Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Dyenifer Aparecida Costa dos Santos (Assassinato)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 02/05/2009

Localização: Uberlândia (MG)

Data de Nascimento: 00/00/1997 (12 anos)

Data de Falecimento: 02/05/2009

Sexo: Feminino Feminino
 

Dyenifer Aparecida Costa dos Santos, 12 anos,  foi morta, esquartejada e queimada. O crime aconteceu em 02/05/2009 na cidade de Uberlândia - MG.

Dyenifer Aparecida Costa dos Santos, 12 anos, desapareceu na tarde de sábado , do dia 02/05/2009. Ela estava com seu sobrinho na porta de sua residência situada na rua Padre Nilo, no bairro Canaã. Familiares procuraram a menina, juntamente com seu sobrinho de seis meses. O bebê foi encontrado na tarde de domingo(03/05) por uma moradora que reside no bairro Chácaras Tubalina.

O corpo de Dyenifer foi encontrado na tarde de 05/05/2009, dentro de um saco de lixo, em uma caçamba de lixo nas proximidades do Terminal Rodoviário, no bairro Martins. Pelo circuito interno de câmeras, a polícia constatou que a mulher chegou de táxi, deixou o corpo e pegou um outro táxi. Um dos taxistas foi chamado para depor. Disse que não percebeu nada de estranho.
A principal suspeita é uma vizinha da criança, identificada como Efigênia Guimarães Pena Balbino da Silva, que estava foragida. Ela foi presa pela PM, na madrugada do dia 06/05/2009, por volta das 3h30, no cruzamento das avenidas João Naves de Ávila e Rondon Pacheco. Ela estava escondida em um motel nas proximidades, juntamente com seu filho de 15 anos.
 
Na tarde de 06/05, foram encontrados os braços de Dyenifer, que estavam no Parque do Sabiá, situado no bairro Tibery. 
A acusada Efigênia foi presa e levada para a delegacia. Em seu depoimento, ela negou a participação no crime e disse que somente recebeu os sacos plásticos com os membros e corpo da menina. 
 
Depois das investigações da Polícia Civil, três pessoas foram presas. A principal suspeita é a vizinha da família de Dyenifer, Efigênia da Silva. Ela está detida e aguarda julgamento. Já a concunhada dela Ariana Vera Cristina Medeiros Silva acabou solta e Luismar Balbino sogro de Efigênia foi julgado em 17/08/2011.
 
O julgamento durou aproximadamente onze horas e terminou na madrugada do dia 18/08. Um policial militar que participou da prisão de Efigênia foi a única testemunha de acusação ouvida. Cinco testemunhas de defesa foram ouvidas. Cerca de 150 pessoas acompanharam o julgamento, e familiares mostraram cartazes pedindo justiça.
 
Luismar Balbino foi condenado por homicídio qualificado, sequestro e cárcere privado de Dyenifer e do sobrinho dela de seis meses, que na época foi seqüestrado e devolvido. O réu vai responder também por formação de quadrilha. Durante o julgamento, o réu negou as acusações. O advogado de defesa informou que vai recorrer da sentença.

Dyenifer Aparecida Costa dos Santos, 12 anos,  foi morta, esquartejada e queimada. O crime aconteceu em 02/05/2009 na cidade de Uberlândia - MG.

Depois das investigações da Polícia Civil, três pessoas foram presas. A principal suspeita é a vizinha da família de Dyenifer, Efigênia da Silva. Ela está detida e aguarda julgamento. Já a concunhada dela Ariana Vera Cristina Medeiros Silva acabou solta e Luismar Balbino sogro de Efigênia foi julgado em 17/08/2011.

O julgamento durou aproximadamente onze horas e terminou na madrugada do dia 18/08. Um policial militar que participou da prisão de Efigênia foi a única testemunha de acusação ouvida. Cinco testemunhas de defesa foram ouvidas. Cerca de 150 pessoas acompanharam o julgamento, e familiares mostraram cartazes pedindo justiça.
 
Luismar Balbino foi condenado por homicídio qualificado, sequestro e cárcere privado de Dyenifer e do sobrinho dela de seis meses, que na época foi seqüestrado e devolvido. O réu vai responder também por formação de quadrilha. Durante o julgamento, o réu negou as acusações. O advogado de defesa informou que vai recorrer da sentença.


Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)





Tainá Eliz de Souza Caetano Mila Perillo Borghetti  Tayná Adriane da Silva Tatiane Ferreira Rodrigues Rodrigo Yamawaki Aguilar Roig Rosa Maria Leite Alves  Marcela Naiane Alves dos Santos Mariana Gonçalves de Souza Rafaella Morais de Souza Benoni Alencar Arnaldo Martino Dobscha Rodrigo Paulo Neves Cardoso Kelbson Nogueira Diógenes Emelly Ketlen Ferrari Campos Diego Hernandez Madruga da Silva Thiago Henry de Siqueira Oazen Geovanna Pereira de Almeida Janinha Pereira de Freitas  Isabella Cassani Polyana Cristina de Castro Monique Valéria de Miranda
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS