Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Pedro Davison (Trânsito)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 19/08/2006

Localização: Brasília (DF)

Data de Nascimento: 02/08/1981 (25 anos)

Data de Falecimento: 19/08/2006

Sexo: Masculino Masculino
 

Por Beth Davison, mãe de Pedro Davison

Pedro Davison, 25 anos, foi morto pelo ato irresponsável e de total desrespeito à vida praticado por um motorista alcoolizado, que conduzia seu veículo em alta velocidade, em faixa proibida ao tráfego de veículos motorizados e com sua habilitação vencida.

O tratamento dispensado ao assassino, Leonardo Luiz da Costa, mostrou com clareza a realidade de impunidade dos crimes que são praticados no trânsito. Preso em flagrante, tentando fugir da blitz que o interceptou, pagou fiança irrisória e foi posto em liberdade.  Com a indignação da sociedade de Brasília e a repercussão na mídia, o MPDFT fez denuncia de crime de dolo eventual, levando o criminoso a Júri Popular que o condenou por unanimidade. Porém, o juiz aplicou a pena mínima de seis anos, em regime semi-aberto. Com o recurso do Ministério Público o réu continua em liberdade aguardando julgamento em segunda instância. 
 
É importante ressaltar que todos nós, familiares e amigos, somos igualmente vítimas do crime.  Mas a sociedade também é vítima quando a impunidade serve de incentivo àqueles que desrespeitam a Lei e praticam crimes na certeza de que não pagarão por sua conduta.
 
Pedro Davison acabava de formar-se (2006) em Biologia na UnB e trabalhava no Ministério do Meio-Ambiente.  Esportista, tinha a bicicleta como seu meio de mobilidade e de ativismo em defesa da conscientização da sociedade sobre os temas ambientais. Tinha como sonho trabalhar as questões do ambiente e da cidadania junto às comunidades tradicionais ou de maior vulnerabilidade.
 
Sua morte, em 19 de agosto de 2006, deixou órfã sua filha Luíza, que naquele dia completara oito anos. 

Pedro Davison,  25 anos, morto em 19 de agosto de 2006, deixou órfã sua filha Luíza, que naquele dia completara oito anos.

Pedro Davison, 25 anos, foi morto pelo ato irresponsável e de total desrespeito à vida praticado por um motorista alcoolizado, que conduzia seu veículo em alta velocidade, em faixa proibida ao tráfego de veículos motorizados e com sua habilitação vencida.

O tratamento dispensado ao assassino, Leonardo Luiz da Costa, mostrou com clareza a realidade de impunidade dos crimes que são praticados no trânsito. Preso em flagrante, tentando fugir da blitz que o interceptou, pagou fiança irrisória e foi posto em liberdade.  Com a indignação da sociedade de Brasília e a repercussão na mídia, o MPDFT fez denuncia de crime de dolo eventual, levando o criminoso a Júri Popular que o condenou por unanimidade. Porém, o juiz aplicou a pena mínima de seis anos, em regime semi-aberto. Com o recurso do Ministério Público o réu continua em liberdade aguardando julgamento em segunda instância. 


Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)





Luís Antonio Nunes Aceto Edinei Pereira Gomes Luis Paulo Oliveira Barbosa Maristela Ferreira Just Priscila Vieira Belfort Ary Barbosa Martins Daniella Ferrante Perez Gazolla Marísia von Richthofen Fernanda Tripodi Maria Cláudia Siqueira Del’Isola Francisco Ferreira Oliveira Neto Rodrigo Vieira Pedro Augusto Santos Prates Beltrão Arcanjo Antonino Lopes do Nascimento Victor Hugo Deppman Rafael Abbatipietro Nunes Rosa Louise Sayuri Maeda João Felipe Eiras Santana Bichara Eugênio Bozola Enedith Monteiro de Brito Emelly Ketlen Ferrari Campos
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS