Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Rodolfo Gigante Iannuzzi (Assassinato)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 17/11/2002

Localização: Miguel Pereira (RJ)

Data de Nascimento: 14/05/1976 (26 anos)

Data de Falecimento: 17/11/2002

Sexo: Masculino Masculino
 

Rodolfo Gigante Iannuzzi, de 26 anos, foi assassinado em 17/11/2002 com três tiros à queima-roupa durante um baile à fantasia, em Miguel Pereira. Joubert Eduardo de Souza, de 24 anos, integrante da tradicional família Avelino, de Vassouras, foi denunciado pelo crime e teve a prisão preventiva decretada.

O inquérito policial apurou, na época, que Joubert, mais conhecido na região como Jouppert Avelino, atirou no jovem porque Rodolfo estava conversando na festa com uma ex-namorada do acusado.

Jouppert passou quase um ano foragido até que foi localizado e preso. Até hoje ele não foi julgado pelo crime. No dia 18 de setembro de 2008, os desembargadores que compõem a 5 Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio decidiram revogar a prisão preventiva do acusado e colocá-lo em liberdade. A decisão caiu como uma bomba na cabeça de Elisabete:

- Como um crime, com vítima e autor identificados, não é julgado. Isso é um absurdo ! - lamentou.

Impunidade em detalhes jurídicos

As causas da demora da Justiça em marcar o julgamento do acusado de assassinar Rodolfo Gigante Iannuzzi são, aparentemente, desconhecidas. Mas é certo que os recursos impetrados pelos advogados de defesa de Jouppert contribuíram, em muito, para transformar o processo em uma novela interminável.

- Meu cliente não foi a julgamento por causa da Justiça. Eu quero ter acesso as informações contidas num disquete que foi inserido nos autos pela acusação. Só que não me permitem - justificou o advogado Clóvis Sahione.

Foi baseado nessa demora da Justiça em marcar o julgamento que Sahione conseguiu colocar Jouppert rem liberdade.

- Meu cliente passou quase cinco anos preso. Ele, praticamente, cumpriu parte da pena sem ser julgado - defendeu o advogado.

Enquanto isso, Elisabete passa os seus dias dentro de sua casa, na Zona Sul do Rio, esperando uma decisão da Justiça.

- Estou me sentindo impotente. Não sei mais o que fazer. Só quero que se faça justiça na morte do meu filho - desabafou a mãe de Rodolfo.

A família de Rodolfo Gigante Iannuzzi é mais uma vítima da Impunidade no Brasil e esse mais um crime que ficou sem castigo!

Depois de 8 anos, 5 meses e 15 dias do crime enfim foi marcado o julgamento pelo Tribunal do Júri para Joubert Eduardo de Souza, acusado pela morte de Rodolfo.

O julgamento acontecerá no dia 22/08/2011 às 13h na Sala de Audiências da 2ª  Vara Criminal, corredor C, 2º andar

Tribunal de Justica do Estado do Rio de Janeiro - Rua Erasmo Braga 115 

A família aguarda por justiça!

 

 

 


Elisabete, mãe de Rodolfo Gigante Iannuzzi

Foto Sérgio Meirelles -Extra

Rodolfo Gigante Iannuzzi, 26 anos, foi assassinado com quatro tiros à queima-roupa numa festa à fantasia em Miguel Pereira - RJ no dia 17/11/2002.

Jouppert passou quase um ano foragido até que foi localizado e preso. Até hoje ele não foi julgado pelo crime. No dia 18 de setembro de 2008, os desembargadores que compõem a 5 Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio decidiram revogar a prisão preventiva do acusado e colocá-lo em liberdade. A decisão caiu como uma bomba na cabeça de Elisabete, mãe de Rodolfo Gigante Iannuzzi.

Depois de 8 anos, 5 meses e 15 dias do crime enfim foi marcado o julgamento pelo Tribunal do Júri para Joubert Eduardo de Souza, acusado pela morte de Rodolfo.

O julgamento acontecerá no dia 22/08/2011 às 13h na Sala de Audiências da 2ª  Vara Criminal, corredor C, 2º andar

Tribunal de Justica do Estado do Rio de Janeiro - Rua Erasmo Braga 115 

A família aguarda por justiça!


Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)






Alan em 08/12/2012 08:20
Devido a distância, não pude oferecer minhas condolências. Rezo para que a justiça possa trazer paz à família. Tenho uma frase que acredito ser universal para qualquer ocasião da vida: - O tempo é o melhor remédio... Sendo assim, com o tempo a justiça chegará, a dor se acabará e a paz no coração reinará. Abraços

Rodrigo Brisola Meira Magda Aparecida Galasso Gomes Patrícia da Costa Pessanha Juan de Moraes Daniel Henrique de Souza Rezende Bruno Souza Lopes Marísia von Richthofen Kamilly Rodrigues Sales Ana Clara Cunha da Mata Nicholas Marins Prado João Victor Urbinati Marino Ike Cézar Gonçalves Bruna Leite Sena Juliana Rodrigues Dhajyla Daniele Matos Silva Ademilson Candido Rafael Abbatipietro Nunes Rosa Priscila Vieira Belfort Evaldo José Nalin Raimundo Correia Menezes Neto Rafael de Jesus
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS