Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Diego Hernandez Madruga da Silva (Assassinato)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 16/05/2011

Localização: Sorocaba (SP)

Data de Nascimento: 01/11/1988 (22 anos)

Data de Falecimento: 16/05/2011

Sexo: Masculino Masculino
 

Por Ana Madruga

Meu filho, Diego Hernandez Madruga da Silva, foi brutalmente assassinado aos 22 anos de idade, com um tiro a queima roupa no rosto.

Seu corpo foi jogado num barranco com mais de 10 metros de altura. Os bombeiros tiveram que fazer rapel para retira-lo de lá, sendo içado, amarrado pelos pés, num caixão de lata. Morreu agarrado ao presente que trouxe para a filha de 4 anos..um agasalho do Santos, seu time do coração.
Seus assassinos continuam impunes, apesar de tantas denuncias recebidas através do 181.
Mudei de cidade, vendi minha casa e minha loja a preço de banana, porque, além de ter que enfrentar a dor insuportável que é perder um filho, ainda era obrigada a conviver com a impunidade. Via seus assassinos regularmente, andando livremente, indo a festas enquanto, minha neta chorava agarrada as roupas do pai, dizendo que não queria o pai dela no ceu, que queria ele o tempo todo com ela.
Que pais é esse, onde os assassinos matam, destrroem uma família inteira e a polícia não consegue prender pq as leis são totalmente a favor dos bandidos?
Me pergunto aonde estava o pessoal dos direitos humanos quando meu filho foi morto com tamanha cueldade e covardia? Onde eles estavam quando eu fui reconhecer seu corpo? Onde eles estavam que não enxugaram as lágrimas da minha neta? Até quando, meu Deus, teremos que conviver com tanta impunidade?!

Do ocorrido

O corpo de Diego Hernandes Madruga da Silva, 22 anos, foi encontrado na manhã do dia 16/09/2011 com três perfurações de tiro no rosto. O jovem vestia uniforme do Santos e, a julgar pelo estado, teria sido morto cerca de 12 horas antes de ser encontrado, o que leva a polícia a trabalhar com a hipótese de ele ter sido executado  em decorrência de algum desentendimento durante a final do Campeonato Paulista, que envolveu Santos e Corinthians, no domingo (15/09).

O corpo de Diego estava em um local de difícil acesso, próximo a um riacho no bairro Santa Helena. Uma pessoa que passava pela rua Fernando Rogick Vieira, na manhã de segunda-feira (16/09),  viu cápsulas calibre 765 deflagradas e um rastro de gotas de sangue em direção à área verde onde o cadáver estava.

Resgate complicado / A polícia precisou da ajuda de bombeiros para resgatar o corpo. Eles utilizaram equipamento  de rapel para descer a ribanceira que leva ao riacho. O cadáver  foi colocado em um caixão metálico e amarrado pelos pés para ser içado. Foram necessários cinco homens para puxá-lo ladeira acima.

Só com o corpo resgatado os peritos da Polícia Científica verificaram quantos tiros o atingiram. Os disparos estavam concentrados na região do nariz. Ao redor de uma das perfurações havia sinal de queimadura, o que indica que pelo menos um dos tiros foi efetuado à queima-roupa. “É uma execução clara. Provavelmente dois disparos foram feitos a uma distância maior e o terceiro foi efetuado como forma de certificar a morte”, explica o delegado da divisão de homicídios da Delegacia de Investigações Gerais, Acácio Aparecido Leite.

Segundo ele, há indícios fortes o bastante para que uma discussão envolvendo o jogo entre Santos e Corinthians seja considerado um motivo em potencial. “Além do fato da vítima estar uniformizada, a análise do corpo mostra que a hora da morte bate com a partida. Não seria a primeira vez que um conflito entre torcedores rivais termina em morte, portanto não podemos descartar. É banal, mas possível.”

Conforme moradores do bairro, Diego era servente de pedreiro. Ele não tinha antecedentes criminais. 

O julgamento do acusado pela morte de Diego, Thiago Santiago Borba, que responde pelo crime hediondo, motivo torpe e ocultação de cadáver, está marcado para o dia 24/02/2014 às 14:00 horas, no Fórum de Sorocaba.

Por Sandra Domingues, com informações do Rede Bom Dia

Gilson Hanashiro/Agência BOM DIA

Populares se aglomeram para observar o corpo, que foi amarrado em caixão metálico e içado barranco acima

O corpo de Diego Hernandes Madruga da Silva, 22 anos, foi encontrado na manhã do dia 16/09/2011 com três perfurações de tiro no rosto. O jovem vestia uniforme do Santos e, a julgar pelo estado, teria sido morto cerca de 12 horas antes de ser encontrado, o que leva a polícia a trabalhar com a hipótese de ele ter sido executado  em decorrência de algum desentendimento durante a final do Campeonato Paulista, que envolveu Santos e Corinthians, no domingo (15/09).

Conforme moradores do bairro, Diego era servente de pedreiro. Ele não tinha antecedentes criminais. 

O julgamento do acusado pela morte de Diego, Thiago Santiago Borba, que responde pelo crime hediondo, motivo torpe e ocultação de cadáver, está marcado para o dia 24/02/2014 às 14:00 horas, no Fórum de Sorocaba.

Por Sandra Domingues, com informaçõe sdo Rede Bom Dia


Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)






Roseli Cardoso em 31/03/2013 16:57
Um rapaz tao jovem bonito e que do dessa menina linda crescer sem o pai mais é assim no país das maravilhas pdm matar,roubar fazer o que quizerem que nao dá nada enquanto nao mudar essa lei que protege assassino,vagabundo,ladrao de vidas vai continuar assim e a tendencia é só aumentar depois qdo a policia pega e mata um maldito desses ela ta errada.Até qdo essa impunidade vai reinar?

Elmiro Martins de Oliveira Neto Luiz Henrique de Andrade Luis Renato Menina Ventura Ribeiro Marcos Vinícius Gonçalves Souza André Luiz Lemos da Costa Abner Elias Taborda Márcia Cristina Sales Militão Laura Joice Antunes de Paula Alan Fagner Clemente Soares Tânia Maria Coelho Araújo Juliana Pereira da Silva Pedro Pinheiro Fabbri Rodrigo José Neves Groetaers Mariana Rocha de Souza Olival Felix Possidonio Ana Beatriz de Souza Luiz Fernando Silva Santos Servanis Monteiro de Oliveira Rodrigo Junior Mendes Ana Carolina Cópia Teixeira Sheyla Santos Turizani
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS