Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Glauco Villas Boas (Assassinato)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 12/03/2010

Localização: Osasco (SP)

Data de Nascimento: 10/03/1957 (53 anos)

Data de Falecimento: 12/03/2010

Sexo: Masculino Masculino
 

Glauco Villas Boas, 53 anos, foi assassinado em Osasco na madrugada, em 12/03/2010, por um dos praticantes da seita que coordenava. A princípio, os advogados da vítima divulgou à imprensa que o crime ocorrera durante uma tentativa de assalto seguido de sequestro, Glauco Villas Boas, teria tenatdo negociar com os bandidos, que o levariam e deixariam sua mulher e os dois filhos. Enquanto saíam de casa, um outro filho de Glauco Villas Boas (Raoni, de 25 anos) chegou ao local e tentou dissuadir os assaltantes, que atiraram e mataram pai e filho.

Esta versão foi posteriormente desmentida pela polícia que, após colher depoimentos das testemunhas do crime, chegaram ao nome do universitário Carlos Eduardo Sundfeld Nunes (Cadu). Armado com uma pistola automática e uma faca, o suspeito teria chegado ao local disposto a levar Glauco Villas Boas e sua família para a casa de sua mãe em São Paulo com o objetivo de afirmar à mulher que ele era Jesus Cristo. Glauco Villas Boas tentou negociar para ir sozinho, e chegou a ser agredido. No momento da discussão, porém, Raoni chegou de carro. Em seguida, Carlos Eduardo atirou contra pai e filho, por motivos ainda não esclarecidos.

O universitário foi detido na Ponte da Amizade, na tentativa de sair do Paraguai, em 15/03/2010,  e, confrontado pela polícia, confessou o crime.

Os advogados de defesa do acusado consideraram o fato do reú sofrer de disturbios psicológicos e, por isso, merecia ter julgamento diferenciado. Porém, a psicologos afirmam que não poderia sofrer de distúrbio algum pois, a partir dos laudos da perícia e polícia, o acusado teve tempo para organizar o crime e planejar a fuga, logo, descaracterizando qualqeur forma de distúrbio psicologico.

Glauco Villas Boas e Raoni foram enterrados no cemitério Gethsêmani Anhanguera, zona norte de São Paulo.

A Justiça aceitou a denúncia do Ministério Público contra o estudante Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, o Cadu, pelo assassinato do cartunista Glauco Villas Boas e de seu filho, Raoni Villas Boas.

O processo, que corre em segredo na Justiça, Cadu foi denunciado por duplo homicídio duplamente qualificado pelas duas mortes.
 
Felipe Iasi, que teria auxiliado Carlos Eduardo na noite do crime, ainda está sendo investigado. Ele diz ter sido sequestrado pelo estudante e obrigado a levá-lo até a chácara onde moravam Glauco e sua família.
 
Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, que matou o cartunista Glauco Villas Boas e o filho dele Raoni, ganhará a liberdade no dia 13 de março de 2013. É quando termina a medida de segurança de três anos, o máximo previsto pelo Código Penal a portadores de doenças mentais que praticam crimes. "Ele já faz planos para começar uma vida nova", diz o empresário Carlos Grechi Nunes, de 46 anos, pai de Cadu.
 
Por Sandra Domingues, com informações do Terra, G1 e IG

 

Glauco Villas Boas, 53 anos, foi assassinado em Osasco na madrugada, em 12/03/2010, por um dos praticantes da seita que coordenava. A princípio, os advogados da vítima divulgou à imprensa que o crime ocorrera durante uma tentativa de assalto seguido de sequestro, Glauco Villas Boas, teria tenatdo negociar com os bandidos, que o levariam e deixariam sua mulher e os dois filhos. Enquanto saíam de casa, um outro filho de Glauco Villas Boas (Raoni, de 25 anos) chegou ao local e tentou dissuadir os assaltantes, que atiraram e mataram pai e filho.

 

A Justiça aceitou a denúncia do Ministério Público contra o estudante Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, o Cadu, pelo assassinato do cartunista Glauco Villas Boas e de seu filho, Raoni Villas Boas.

O processo, que corre em segredo na Justiça, Cadu foi denunciado por duplo homicídio duplamente qualificado pelas duas mortes.
 
Felipe Iasi, que teria auxiliado Carlos Eduardo na noite do crime, ainda está sendo investigado. Ele diz ter sido sequestrado pelo estudante e obrigado a levá-lo até a chácara onde moravam Glauco e sua família.
 
Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, que matou o cartunista Glauco Villas Boas e o filho dele Raoni, ganhará a liberdade no dia 13 de março de 2013. É quando termina a medida de segurança de três anos, o máximo previsto pelo Código Penal a portadores de doenças mentais que praticam crimes. "Ele já faz planos para começar uma vida nova", diz o empresário Carlos Grechi Nunes, de 46 anos, pai de Cadu.
 
Por Sandra Domingues, com informações do Terra, G1 e IG


Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)





Alexandre Martins de Castro Filho Púbio Theodoro de Sousa Daniel Carrilho Evaristo Bruno Abner Pereira Rodrigues Gilcemara Machado Partelli Guzzo Thays Coppola Rupp Nelson Lopes Marcos Adriano Albuquerque João Luiz Sá Freire Azevedo Délio Márcio Rodrigues de Souza Michele Amorim Lopes Roberto Pires de Jesus Ana Lidia Sousa Gomes Thayna de Oliveira Jeferson Bruno Gomes Escobar Françoise Steffani Silva de Oliveira Danilo Ryden Viana Merlini Bruna da Silva Ribeiro Cleyton da Silva Leite Arnaldo Martino Dobscha Graziele Marçal Franco
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS