Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Marcia Nascimento Gomes (Estupro)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 28/04/2009

Localização: Itati (RS)

Data de Nascimento: 00/00/1977 (32 anos)

Data de Falecimento: 28/04/2009

Sexo: Feminino Feminino
 

O corpo da dentista Márcia Nascimento Gomes, 32 anos, residente em Torres, foi encontrado em um barranco próximo ao primeiro túnel da Rota do Sol (RS-486), em Itati, em 28/04/2009.

Segundo a Brigada Militar (BM), o carro dela, um Crossfox, estava abandonado junto à rodovia. As circunstâncias do crime ainda são desconhecidas.

O carro parado foi o primeiro indício de que havia algo errado. Motoristas que transitavam na rodovia, que liga a Serra ao litoral gaúcho, perceberam o automóvel na altura do km 11 e acionaram a Brigada Militar de Terra de Areia. Os policiais chegaram ao local, já no município de Itati, e encontraram as portas do carro abertas, com uma bolsa sobre o banco do caroneiro contendo um celular e documentos. A cerca de 20 metros dali, viram um sapato feminino próximo ao acostamento.

Como já estava escuro, eles aguardaram a chegada de uma segunda viatura equipada com uma lanterna. Com a ajuda do facho de luz, os PMs desceram o barranco e vasculharam o local, quando então localizaram o corpo de Márcia. Ela estava com as mãos amarradas para trás e as calças baixadas na altura dos joelhos. Não havia sinais aparentes de tiros. Marcas de cortes no pescoço poderão ajudar a polícia a desvendar a causa da morte.

Após ser identificado por policiais civis de Terra de Areia, o caminhoneiro Fabiano Costa de Lima, 28 anos, confessou ser o autor do assassinato da dentista Márcia Nascimento Gomes, 32 anos, ocorrido no dia 27 de abril, próximo ao primeiro túnel da Rota do Sol (RS-486).

Fabiano Lima se tornou suspeito na semana passada, após denúncia de um morador do litoral norte. A testemunha relatou aos agentes da polícia conhecer um homem parecido com o retrato falado divulgado e que o mesmo dirigia um caminhão Mercedes-Benz, vermelho, com carroceria de madeira, similar ao descrito por um casal que testemunhou as agressões. A pista se limitava ao primeiro nome e a um suposto endereço do suspeito, em Terra de Areia.

Os investigadores, ao buscar confirmação, confirmaram, no final de semana, com outros caminhoneiros da região, que Lima prestava serviço como motorista para uma empresa de Porto Alegre e que, no dia do crime, tinha passado pelo local. Após mais essa informação, um policial se deslocou à capital, na segunda-feira à tarde, para conversar com o proprietário do caminhão conduzido pelo suspeito. Sem maiores problemas, o proprietário do caminhão autorizou a perícia feita pelo Departamento de Criminalística e forneceu uma cópia digital do rastreamento por satélite do caminhão no dia do crime que apontou que o caminhou parou no local do crime entre 11h40min e 12h18min do dia 27.

Na madrugada de segunda-feira, os policiais e peritos fizeram o teste do luminol, uma substância que revela a presença de sangue sobre superfícies, mesmo que tenham sido lavadas. Os técnicos então encontraram vestígios de sangue na cabine e também na bica de água, que fica na lateral do veículo. Com isso eles acreditam que o suspeito usou a água da bica para se lavar e limpar o interior do caminhão depois de matar a vítima com seis facadas.

Terça-feira, depois de receber o laudo que comprovou a existência de sangue no caminhão dirigido pelo suspeito, o delegado Roland Short pediu a prisão preventiva de Lima, que foi prontamente aceita pela Justiça. Antes, no entanto, os policias optaram por tentar ouvi-lo novamente. A intimação foi entregue à tarde, em sua residência, quando Lima assistia à televisão com sua mulher.

Mais tarde, o caminhoneiro se apresentou acompanhado de um advogado na DP e, após praticamente três horas de várias contradições, confessou o crime. “Lima confessou a morte da dentista, mas negou o estupro”, declarou Short, que afirmou que Lima optou por manter o direito ao silêncio.

Apesar chegar ao autor do assassinato de Márcia Gomes, o mistério sobre a motivação do crime permanece. Lima possui um perfil que não condiz com o de um assassino, pois é casado, trabalhador, não possui antecedentes e é admirado e respeitado pelos familiares na comunidade. Durante o depoimento, o suspeito declarou que apenas desferiu um soco na vítima, fazendo com que ela despencasse em uma ribanceira e depois a golpeou com um facão que levava no caminhão. Para o delegado e investigadores, ficou claro que o assassino tem o perfil de um homem frio, capaz de ter planejado o estupro seguido de assassinato.

A policia ainda busca esclarecer a questão do estupro, tendo em vista que a perícia confirmou que a dentista foi estuprada antes de ser morta. Sêmen foi coletado pelos peritos no corpo de Márcia e será comparado ao material de Lima. O inquérito já foi encaminhado, mesmo sem essa confirmação, mas havendo novas provas, estas serão incluídas no processo.

Já a arma do crime, o facão utilizado, não foi encontrada. O caminhoneiro falou que jogou a arma na ponte Rio-Niterói, no Estado do Rio de Janeiro. A polícia não acredita nesta versão e busca a partir dos novos depoimentos do suspeito localizar a arma do crime, acreditando que a mesma esta na região.

A informação mais recente vem do Instituto Geral de Perícias, que na sexta-feira confirmou que ela foi estuprada pelo caminhoneiro Fabiano Costa de Lima, 28 anos. Ele admitiu a morte, mas negava o estupro, versão desmentida por meio de um exame de DNA que comparou o sêmen encontrado no corpo da dentista com o sangue coletado do caminhoneiro.

Se for punido com pena máxima pelos crimes listados pela polícia, o caminhoneiro Fabiano Costa de Lima, 28 anos, autor confesso da morte da dentista Márcia Nascimento Gomes, 32 anos, poderá ser condenado a até 50 anos de prisão. Por homicídio qualificado ele pode pegar até 30 anos, e por estupro e atentado violento do pudor a pena máxima é de 10 anos.

Márcia Nascimento Gomes, 32 anos, residente em Torres, foi estuprada, esfaqueada e o corpo foi deixado em um barranco próximo ao primeiro túnel da Rota do Sol (RS-486), em Itati, no dia 28/04/2009. 

Se for punido com pena máxima pelos crimes listados pela polícia, o caminhoneiro Fabiano Costa de Lima, 28 anos, autor confesso da morte da dentista Márcia Nascimento Gomes, 32 anos, poderá ser condenado a até 50 anos de prisão. Por homicídio qualificado ele pode pegar até 30 anos, e por estupro e atentado violento do pudor a pena máxima é de 10 anos.



Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)

Digite as palavras abaixo:




Cleildo Pimentel em 24/06/2011 17:42
Vivemos em uma sociedade em que não se pode mas ter segurança nem mesmo dentro de nossas casas, do que dizer de sair por ai sozinho (a) dirigindo pelas estradas, é lamentável que a gente só abra os olhos quando acontece na nossa casa ou com alguém proximo de nós. Enquanto tivermos governantes se comprometimentos com a educação e coma segurança nesse país vamos ser obrigados a conviver com essa realidade nua e crua. Que DEUS possa dar um pouco de paz e conforto aos pais, amigos, e parentes dessa moça.

Elton de Oliveira Nascimento  Tayná Adriane da Silva Nicolas Cauã Secco Roberto Laudísio Curti Ana Alice Moreira de Melo André da Rocha Bicca Hector Manoel Soares Villanueva Edgar Pacha Quintela Mariele da Silva Araújo George Alexandre Queiroz Lisboa Gabryelle de Farias Alves Eurides Santos de Castro Bruno Gitahy Zagootho Pedro Augusto Brito de Jobim Carla Adrielle Botelho Melo Gabriela Colnago de Castro Caiado Maiara Natalie da Silva Polyanna Arruda Borges Leopoldino Daniella Ferrante Perez Gazolla Aracy Mendonça Da Silva Leopardi Eduardo Alfredo Ortelan
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS