Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Kassia Karinne Magalhães (Erro Médico)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 17/08/2009

Localização: Recife (PE)

Data de Nascimento: 09/07/1882 (127 anos)

Data de Falecimento: 30/08/2009

Sexo: Feminino Feminino
 

Por Iracy Souza Magalhães, mãe de Kassia Karinne Magalhães

Socorri minha filha em 17 de agosto de 2009 , ela estava com febre, dor de cabeça e dor por todo o corpo.

A taxa de leucócitos 17.000 , suspeita de leptospirose mas desitiu do diagnóstico e mandou tomar benzetacil, 2 dias após mais febre, retorno ao hospital, refeito exames taxa de leucócitos 19000 , diagnóstico "amigdalite" , quatro dias após mais febre dificuldade respiratória, e pasmem os médicos da emergência estavam descansando após o almoço, precisamos chamar um sargento para acordá-los, isso após 1 hora de espera, mandou fazer exames e aguardamos em um banco de praça, disgnostico "pneumonia" após 5 horas internaram, creiam não havia pneumologista que só chegou às 14 h do dia seguinte e disse-me " não atenderei sua filha pois o Estado não me paga para trabalhar além de minha cota que é 3 pacientes, se achar ruim preste queixa".

Acionamos um capitão militar e 2 hs após a referida atendeu minha filha de mau humor e mandou repetir todos os exames pois havia perdido os que ela tinha feito, às 19 horas ela foi para UTI e 4 dias após faleceu, SVO 'sptecemia generalizada " e ainda contraiu o vírus da H1N1; Isso tudo no Hospital da Policia Militar de Pernambuco pois minha filha era soldado Pm.

Conclusão do Ministério Publico e Corregedoria de polícia "HOMICÍDIO'

Do ocorrido

Kassia Karinne Magalhães, soldada que era lotada no Batalhão de Polícia de Guarda (BPGd) e estava há cinco anos na corporação, deu entrada no CMH-PM em 17 de agosto com sinais da gripe A(H1N1), sendo medicada e liberada. Exame de sangue apontou infecção bacteriana. A paciente retornou ao hospital dois dias depois e novamente não foi internada. Medicada com antibióticos, ela voltou ao CMH-PM no dia 25, com dificuldades respiratórias. Kássia Magalhães foi encaminhada ao Hospital Universitário Oswaldo Cruz (Huoc). A peregrinação continuou, e a soldada foi mandada de volta para o hospital da PM, onde recebeu ordem de internamento. O quadro se agravou e, três dias depois, ela morreu. Revoltada, a mãe da vítima, Iracy Souza Magalhães, denunciou o caso no BPGd, na Corregedoria Geral da Secretaria de Defesa Social (SDS) e no Ministério Público de Pernambuco (MPPE). Iracy acusa o CMH-PM de negligência.

De acordo com o infectologista Danilo Nunes, apesar da piora no quadro, não havia motivo para transferi-la para o Hospital Osvaldo Cruz.

Iracy Magalhães, mãe da agente da Polícia Militar (PM), prestou depoimento por quase duas horas no Batalhão de Guarda da PM, local onde a filha dela trabalhava há dois anos. Ela está convencida de que a filha, Kassia Karine Magalhães Viana, 27 anos, foi vítima de negligência médica.

O primeiro atendimento no Hospital da Polícia Militar, no bairro do Derby, no Recife, foi realizado dia 17 de agosto de 2009. Kássia Karine morreu domingo, dia 3008/2009. “No dia 25 ela se acordou cansada e pediu para levá-la para o hospital. Chegamos a emergência às 12h, às 13h não tinha ninguém e às 13h chamei um médico que disse que minha filha estava com a Nova Gripe, sem nem mesmo olhar os exames que estavam comigo”, disse Iracy Magalhães.
 
Ainda de acordo com a mãe da policial, depois do atendimento os médicos disseram que Kassia Karine estava apenas com uma pneumonia, e só depois de repetir os exames optaram por interná-la UTI.
 
Com a denúncia apresentada pela mãe da policial, será aberto um processo administrativo pelo comando da PM para apurar se houve negligência no atendimento prestado a Kássia Karine. De acordo com o assessor de Comunicação da PM, major Sérgio Rodrigues, as investigações serão concluídas em, no máximo, três meses. “Apenas a apuração administrativa é que poderá verificar se de fato ocorreu negligência, mas nada ficará em branco", garantiu o major.
 
De acordo com as informações passadas pela Iracy Souza Magalhães, mãe de Kássia Karine, o processo foi arquivado pela promotora Ceucy do Conselho de Medicina, sem ao menos a família ter sido chamada para depor e sem ter tomado conhecimento da decisão.
 
"Basta com os erros médicos
 
Está na câmara dos deputados o Projeto de Lei 6867/2010 que visa avaliação dos profissionais de saúde.
A ligação é gratuita 0800 619-619. Ligue e nos ajude nessa luta que é de todos nós.

Iracy Magalhães, mãe da agente da Polícia Militar (PM), prestou depoimento por quase duas horas no Batalhão de Guarda da PM, local onde a filha dela trabalhava há dois anos. Ela está convencida de que a filha, Kassia Karine Magalhães Viana, 27 anos, foi vítima de negligência médica.

Com a denúncia apresentada pela mãe da policial, será aberto um processo administrativo pelo comando da PM para apurar se houve negligência no atendimento prestado a Kássia Karine. De acordo com o assessor de Comunicação da PM, major Sérgio Rodrigues, as investigações serão concluídas em, no máximo, três meses. “Apenas a apuração administrativa é que poderá verificar se de fato ocorreu negligência, mas nada ficará em branco", garantiu o major.

De acordo com as informações passadas pela Iracy Souza Magalhães, mãe de Kássia Karine, o processo foi arquivado pela promotora Ceucy do Conselho de Medicina, sem ao menos a família ter sido chamada para depor e sem ter tomado conhecimento da decisão. 



Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)






Iracy Souza Magalhaes em 08/07/2012 00:53
Estou indignada com a justiça , após quase três anos de investigação o Ministério Público concluiu que todos os procedimentos prestados a minha filha foram corretos. e fica em mim a pergunta? Esperar resultados em um banco de praça é correto? Medicação passada às 18 horas e aplicadas às 23 horas é correto? Médica se negar em atender minha filha e ser preciso eu acionar um major é correto? Solicitar internamento em um apartamento e de acordo com sua patente "soldado" ir para uma enfermaria com mais 6 pessoas é correto? O Conselho de Medicina de Pernambuco nunca ter ouvido um depoimento meu é correto? No relatório tem que ela passou apenas um dia ao lado de outros pacientes e seria difícil ela contrair o vírus da gripe A , é correto? Quanto tempo devemos passar ao lado de um doente contagioso para contrair seu mal? 48 horas , 15 dias , um mês ,sinceramente não entendi esta explicação. O que entendi é que sou simples professora , que pago minhas contas , crio minhas filhas e não tenho nome ou patente para que a justiça tic]vesse sido feita.Imoral nossa justiça.


Iracy Magalhaes em 20/02/2012 18:52
SOU MÃE DA KÁSSIA E GOSTARIA DE COMUNICAR A TODOS QUE ACOMPANHAM ESTE SITE QUE A DIGNÍSSIMA PROMOTORA CEUCY DO CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA DECIDIU PELO ARQUIVAMENTO DO PROCESSO DE MINHA FILHA.EM NENHUM MOMENTO FUI CHAMADA PARA DEPOR , ELES SIMPLESMENTE ARQUIVARAM O PROCESSO E NEM A DIGNIDADE DE ME COMUNICAR TIVERAM . ISSO É BRASIL!


Iracy Magalhães em 23/09/2011 23:07
Me sinto na origação de colocar aqui como anda o caso de Kássia , no CREMEPE entrei com um recurso e o processo foi encaminhado para o Conselho Federal de Medicina , o processo crime foi encerrada as investigações da delegacia e pasmem , o resultado do delegado foi " Erro Profissional" da para acreditar? Mas minha luta não parou seguirei em frente


Letícia em 18/08/2011 13:36
Estou impressionada..das dezenas de caso que li hoje, NENHUM teve uma solução DIGNA. Aliás, a dignidade humana está prevista na constituição federal, mas isso não é levado em consideração. Só acham importante seguir à risca a proibição da pena de morte e direitos humanos. AONDE VAMOS PARAR ?!?!?!?!?!?!? Médicos inúteis que só cursam medicina pra ganhar dinheiro.


Gisele em 12/07/2011 13:37
Oi Iracy,q deus possa abrandar sua dor,amiga!!!e como ficou o caso da sua filha denunciado por vc?q providencias foram tomadas já q iriam apurar?bjs,força e fé


Tânia em 18/05/2011 13:40
Minha querida, Se puder e sentir vontade, visite esse blog (xikinhudaluz.blogspot.com) Nele está a história do acontecido com meu filho Se isso lhe ajudar, ficaremos contentes. Abraços de carinho, Tânia


Phellippe em 15/01/2011 23:12
Sinto muiito o que aconteceu =/


Miriam em 06/01/2011 20:55
Sinto pela sua filha, amiga lute até o ultimo pela sua filha, sabemos que não trara ela de volta, mais pra servir pra outras maes não perderem seus filhos. Eu perdi meu filho no dia 17/10/2010 vitima de uma AVC aos 23 anos, meu unico filho, a dor é inesplicavel bjs

Rafael de Paiva Freitas Patriota Felipe Tsutomu Honorato Shiba André Luiz Lemos da Costa Breno Luigi Silvestrini de Araújo Nelson Lopes Nicole Mayra da Silva Nogueira Daniella Ferrante Perez Gazolla Jácomo Lima Bonapace Mariana Valente Viveiros de Paula Ana Nery Monteiro de Souza Gabriel Kuhn Géssica Guedes Pereira André Francavilla Luz Wagner Moreira Jackson Wataru Komati Hanry Silva Gomes da Siqueira Caíque dos Santos Diego Machado Rodrigues Raquel Mota Rodrigues Luana Pepe  Pedro Lucas Barreto da Conceição
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS