Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Cristiane Souza Leite (Chacina)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 26/07/1990

Localização: Rio de Janeiro (RJ)

Data de Nascimento: 00/00/1974 (16 anos)

Data de Falecimento: 26/07/1990

Sexo: Feminino Feminino
 

Cristiane Souza Leite, 16 anos, foi umas das 11 vítimas da Chacina de Acari, que ocorreu em 26/07/1990 no Rio de Janeiro.

A Chacina de Acari, como ficou conhecida, ocorreu no dia 26 de julho de 1990, quando onze pessoas, dentre elas sete menores,moradoras da favela do Acari no Rio de Janeiro, foram retiradas de um sítio em Suruí, no bairro do município de Magé, onde passavam o dia, por um grupo que se identificava como sendo policiais.

Os sequestradores queriam jóias e dinheiro, e após supostamente negociarem a sua libertação por meio de um pagamento, durante cerca de uma hora, segundo a única testemunha do caso, Dona Laudicena, já falecida, os sequestradores levaram as onze vítimas para um local abandonado. Nem eles nem seus corpos até hoje foram encontrados.

As mães dos desaparecidos começaram uma busca por seus filhos e por justiça, e ficaram conhecidas como as Mães de Acari (local onde a maioria dos sequestrados morava). O inquérito, que recebeu nova data em 1998, e o inquérito sob o número 07/98 na Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense está aberto e sem progressos.

Os onze seqüestrados (e suas idades à época):

Viviane Rocha, 13 anos
Cristiane Souza Leite, 16 anos
Wudson de Souza, 16 anos
Wallace do Nascimento, 17 anos
Antonio Carlos da Silva, 17 anos
Luiz Henrique Euzébio, 17 anos
Edson de Souza, 17 anos
Rosana Lima de Souza, 18 anos
Moisés dos Santos Cruz, 31 anos
Luiz Carlos de Vasconcelos, 37 anos
Edio do Nascimento, 41 anos

Em sua luta por justiça, as mães sofreram perseguições, calúnias e ameaças. Uma das mães, Edméia da Silva, foi assassinada em 20 de julho de 1993, supostamente por vingança.

Vera Lúcia Flores, de 59 anos, uma das "Mães de Acari", mãe de morreu Cristiane Souza Leite na madrugada de 10/08/2008 em casa, em Laranjeiras, em decorrência de um acidente vascular-cerebral (AVC).

O movimento "Mães de Acari" surgiu em 1990, após o seqüestro e assassinato de 11 jovens moradores da Favela de Acari. As mães se organizaram para denunciar o sumiço dos filhos e cobravam das autoridades o direito de enterrá-los. Cinco policiais foram indiciados, mas não chegaram a ser julgados por falta de provas. Os corpos dos jovens nunca foram encontrados.

Vera Lucia Flores, assim como Cleyde Prado Maia Ribeiro, transformou o seu luto em luta, mas morreu sem ver a Justiça ser feita e sem poder enterrar o corpo de sua filha Cristiane Souza Leite por quem lutou nos últimos 18 anos de vida.

20 Anos do Caso Acari: Não ao Esquecimento, Sim à Justiça!

Foi o primeiro grande crime, envolvendo grande número de vítimas de uma só vez, cometido por policiais, em serviço ou não, contra moradores de favelas e periferias pobres, no Rio e no Brasil. Apesar dos numerosos indícios e informações que apontam a participação de policiais militares e civis no sequestro, até hoje o inquérito não foi concluído e ninguém foi denunciado pela Justiça.

O Caso Acari também marcou, portanto, o início da época da impunidade escandalosa em casos de crimes cometidos pelo Estado brasileiro contra seus cidadãos, após o encerramento formal do regime ditatorial iniciado em 1964, e o suposto advento da democracia no país.

As consequências da total falta de investigação e empenho dos poderes do Estado não demoraram a aparecer: em janeiro de 1993, Edméia da Silva Euzébio, uma das mães dos jovens sequestrados mais empenhada na luta por justiça, foi assassinada. Em agosto do mesmo ano, policiais militares que faziam parte do mesmo grupo de extermínio conhecido como "Cavalos Corredores", envolvido no desaparecimento de 1990, cometeram outro crime medonho, matando 21 pessoas na favela de Vigário Geral. Um mês antes, 8 crianças e jovens haviam sido trucidadas em frente à Igreja da Candelária, centro do Rio. A Era das Chacinas havia definitivamente começado no Brasil. O pesadelo continua até hoje, cobrando vidas, aterrorizando populações, destruindo famílias, pisoteando a democracia e os direitos humanos.

Vera Lucia Flores, mãe de Cristiane Souza Leite

Vera Lucia Flores, assim como Cleyde Prado Maia Ribeiro, transformou o seu luto em luta, mas morreu sem ver a Justiça ser feita e sem poder enterrar o corpo de sua filha Cristiane Souza Leite por quem lutou nos últimos 18 anos de vida.

20 Anos do Caso Acari: Não ao Esquecimento, Sim à Justiça!
 
Foi o primeiro grande crime, envolvendo grande número de vítimas de uma só vez, cometido por policiais, em serviço ou não, contra moradores de favelas e periferias pobres, no Rio e no Brasil. Apesar dos numerosos indícios e informações que apontam a participação de policiais militares e civis no sequestro, até hoje o inquérito não foi concluído e ninguém foi denunciado pela Justiça.
 
O Caso Acari também marcou, portanto, o início da época da impunidade escandalosa em casos de crimes cometidos pelo Estado brasileiro contra seus cidadãos, após o encerramento formal do regime ditatorial iniciado em 1964, e o suposto advento da democracia no país.
 
As consequências da total falta de investigação e empenho dos poderes do Estado não demoraram a aparecer: em janeiro de 1993, Edméia da Silva Euzébio, uma das mães dos jovens sequestrados mais empenhada na luta por justiça, foi assassinada. Em agosto do mesmo ano, policiais militares que faziam parte do mesmo grupo de extermínio conhecido como "Cavalos Corredores", envolvido no desaparecimento de 1990, cometeram outro crime medonho, matando 21 pessoas na favela de Vigário Geral. Um mês antes, 8 crianças e jovens haviam sido trucidadas em frente à Igreja da Candelária, centro do Rio. A Era das Chacinas havia definitivamente começado no Brasil. O pesadelo continua até hoje, cobrando vidas, aterrorizando populações, destruindo famílias, pisoteando a democracia e os direitos humanos.


Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)





Gislainni Paola Neves Santos  Marcela Naiane Alves dos Santos Cidia Costa Cardoso Kaio Lucas Garcia Negris Camila da Silva Moutinho Rafael de Jesus Daniela Ferreira Roberta Pires Teixeira de Miranda Alessandra de Melo Carvalho Milena Bittencourt Pontes André Francavilla Luz Lore de Santana Vaz Silvia Maria Arnaut da Costa Renné Senna Amanda Rossi Alex Schomaker Bastos Décio Sá Carlos Gustavo Russo Cíntia Cardoso Pinheiro Raimundo Nonato Bezerra Alaélcio Pereira de Araújo
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS