Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Thiago Klemtz de Abreu Pessoa (Assassinato)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 16/08/2009

Localização: Curitiba (PR)

Data de Nascimento: 01/11/1989 (19 anos)

Data de Falecimento: 16/08/2009

Sexo: Masculino Masculino
 

Thiago Klemtz de Abreu Pessoa, 19 anos, estudante de direito, foi morto a tiros na Rua Júlia da Costa, quase esquina com a Rua Euclides da Cunha, no Bigorrilho,  em 16/08/2009, por volta de 5h, após deixar uma festa acontecida na Sociedade Harmonia, situada a uma quadra do local.

Segundo a polícia, Thiago Klemtz não teve chance de defesa, o crime teve motivo fútil e existe o agravante do assassino ser policial. A pena para os crimes pode chegar a 20 anos de prisão.

Thiago Klemtz foi morto com três tiros. O laudo do IML comprovou que os tiros que atingiram o jovem foram disparados pela arma do policial.

Em depoimento, o soldado disse que disparou a arma para dispersar uma briga. O delegado Rodrigo Brown de Oliveira afirmou que o policial mentiu descaradamente e irá tomar as medidas cabíveis.

De acordo com o major Everton Puchetti a atuação  de Assaf seria analisada por um Conselho de Disciplina da PM para averiguar  sua permanência na Corporação. O trâmite do procedimento levaria de 80 a 120 dias. Isto foi declarado no dia 23 de dezembro de 2009.

Em 26 de agosto de 2009 o policial, Omar Assaf Junior, 29 anos, foi preso e indiciado por homicídio triplamente qualificado (por não haver chance de defesa, motivo fútil e por ser policial). Em 3 de dezembro, contudo, o PM foi posto em liberdade por decisão da 1.ª Câmara Criminal de Curitiba.

Em maio de 2010 o juiz Daniel Surdi Avelar , da 2.ª Vara Criminal do Tribunal do Júri de Curitiba, aceitou a denúncia contra o policial militar Omar Assaf Júnior, acusado de matar o estudante Thiago Klemtz de Abreu Pessoa.

O PM vai responder em juízo por homicídio doloso triplamente qualificado (com intenção de matar), mesmo crime pelo qual havia sido indiciado pela polícia. De acordo com o assistente de acusação e advogado da família das vítimas, Elias Mattar Assad, se não houver recurso por parte da defesa o caso vai entrar na pauta do tribunal e a acusação contra Assaf será analisada em júri popular.
 
A decisão ainda absolve o policial do crime de fraude processual e mantém a determinação da 1.ª Câmara Criminal que colocou o acusado em liberdade no início de dezembro. Segundo o advogado do policial, Cláudio Dalledone Júnior, o objetivo agora é fazer com que Assaf responda por homicídio simples. “Vamos recorrer destas qualificadoras”, afirma. O crime foi classificado como triplamente qualificado por não haver chance de defesa da vítima, por ser relacionado a motivo fútil e por Assaf ser policial.
 
O Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) determinou, em 17/02/2011, a prisão do policial militar Omar Assaf Júnior, acusado de ter matado o estudante de Direito, Thiago Klemtz de Abreu Pessoa, 19 anos, em agosto de 2009. Com a prisão cautelar de pronúncia, o policial deve ficar aprisionado até o julgamento. Assaf Júnior estava em liberdade desde o dia 4 de dezembro do ano passado, beneficiado por um habeas corpus concedido pelo próprio o TJ-PR.
 
Em sessão realizada nesta quinta-feira, a decisão coube ao desembargador Macedo Pacheco. O advogado da vítima, Elias Mattar Assad, que figura como assistente de acusação, havia recorrido do habeas corpus em dezembro do ano passado. Ele comemorou a decisão da Justiça. “A família estava angustiada e apreensiva, porque teve o filho executado da maneira que o crime ocorreu”, disse.
 
Os pais de Klemtz também se manifestaram sobre a decisão, por meio de uma nota encaminhada à imprensa. “Estamos lutando e continuaremos a lutar até o fim para que o frio executor do nosso filho volte para a cadeia e cumpra a pena correspondente ao crime praticado”, diz o comunicado.
 
Segundo Assad, o processo está embasado por depoimentos de testemunhas registrados em vídeo e imagens de câmeras de segurança que filmaram momentos do crime. Constam nos autos, ainda, uma reconstituição virtual dos fatos, realizada por peritos a pedido da família.
 
“Apesar do tempo decorrido e do apelo dos pais da vítima para que o acusado fosse afastado da Polícia Militar (PM), o processo interno da corporação que deliberará pela permanência ou exclusão do mesmo dos quadros da PM ainda não havia sido concluído. 
 
Em maio de 2011, por unanimidade de votos, o Conselho de Disciplina determinou a exclusão do soldado da Polícia Militar Omar Assaf Júnior, acusado de matar o estudante Thiago Klemtz, que tinha 19 anos em agosto de 2009, quando ocorreu o crime.
 
“Não pode a Policia Militar aceitar em seus quadros um policial que rompeu com todos os compromissos que havia assumido com a instituição, dando mau exemplo aos seus pares. A prática de conduta irregular compromete a ética e o decoro da classe perante a comunidade paranaense, violando as normas e responsabilidades que norteiam a vida em sociedade”, sentenciou o Conselho.
 
Para a família do estudante morto, em especial a mãe dele, Patricia Klemtz, a expulsão foi a medida esperada e serve para restaurar o sentimento de credibilidade para com Policia Militar. 
 
Omar Assaf Júnior encontra-se foragido desde que foi decretada a prisão no dia 17/02/2011
 
Marcado o Tribunal do Juri dia 24 julho às 9 horas: Ré: Omar Assaf Junior
Advogado: Dr. Claudio Dalledone Júnior, OAB/PR 27.347 (Constituído)
Advogado do Assistente de Acusação: Dr. Elias Mattar Assad, OAB/PR 9857
Promotora de Justiça: Drª. Lucia Inez Giacomitti Andrich
 
Em 24/07/2012 foi condenado a 16 anos o policial, Omar Assaf Júnior , acusado de assassinar o jovem Thiago Klemtz de Abreu Pessoa, mas o mesmo ainda encontra-se foragido, desde que foi decretada a prisão no dia 17/02/2011. 
 
Por Sandra Domingues, com informações do Blog Oficial e Gazeta do Povo

Omar Assaf Júnior encontra-se foragido desde que foi decretada a prisão no dia 17/02/2011

A família de Thiago Klemtz de Abreu Pessoa, assassinado por um PM com três tiros, no dia 16/08/2009, por motivo fútil, continua aguardando por justiça.

O estudante de Direito Thiago Klemtz de Abreu Pessoa foi morto com dois tiros no tórax e um na cabeça na saída da Sociedade Harmonia, no Bigorrilho. O policial militar Omar Assaf Júnior se apresentou voluntariamente à polícia, alegando legítima defesa. Ele estava de folga no dia. Os depoimentos das testemunhas, porém, afirmaram que o PM, após ter dado o primeiro tiro em Thiago, se aproximou e efetuou outros dois disparos.

Em 26 de agosto de 2010, Assaf Júnior foi preso e indiciado por homicídio triplamente qualificado (por não haver chance de defesa, motivo fútil e por ser policial). Em 3 de dezembro, contudo, o PM foi posto em liberdade por decisão da 1.ª Câmara Criminal de Curitiba.
 
Em maio de 2010 o juiz Daniel Surdi Avelar , da 2.ª Vara Criminal do Tribunal do Júri de Curitiba, aceitou a denúncia contra o policial militar Omar Assaf Júnior, acusado de matar o estudante Thiago Klemtz de Abreu Pessoa.
 
Em maio de 2011, por unanimidade de votos, o Conselho de Disciplina determinou a exclusão do soldado da Polícia Militar Omar Assaf Júnior, acusado de matar o estudante Thiago Klemtz, que tinha 19 anos em agosto de 2009, quando ocorreu o crime.
 
Em 24/07/2012 foi condenado a 16 anos o policial, Omar Assaf Júnior , acusado de assassinar o jovem Thiago Klemtz de Abreu Pessoa, mas o mesmo ainda encontra-se foragido, desde que foi decretada a prisão no dia 17/02/2011.
 
Por Sandra Domingues, com informações do Blog Oficial e Gazeta do Povo
 
 


Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)






Marcelo em 13/09/2015 22:27
Vamos fazer campanha e contratar um detetive e vigiar a familia

Geralda Lúcia Ferraz Guabiraba Rodrigo Maia Casemiro  Núbia Carmen Conte Haick Reni Aparecida Candinho Luiz Fernando Silva Santos Jorge Luís Lourenço Ana Alice Moreira de Melo Vinicius da Paz Almeida Henrique Barbosa da Silva Silvia Maria Arnaut da Costa Rodrigo Paulo Neves Cardoso Juvenil Severino Botelho Barroso Ana Beatriz Barreto Maiara Natalie da Silva João Cláudio Cardoso Leal Nívea Victória Leite Rodrigo Alves Leite Suênia Souza Faria Marcia Nascimento Gomes Ryan Alves Camargo Mirela Rabelo Portugal
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS