Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Sandra Florentino Gomide (Assassinato)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 20/08/2000

Localização: Ibiúna (SP)

Data de Falecimento: 20/08/2000

Sexo: Feminino Feminino
 

Sandra Gomide, 33 anos, jornalista, foi assassinada com dois tiros pelo jornalista Antonio Marcos Pimenta Neves, Ibiúna-SP, em 20/08/2000.

Pimenta Neves, 69 anos,  em 2006, chegou a ficar 2 meses e 12 dias preso pelo assassinato da ex-namorada, a também jornalista Sandra Gomide. Ele recorreu e aguardou o julgamento em liberdade.

O juiz Diego Ferreira Mendes, de Ibiúna (64 km a oeste de São Paulo), entendeu que Pimenta Neves obteve de tribunais superiores o direito do recurso em liberdade. Após o crime, ele passou sete meses preso e, em março de 2001, conseguiu uma liminar do ST.

O pai da jornalista Sandra Gomide, assassinada há 11 anos, João Florentino Gomide, afirmou em 20/08/2010, em entrevista ao Jornal Nacional, da Rede Globo, que a Justiça brasileira "é uma brincadeira". Antônio Pimenta Neves, 72 anos, ex-diretor do jornal O Estado de São Paulo, foi julgado e condenado pelo homicídio. Ele continua solto, apesar de ter confessado o crime.

Segundo o subprocurador Wagner Gonçalves, "aqueles que podem pagar bons advogados, sabem que podem entrar com recursos intermináveis para não deixar esse trânsito julgado ocorrer". Ao todo, a defesa de Pimenta apresentou 23 recursos. O ex-namorado da jornalista continuará solto até que todas as possibilidades de recurso na Justiça se esgotem.

Amparado legalmente pela Justiça, que estabelece como regra a Presunção da Inocência, Antonio Marcos Pimenta Neves, que confirmou autoria dos dois disparos “pelas costas”, resultando no covarde assassinato da jornalista Sandra Florentino Gomide, em 20 de agosto de 2000, mesmo sendo réu confesso, estende o tempo em liberdade. 

Indiciado, julgado, e, (depois de passados seis anos do crime) a priori, sentenciado em 05 de maio do ano de 2006, a pena de 19 anos e dois meses de prisão, (depois reduzidos para 15) livre, o acusado aguarda decisão do Supremo Tribunal de Justiça Criminal. 
 
Pimenta Neves, que por sua defesa já apresentou aproximadamente 22/23 (vinte e dois/vinte e três) recursos na justiça, segue ainda esgotando o direito à ampla defesa, ou seja, pautando-se com amparos legais, aos direitos e faculdades concedidos à parte para impugnar decisões judiciais e assim, permanece solto.
 
Em 2008, o jornalista foi condenado a cumprir 15 anos de prisão, mas aguardava decisão do último recurso em liberdade.
 
Os ministros da 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) determinaram na tarde de 24/05/2011) que o jornalista Antonio Marcos Pimenta Neves comece a cumprir a pena de 15 anos de reclusão em regime inicialmente fechado à qual foi condenado pelo assassinato da também jornalista Sandra Gomide, em 2000. Os ministros rejeitaram por unanimidade um recurso da defesa de Pimenta e concluíram que chegou a hora de ele começar a cumprir a pena.
 
No julgamento deste último recurso, a 2ª Turma do STF seguiu a decisão do ministro Celso de Mello e considerou precluso o Agravo, ou seja, entendeu que a defesa não apresentou novos argumentos em relação ao que já tinha sido julgado pelo STJ. Por sugestão da ministra Ellen Gracie, o ministro Celso de Mello determinará ao juiz de Ibiúna a imediata execução da pena. "É chegado o momento de cumprir a pena", afirmou Celso de Mello. "O jornalista valeu-se de todos os meios recursais postos à disposição dele. Enfim, é chegado o momento de cumprir a pena", disse o ministro. A comunicação oficial da decisão será feita também ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) e ao Tribunal de Justiça de São Paulo.
 
Segundo a ministra Ellen Gracie, o caso Pimenta Neves é um dos delitos mais difíceis de se explicar no exterior. “Como justificar que, num delito cometido em 2000, até hoje não cumpre pena o acusado?” A ministra qualificou como um exagero a quantidade de recursos apresentados pela defesa do jornalista, embora todos estejam previstos na legislação brasileira.
 
Para o ministro Ayres Britto, o número de recursos apresentados pela defesa beira o “absurdo” e foi responsável por um “alongamento injustificável do perfil temporal do processo”. Na opinião do presidente da Segunda Turma, ministro Gilmar Mendes, “este é um daqueles casos emblemáticos que causam constrangimentos de toda ordem”, assim como o caso do assassinato dos fiscais do Trabalho de Unaí (MG) e da deputada alagoana Ceci Cunha, e que provocam uma série de discussões sobre a jurisprudência em matéria de trânsito em julgado. “Não raras vezes, os acusados se valem dos recursos existentes e também do excesso de processos existentes nos tribunais”, disse.
 
O recurso pendente no STF e negado hoje era o último que o mantinha em liberdade.
 
Após passar a primeira noite detido, o jornalista Antonio Marcos Pimenta Neves, condenado a 15 anos de prisão pela morte da ex-namorada e também jornalista Sandra Gomide, já deixou a carceragem do 2º Distrito Policial, no Bom Retiro, região central de São Paulo, e segue para a Penitenciária de Tremembé - Interior de São Paulo.
 
O jornalista Antonio Pimenta Neves, de 74 anos, foi transferido para a penitenciária II de Tremembé, cidade a 140 quilômetros de São Paulo em 25/05/2011. A advogada do jornalista, Maria da Costa Ferreira, disse que fez um pedido à Justiça de Ibiúna, onde a jornalista Sandra Gomide foi morta por ele, para que Pimenta fosse levado o mais rápido possível para lá. Nesse presídio estão condenados por crimes que tiveram repercussão nacional como Alexandre Nardoni, acusado pela morte da filha Isabela Nardoni, e os irmãos Cravinhos, que junto com Suzane Richthofen mataram os pais dela.
 
A viagem de São Paulo a Tremembé, que fica no Vale do Paraíba, dura duas horas. No presídio, Pimenta Neves ficará numa cela isolada por quinze dias. Depois desse período, a direção vai avaliar se ele tem condições de conviver com outros presos ou se continuará isolado. A cela que Pimenta Neves vai ficar tem 9 metros quadrados, uma cama e espaço para tomar banho.
 
A advogada disse que nesta quinta-feira vai a Tremembé para verificar as condições de Pimenta Neves. Ela pretendia levar um médico à delegacia do Bom Retiro, no centro de São Paulo, onde ele passou a primeira noite preso, mas o jornalista disse que estava bem. A advogada afirma que Pimenta Neves tem hipertensão e diabetes. Ela disse que poderá levar o médico até Tremembé.
 
O jornalista Antonio Marcos Pimenta Neves, deverá permanecer nesta unidade Prisional pelo período mínimo de um ano e onze meses, isso, em detrimento de sua idade, período em que permaneceu preso anteriormente (07 meses) e progressão de regime.
 
Ainda há a possibilidade da defesa de Pimenta Neves requerer pedido de prisão domiciliar, que, se deferido, poderá novamente lhe beneficiar... 
 
O crime ocorreu no ano de 2000, e, pela idade atual de Pimenta Neves (74 anos), por muito pouco, o crime não prescreveu. 

Em 04 de setembro de 2013 a Vara de Execuções Criminais de Taubaté, em São Paulo, concedeu o regime semiaberto ao jornalista Antonio Marcos Pimenta Neves. A decisão foi divulgada pelo TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) 
 
De acordo com a decisão da juíza Sueli Zeraik de Oliveira Armani, "o sentenciado tem contra si uma condenação de 14 anos, dez meses e três dias de reclusão, por homicídio doloso; já implementou o requisito temporal para a progressão de regime prisional e mantém bom comportamento carcerário, consoante atestado pela Administração Penitenciária".
 
Ainda consta na decisão que, "a transferência para regime menos gravoso de cumprimento de pena deve ser deferido quando o preso tiver cumprido pelo menos 1/6 da reprimenda no regime anterior e revelar bom comportamento carcerário, este comprovado por simples declaração do diretor da unidade prisional. Uma vez presentes estes dois requisitos, é o quanto basta para a concessão do benefício, e no caso em questão ambos vêm comprovados nos autos".
 
Pimenta Neves está preso desde 2011 na Penitenciária de Tremembé, no interior de São Paulo. Com o regime semiaberto, ele pode trabalhar durante o dia e voltar para a prisão à noite.

Por Sandra Domingues, com informações da Folha, O Globo e Uol notícias

Sandra Gomide, 33 anos, jornalista, foi assassinada com dois tiros pelo jornalista Antonio Marcos Pimenta Neves, Ibiúna-SP, em 20/08/2000.

Pimenta Neves, 69 anos,  em 2006, chegou a ficar 2 meses e 12 dias preso pelo assassinato da ex-namorada, a também jornalista Sandra Gomide. Ele recorreu e aguardou o julgamento em liberdade.

Em 2008, o jornalista foi condenado a cumprir 15 anos de prisão, mas aguardava decisão do último recurso em liberdade.
 
Os ministros da 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) determinaram na tarde de 24/05/2011 que o jornalista Antonio Marcos Pimenta Neves começasse a cumprir a pena de 15 anos de reclusão em regime inicialmente fechado. Os ministros rejeitaram por unanimidade um recurso da defesa de Pimenta e concluíram que chegou a hora de ele começar a cumprir a pena.
 
Em 04 de setembro de 2013 a Vara de Execuções Criminais de Taubaté, em São Paulo, concedeu o regime semiaberto ao jornalista Antonio Marcos Pimenta Neves. A decisão foi divulgada pelo TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) 
 
De acordo com a decisão da juíza Sueli Zeraik de Oliveira Armani, "o sentenciado tem contra si uma condenação de 14 anos, dez meses e três dias de reclusão, por homicídio doloso; já implementou o requisito temporal para a progressão de regime prisional e mantém bom comportamento carcerário, consoante atestado pela Administração Penitenciária".
 
Ainda consta na decisão que, "a transferência para regime menos gravoso de cumprimento de pena deve ser deferido quando o preso tiver cumprido pelo menos 1/6 da reprimenda no regime anterior e revelar bom comportamento carcerário, este comprovado por simples declaração do diretor da unidade prisional. Uma vez presentes estes dois requisitos, é o quanto basta para a concessão do benefício, e no caso em questão ambos vêm comprovados nos autos".
 
Pimenta Neves está preso desde 2011 na Penitenciária de Tremembé, no interior de São Paulo. Com o regime semiaberto, ele pode trabalhar durante o dia e voltar para a prisão à noite.

Por Sandra Domingues, com informações da Folha, O Globo e Uol notícias


Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)






Lane em 12/07/2012 11:09
Sabe, estava lendo cada caso aqui do site e fico indignada de como a justiça é falha, que só dá vantagens aos criminosos. Até quando teremos que aturar este tipo de coisa, onde estes malditos assassinos (de humanos e animais), pedófilos, estupradores ficam soltos cometendo seus crimes e as pobres vítimas ficam sem justiça? No Brasil deveria adotar a pena de morte, porque talvez desta forma estes monstros parassem com isso. Daqui a pouco o que vai imperar vai ser a lei do olho por olho dente por dente, pois a porcaria da justiça não nos protege (ela realmente é cega tanto que converte a vítima em criminoso), nem ninguém, estamos a merce de marginais, precisamos de muita ajuda Divina. Os seres humanos serão os responsáveis pela extinção de sua própria espécie e das demais, tudo por causa de seres tão perversos que desabrocham diariamente... NÓS QUEREMOS JUSTIÇA, CHEGA DE IMPUNIDADE. As leis só vão mudar quando estes magistrados um a um tiverem parentes assassinados seja por bala perdida, seja por acidente de trânsito, seja morto por qualquer outro tipo de psicopata...


Sandra Domingues em 25/05/2011 13:27
MAIS UM PARA O TREMEMBÉ... Aff...se cair um míssil nesse lugar, só vai voar demônios pelos ares!!!

Wagner Moreira Igor Moraes da Silva Gil Melo Sicuro Olival Felix Possidonio Darlla Dutra Rodrigues José Cláudio Ribeiro da Silva Carlos Gustavo Russo Nísio Gomes Sheyla Santos Turizani Edgar Pacha Quintela Carlos Magno Oliveira Vanessa Ferreira Carobene Daniel Carrilho Evaristo Délio Márcio Rodrigues de Souza Juliana Costa Suênia Souza Faria  Tayná Adriane da Silva Décio Soares Paulo Guilherme Patrícia Gomes Ávilla Luis Paulo Oliveira Barbosa
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS