Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Marcos Yuri Prado de Oliveira Guirado (Assassinato)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 16/04/2007

Localização: Cuiabá (MT)

Data de Nascimento: 30/04/1996 (10 anos)

Data de Falecimento: 16/04/2007

Sexo: Masculino Masculino
 

Marcos Yuri Prado de Oliveira Guirado, 10 anos, foi assistir um filme na casa de um colega, filho de um tenente-coronel. Na casa estavam Yuri, o filho do tenente-coronel e mais um vizinho.

O adolescente (filho do tenente-coronel) de 13 anos confirmou que estava manuseando uma pistola do pai quando a arma disparou e atingiu mortalmente o amigo Yuri.
 
O adolescente entregou a arma para outro colega, que começou a manuseá-la. “De tanto mexer, ela (a pistola) deu um estalo. Então ele (o colega de 12 anos) jogou a arma de volta pra mim. A arma quase caiu no chão. Para não deixá-la cair, segurei-a com força. Então, a arma disparou”, completa o garoto.
 
Com medo da arma disparar novamente, afirmou que saiu correndo atrás do colega. O adolescente o encontrou na esquina e pediu ajuda para socorrer Marcos Yuri. “Vai me ajudar”, disse ele, mas o colega respondeu que não sabia de nada, mas afirmou que era um acidente.
 
No dia anterior ao de sua morte, o estudante Yuri se inscreveu num concurso municipal de poesia com um texto no qual aponta a violência como uma das coisas ruins de Cuiabá.
 
No mês do aniversário da cidade, na redação em homenagem à Capital, Yuri escreveu: “Cuiabá é uma cidade que tem coisas boas e ruins. Boas são as festas, comidas e doces típicos. Mais a realidade não é só isso, têm a criminalidade, os roubos, os políticos envolvidos em roubos. É assim que eu acho Cuiabá”.
 
A primeira audiência no processo que ficou conhecido como “Caso Yuri”, será realizada hoje (04/02/2009), onde o tenente-coronel Reinaldo Magalhães de Moraes responde por homicídio culposo (sem intenção), pela morte de Marcos Yuri Prado Oliveira Guirado. O garoto foi morto no dia 16 de abril de 2007 e durante esses 22 meses, quatro audiências agendadas foram adiadas.
 
No entanto, o oficial irá depor na tarde de hoje, na Primeira Vara Criminal. Reinaldo Magalhães é pai do menino, que na época tinha 13 anos, e disparou acidentalmente contra Marcos Yuri, com uma arma de propriedade do Estado, que estava em um guarda-roupa. A vítima morreu na hora.
 
O pai do menino, Marcos Prado, alega que até hoje muitas questões sobre a morte de seu filho ainda não foram apuradas e não detém de informações. Uma delas se refere a arma do crime, uma pistola ponto 40, que era de propriedade do Estado e não poderia estar na casa do tenente-coronel.
 
Além disso, o laudo no local da morte do menor comprovou que a cena do crime foi alterada. A arma foi colocada próxima a mão do menor, com a intenção de dizer que o próprio Marcos Yuri teria disparado contra ele. A defesa da família da vítima, questiona se a idéia de mudar a cena teria partido do próprio menor que disparou ou sob influência.

O pai do menino, Marcos Yuri Prado de Oliveira Guirado, alega que até hoje muitas questões sobre a morte de seu filho ainda não foram apuradas e não detém de informações. Uma delas se refere a arma do crime, uma pistola ponto 40, que era de propriedade do Estado e não poderia estar na casa do tenente-coronel.

Além disso, o laudo no local da morte do menor comprovou que a cena do crime foi alterada. A arma foi colocada próxima a mão do menor, com a intenção de dizer que o próprio Marcos Yuri teria disparado contra ele. A defesa da família da vítima, questiona se a idéia de mudar a cena teria partido do próprio menor que disparou ou sob influência.


Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)






Daiara em 10/04/2014 14:14
Pessoal saiu a sentença do Tenente Coronel Reinaldo Magalhães. Pegou todos de surpresa(principalmente os familiares), não tivemos qualquer informação que a sentença sairia hoje, nenhuma notificação (muito menos do nosso advogado Waldir Caldas). Após longos 7 anos de espera por uma justiça, tivemos a decepção que o Coronel vai cumprir 1 anos de serviços comunitário, porem o cara tem grana então vai pagar com cestas básica. A família esta inconsolável muito decepcionada, esperávamos por justiça, milagre, sei lá qualquer coisa que fosse o correto, honestamente, tive um pingo de esperança nessa justiça de Mato Grosso, porem a decepção. Ai me veio uma frase na cabeça 'Dinheiro na mão calcinha no chão' Será???

Rodrigo Vieira Wagner Marques dos Santos Carla Vicentini Ana Karina Matos Guimarães Ana Cristina de Macedo Hércules Araújo Lima Bruce Cristian de Souza Oliveira Fernanda Tripodi Carlos Eduardo de Souza Garcia Abdias Felício de Souza Aracy Mendonça Da Silva Leopardi Dayanne Mendonça Maglione Hozana Rodrigues Vicente Yassuti Nakamatsu Luiz Augusto Antunes Guedes Paulo Alexandre Gomes Géssica Guedes Pereira André Barros dos Santos Júnior Suênia Souza Faria Flávio Augusto Nascimento Cordeiro Raimundo Correia Menezes Neto
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS