Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Maria Carolina Diniz (Estupro)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 01/01/2002

Localização: Sirinhaém (PE)

Data de Nascimento: 00/00/1971 (31 anos)

Data de Falecimento: 01/01/2002

Sexo: Feminino Feminino
 

No dia 1º de janeiro de 2002, a engenheira química Maria Carolina Diniz, na época com 31 anos, foi estuprada, espancada e assassinada na Praia de A-Ver-o-Mar, em Sirinhaém, no Litoral Sul do Estado de Pernambuco.

Maria Carolina Diniz caminhava pela praia quando foi vista por pessoas próximas ao local discutindo com um homem desconhecido como se fossem namorados. Ela continuou a caminhar até ser abordada por Marcelo, que era irmão da dona da casa onde a engenheira estava hospedada.

A engenheira teria sido agredida por Marcelo durante uma acalorada conversa. Em seguida, próximo aos bares da região, o sargento e o caseiro teriam se juntado a Marcelo para obrigar a engenheira a entrar no carro, de onde seguiram para o local do crime. Ainda segundo a acusação, os três teriam levado Carolina a um lugar ermo na praia, onde ensoparam uma flanela com lança-perfume e drogaram a vítima.

A violência sexual ocorreu depois, tendo os três se revezado no ato. Marcelo estuprou-a seguidas vezes. Posteriormente, ele teria agredido Carol com uma chave de roda. A engenheira ainda foi encontrada com vida na praia, por volta da uma da tarde. Foi socorrida, mas acabou morrendo oito dias depois. Em março de 2002, Genivaldo teria, ainda, sido ameaçado por Alan, caso "abrisse a boca". Quatro meses após o crime, Genivaldo teria matado o rapaz, alegando, posteriormente, legítima defesa. Ao contar a história do crime da engenheira em um bar, foi ouvido por uma testemunha que denunciou os três envolvidos.

O caseiro Genivaldo dos Santos foi condenado a 18 anos de prisão por participação no estupro e assassinato e  o ex-bombeiro Alan José Carneiro de Holanda Filho ser considerado culpado pelo conselho de sentença ao fim do julgamento no Fórum de Sirinhaém, Litoral Sul do estado. Ele foi condenado a 22 anos por homicídio triplamente qualificado. O último acusado pelos crimes, o contador Marcelo Rodrigues, está foragido.

 

No dia 1º de janeiro de 2002, a engenheira química Maria Carolina Diniz, na época com 31 anos, foi estuprada e espancada e assassinada na Praia de A-Ver-o-Mar, em Sirinhaém, no Litoral Sul do Estado de Pernambuco.

O caseiro Genivaldo dos Santos foi condenado a 18 anos de prisão por participação no estupro e assassinato e  o ex-bombeiro Alan José Carneiro de Holanda Filho ser considerado culpado pelo conselho de sentença ao fim do julgamento no Fórum de Sirinhaém, Litoral Sul do estado. Ele foi condenado a 22 anos por homicídio triplamente qualificado. O último acusado pelos crimes, o contador Marcelo Rodrigues, está foragido.

 



Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)





Anderson Silva de Oliveira Júnior Marco Antônio Velasco e Pontes Françoise Steffani Silva de Oliveira Jéssica Carline Ananias da Costa Arnaldo Martino Dobscha Willian de Souza Marins Cely Vidal Flávio Luiz Paixao dos Santos Raphael Alves Franco Larissa de Carvalho Benoni Alencar Alan Fagner Clemente Soares Pedro Branco Couto Rodrigues Flavio Chalamai dos Santos Victor Hugo Deppman Jamile de Castro Nascimento Angelito Barros Correia de Mello Pedro Paulo Lemes Alexandre Menezes dos Santos Camila Magalhães Lima Mutzenbecher Fernando Eidi Yoshida
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS