o caso tem a acusação de homicídio. 
 
Com a nova decisão do Tribunal de Justiça os acusados devem ir a júri popular. Mas ainda não há uma nova data para que o julgamento seja realizado.


Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)






Antonio Paulo em 31/05/2014 18:10
Esta história está muito mal contada.Ninguém tira da minha cabeça que o padre Manoel é o pivô dessa tragédia que envolveu o querido padre Wagner.O padre Manoel sempre foi um padre manjado.O pior que a diocese abafou o verdadeiro motivo da tragédia.E deram um "sumiço" no padre Manoel.Como seria bom que esse padre viesse celebrar uma missa aqui no Alto da Ponte,para responder umas perguntinhas.

Daiana Silva Ramos Juliana Pereira da Silva Marcela da Silva Xavier Matheus Favaro Freire Nísio Gomes Polyanna Arruda Borges Leopoldino Alaélcio Pereira de Araújo Simone de Campos Gomes Meira Fernandes Luis Gustavo de Melo Barbosa Evandro Ramos Caetano Flávio dos Santos Borges Núbia Glenda Ferreira da Silva Mariele da Silva Araújo William dos Santos Tábata Conrado Wesley Guilber de Andrade Púbio Theodoro de Sousa Pérola Bichara Benjamin Simone Maria Otaviano de Souza Marcos Monis Monteiro de Lima Willian de Souza Marins
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS