Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Nirvana Evangelista da Cruz (Assassinato)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 05/07/2007

Localização: Belém (PA)

Data de Falecimento: 05/07/2007

Sexo: Feminino Feminino
 

Por Angélica Elmescany

No dia 05 de julho de 2007, por volta das 8h, a vítima Nirvana Evangelista da Cruz saiu de sua residência, no bairro do Marco, para trabalhar. E não foi mais vista com vida.

O acusado MÁRIO TASSO RIBEIRO SERRA JUNIOR, seu ex-namorado, agredia-a constantemente com palavras e fisicamente, inclusive já havia registro de Boletim de ocorrência onde há vítima Nirvana relatava o que sofria. No caminho para o trabalho foi abordada pelo acusado MÁRIO, levando-a de carro até a Rua Municipalidade, às proximidades do prédio da Universidade Estadual do Pará, UEPA, no bairro do Telégrafo.

Lá disparou sua arma de fogo desferindo 03 tiros contra a vítima Nirvana, um na cabeça, um no coração e outro no abdômen. Após isso o acusado quebrou o encosto do banco do carona para que ninguém visse o corpo da vítima Nirvana e evadiu-se do local.

O próprio acusado Mário ligou para um primo dizendo que havia feito uma besteira e que a vítima Nirvana estava ferida, precisando ser levada a um hospital. O referido primo foi até o local do crime, retirou o corpo da vítima Nirvana de dentro do carro e a deixou em um Hospital.

Através de denuncia anônima a Polícia Militar prendeu o acusado Mário na madrugada do dia 06 de julho de 2007 num sitio de familiares, em Benevides. E desde então está preso.

O caso foi julgado em 19/09/2008 pelo Dr. Ricardo Salame Guimarães, Juiz de Direito da 2ª Vara do Juizado de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher.

O Doutor Conselho de Sentença acatou a tese Homicídio Qualificado, do ART. 121, §2º, IV, do CPB, reconhecendo por maioria de votos, que o réu Mario Tasso Ribeiro Serra Júnior é o autor do crime em que foi vítima   Nirvana Evangelista da Cruz . Sendo condenado a 22 anos de reclusão, que deverá ser cumprida inicialmente em regime fechado.

O réu recorreu ao Tribunal de Justiça do Estado (2º grau), que manteve a pena já aplicada. Então em 14/09/2009 recorreu ao Superior Tribunal de Justiça, solicitando Habeas Corpus, para recorrer em liberdade que foi negado pelo Min. Napoleão Nunes Maia Filho.

 

"Sobre um chão de sangue e violência ceifaram-lhe a vida. Nossos corações saudosos pulsam por justiça."

Eu sou MOVIDA pela justiça

O Conselho de Sentença acatou a tese Homicídio Qualificado, do ART. 121, §2º, IV, do CPB, reconhecendo por maioria de votos, que o réu Mario Tasso Ribeiro Serra Júnior é o autor do crime em que foi vítima Nirvana Evangelista da Cruz . Sendo condenado a 22 anos de reclusão, que deverá ser cumpridainicialmente em regime fechado.

O réu recorreu ao Tribunal de Justiça do Estado (2º grau), que manteve a pena já aplicada. Então em 14/09/2009 recorreu ao Superior Tribunal de Justiça, solicitando Habeas Corpus, para recorrer em liberdade que foi negado pelo Min. Napoleão Nunes Maia Filho.



Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)






Ilza Rosa De Almeida em 24/01/2011 22:16
tambem vivo sem poder escolher o caminho que quero segui, confio em deus um dia livrarei.


Angélica Elmescany em 23/10/2010 17:04
A VIDA FURTADA DE NIRVANA “... Muitas vezes, me expulsava e trancava a porta me deixando ao relento. Isso aconteceu várias vezes, ele não me dava escolha da separação.” “... Dizia que me amava, mas me impedia de crescer, pois, todos os meus incentivos eram cortados, por escândalos e palavras de baixo calão.” “... Fui várias vezes ameaçada com arma de fogo e jogada brutalmente do carro em movimento na Pratinha.” “... Me escrevi em concurso público e quando faltava uma semana para prova, ele trancou meus documentos, comprovante de inscrição, apostilas e meus pertences pessoais. Tudo para que eu não tivesse acesso a uma oportunidade de trabalho garantido.” “... Fui cuspida no rosto e espancada na frente dos meus colegas de trabalho e clientes. Cheguei até a perder meu emprego.” Como se tudo isso não bastasse ou satisfizesse seu ego. Tirou minha vida no dia 05/07/07, com três tiros sendo: um na cabeça, um no coração e um no abdômen. Ainda alega legítima defesa! Fui morta de forma covarde, sem chance de defesa e abandonada dentro de carro fechado, sem direito nem mesmo a socorro. CREIO NA JUSTIÇA DE DEUS E ACREDITO NA JUSTIÇA DOS HOMENS! NIRVANA, FRÁGIL ROSA.

André Francavilla Luz Rose Inês Moreira Francisco Jozenilton Veloso  Pedro Lucas Barreto da Conceição Rodrigo Maia Casemiro Hector Manoel Soares Villanueva Cidia Costa Cardoso Nayara Juliane Brandino Jeferson Bruno Gomes Escobar Chang Tony Fregona Sampang Rachel Maria Lobo Genofre Vítor Vicente de Macedo Silva Lewis Anthony Rafael Macedo Vieira Humberto José Figueiras Barrense Werwethon Fernando Assis de Jesus Kelly Cristina Rodrigues Eveline Moreti Soares Suênio Rocha Melo Ana Claudia Caron Daniel Ribeiro de Almeida Cirne
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS