Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Paulo Veronesi Pavesi (Assassinato)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 21/04/2000

Localização: Poços de Caldas (MG)

Data de Nascimento: 08/10/1989 (10 anos)

Data de Falecimento: 21/04/2000

Sexo: Masculino Masculino
 

Paulinho Veronesi Pavesi, 10 anos, teve os órgãos retirados para doação, mas sem ser constatado morte encefálica, Poços de Caldas-MG, em 21/04/2000.

O menino, que tinha 10 anos na época, caiu de uma altura de cerca de dez metros no prédio onde morava. Após ser diagnosticada a morte encefálica, por uma equipe de médicos chefiada pelo cirurgião Álvaro Inhanes, foi feita a retirada dos órgãos para doação.

Meses depois a Polícia Federal abriu um inquérito que apontou que o exame para constatar a morte encefálica foi feito de forma irregular. Segundo o inquérito, quando foi comprovada a morte, o paciente estava sob efeito de substâncias depressivas do sistema nervoso central. Quatro médicos foram indiciados. A investigação deu origem a outros seis inquéritos paralelos e a Santa Casa da cidade perdeu o credenciamento para realizar transplantes de órgãos. O caso foi alvo de investigação até no Congresso Nacional na CPI do tráfico de órgãos, sem condenação de culpados.

Paulo Veronesi Pavesi foi vítima de Assassinato, praticado por Médicos.

Segundo Paulo Pavesi, pai de Paulinho Pavesi, o filho foi assassinado para servir de peça de reposiçao para algumas pessoas. Não adiantou desvendar a máfia. Não adiantou provar nada. Nao adiantou sequer o processo de homicídio (foram 8 vítimas no total) que esta prestes a nao dar em nada pois o poder político da máfia é muito mais forte do que a necessidade de justiça e até da própria justiça que se alimenta de recursos da máfia.

"Uma grande amiga enviou um presente para este dia difícil. Um belo vídeo para relembrar os 10 anos de luta por justiça. São 10 anos que não mudou em nada a vida dos acusados, que continuam trabalhando, ocupando cargos públicos e felizes por terem assassinado uma criança e outros 8 pacientes sem que nenhuma pena tenha sido aplicada. Ao contrário. Estão de volta aos seus postos como se nada tivesse acontecido e não há ninguém capaz de afrontar este bando." Diz Paulo Pavesi.

Em 14/12/2010, 10 anos depois, o juiz da 1ª Vara Criminal de Poços de Caldas, Luiz Augusto Barreto Fonseca, decidiu que iriam a júri popular cinco médicos que participaram da retirada dos órgãos do menino Paulo Veronesi Pavesi, em abril de 2000.

Após treze anos da morte do seu filho, após o divórcio da mãe de Paulinho, após ter que ver a exumação do próprio filho e um pedido de asilo no exterior, o juiz responsável pelo processo da morte de Paulinho determinou que os médicos protegidos sejam incluídos por retirada ilegal de órgãos. A decisão veio junto com a condenação de quatro médicos por homicídio em um dos oito casos levantados durante a investigação da Polícia Federal (dois deles, agora, estao inclusos no processo de Paulinho).

O pai do menino, Paulo Pavesi, mantém uma página na internet, onde publica atualizações sobre o caso.

Por Sandra Domingues, com informações do Site Oficial, O Globo e Última Instância

Paulinho Veronesi Pavesi, 10 anos, teve os órgãos retirados para doação, mas sem ser constatado morte encefálica, Poços de Caldas-MG, em 21/04/2000.

O processo resultou na CPI do Tráfico de Órgãos, sem condenação de culpados.

Em 14/12/2010, 10 anos depois, o juiz da 1ª Vara Criminal de Poços de Caldas, Luiz Augusto Barreto Fonseca, decidiu que iriam a júri popular cinco médicos que participaram da retirada dos órgãos do menino Paulo Veronesi Pavesi, em abril de 2000.

Após treze anos da morte do seu filho, após o divórcio da mãe de Paulinho, após ter que ver a exumação do próprio filho e um pedido de asilo no exterior, o juiz responsável pelo processo da morte de Paulinho determinou que os médicos protegidos sejam incluídos por retirada ilegal de órgãos. A decisão veio junto com a condenação de quatro médicos por homicídio em um dos oito casos levantados durante a investigação da Polícia Federal (dois deles, agora, estao inclusos no processo de Paulinho).

O pai do menino, Paulo Pavesi, mantém uma página na internet, onde publica atualizações sobre o caso.

Por Sandra Domingues, com informações do Site Oficial, O Globo e Última Instância



Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)






Wagner Reina em 07/02/2014 17:13
Safados e inescrupulosos. Deveriam ser condenados à morte e seus órgãos doados, isto é, se servirem ainda para salvar vidas.


Anderson Zane em 25/02/2013 19:53
Parabéns ao senhor Juiz por monstrar essa vergonha dos mafiosos de branco,espero CADEIA neles! do contrario sentirei mais nojo ainda!!


Enfermeiro em 22/12/2012 23:06
moro em poços de caldas, sei do caso e so se organizarao, chamado?????/

Diego de Almeida Silva Edinei Pereira Gomes Caíque Müller de Oliveira Santana Raíssa Tainara Rosa de Lima Priscila Eiras Sérgio Porfírio Cardoso Leonardo de Mello Silva Emelly Ketlen Ferrari Campos Ana Carolina Domingos Cassino Mariana Gonçalves de Souza Romeu Gabriel Muninhas Coutinho de Carvalho Hugo Leonardo Mendes Palmerina Pires Ribeiro Verônica Torres da Fonseca Cláudio Carvalho Tenório Sandra Ribeiro de Jesus Ademilson Candido Lore de Santana Vaz Marcelo Henrique Prade  Felipe Wellington da Silva Cruz Gabriela Alves Nunes
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS