Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Leonardo Zanotti Cavalcante (Assassinato)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 02/01/2008

Localização: Vila Velha (ES)

Data de Nascimento: 06/05/1989 (18 anos)

Data de Falecimento: 02/01/2008

Sexo: Masculino Masculino
 

Leonardo Zanotti Cavalcante, 18 anos, estudante de administração, foi assassinado dentro dacasa do acusado, um colega, filho de um policial cívil, que manuseava a arma do pai. O crime aconteceu no dia 02/01/2008, em Vila Velha-ES. 

Na ocasião, o acusado alegou que Leonardo teria pego o revolver do pai (do amigo) que estava em cima de um armário e que a arma teria disparado acidentalmente.

No dia 28 de maio de 2008 a delegada Maria de Fátima Oliveira encerrou o inquérito e concluiu que o amigo de Leonardo é que teria atirado no estudante. Por isso, ele foi indiciado, mas responde o processo em liberdade. 
 
Por Bernadeth Zanotti Cavalcante - mãe de Leonardo Zanotti Cavalcante
 
Leonardo, Leo, Leozim, Leozera, Lelê, Leo cara de pastel...assim os amigos o chamavam e a todos os atendiam.
Meu filho querido e amado, meu amigo e confidente, quanta falta você faz para o mundo! Fecho meus olhos e vejo o seu sorriso, sua marca registrada . 
Cada canto da casa, da praia, tem a sua marca.
Acho que quando você chegou no céu, você disse:
_ Senhor, me dá licença?
Certamente ele disse:
_Meu filho, não precisa pedir licença, a casa é sua (palavras da sua eterna professorinha kátia vilela).
 
Filho amado, cheio de virtudes, faltosas no mundo de hoje. Aliás, é por isso que a frieza entre as pessoas, os vizinhos as famílias está imperando.
Leonardo, naturalmente dizia: dá licença, bom dia, boa tarde, boa noite, posso te ajudar? Como está você?, me deixe ajudar carregar suas compras? (sem saber de quem se tratava) .
 
18 anos de pura humildade, caridade, simplicidade, companheirismo, solidariedade, e se continuar escrevendo suas virtudes, passarei noites e dias lendo-as para vocês.
Leo era chamado de defensor dos idosos. Certo dia, percebeu um jovem destratando um idoso no calçadão, que ele nem se quer conhecia. Saiu em defesa do senhor e Leonardo e o rapaz travaram uma grande discussão sobre respeito aos mais velhos. Talvez outra pessoa nunca mais quisesse ver o tal rapaz. Leo, não. No dia seguinte foi à praia onde o tal rapaz jogava e foi lhe pedir desculpas.
Esse era meu Leo, 18 anos de pureza e simplicidade. Chegava a oferecer perigo para a segurança da família.ele já levou para casa para alimentar, cuidar e dar conforto, pessoas desconhecidas, embriagadas, passarinho, pombo, cachorro...
A tinta da impressora e o papel, meu Deus, enquanto tivesse, ele fazia trabalhos e imprimia para os colegas. Quando eu chamava atenção pelo excesso de gastos sobre isto, ele dizia:
_ “ mamãezinha , foi você que me ensinou a ser solidário e caridoso”.
O que eu poderia dizer mediante esta resposta?
 
A mim, ele chamava de mamãezinha, ao pai, era papaizinho ou “ior”. Aos avós, ele os chamava de vovozinho ou vovozinha.às tias, era titiazinha.aos tios, era titio, mas em especial ao tio cuca, era tio chulé( sem alusão ao termo) , aliás um e outro se chamavam assim. À irmã, ele a tratava de Vanessinha, Nessinha ou irmãzinha.
As mãos de Leonardo foram feitas para servir, para afagar, amparar, apoiar...
Não tocava em nada, mesmo na casa que tivesse a maior intimidade, sem pedir licença.então , com meu amado mexeria numa arma na casa dos outros?
Atentar contra a vida? Nem pensar. Ele era a vida. Doava-se para ver qualquer pessoa em situação confortável.
 
Dizer que Leo tirou a própria vida é o maior absurdo, chega a ser uma blasfêmia. Leo estava muito feliz com a faculdade, com a proximidade do dia de servir o exército, com a casa que ele havia acabado de ajudar a pintar. Estava cheio de planos para sua vida e 2008 começaria a concretização desses planos.
Deus nos deu a vida, portanto cabe a ele, somente a ele tirá-la.
Leonardo foi frio e covardemente assassinado. Por quê?
A única coisa que queremos é justiça.
Aconteça o que tenha acontecido,jamais sujaremos nossas mãos e alma com vingança. Confiamos no Senhor Deus. A ele, proclamamos todos os dias que nossa casa, trabalho, vida,etc. Pertence a ele, somente ele.
Abaixo a impunidade!
Justiça, paz e segurança!
Que Deus nos conforte neste momento de terrível dor.

Leonardo Zanotti Cavalcante, 18 anos, estudante de administração, foi assassinado dentro dacasa do acusado, um colega, filho de um policial cívil, que manuseava a arma do pai. O crime aconteceu no dia 02/01/2008, em Vila Velha-ES.

Na ocasião, o acusado alegou que Leonardo teria pego o revolver do pai (do amigo) que estava em cima de um armário e que a arma teria disparado acidentalmente.
 
No dia 28 de maio de 2008 a delegada Maria de Fátima Oliveira encerrou o inquérito e concluiu que o amigo de Leonardo é que teria atirado no estudante. Por isso, ele foi indiciado, mas responde o processo em liberdade. 


Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)





Bruna Tadin de Souza Daniel Guimarães Eduardo Antônio Lara Eugênio Bozola Raquel Mota Rodrigues Jéssica Laís da Silva Barbosa José Edmilson Costa dos Reis Rafaela Rabelo Alves Francisconi Olival Felix Possidonio Edson Roberto Domingues Ezequiel Silva de Souza Vinicius da Paz Almeida Patrícia Marieve da Silva Barbosa Dorothy Stang Marcos Yuri Prado de Oliveira Guirado Cleonice Marinho de Araújo Gabriela Colnago de Castro Caiado Michael Mendes Marcos Adriano Albuquerque Mariana Gonçalves de Souza Danillo Lopes Barros Pinto
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS