Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Jackson Wataru Komati (Sequestro)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 02/07/2002

Localização: São Bernardo do Campo (SP)

Data de Nascimento: 01/08/1977 (25 anos)

Data de Falecimento: 03/08/2002

Sexo: Masculino Masculino
 

Jackson Wataru Komati, 25 anos, foi sequestrado e mantido em cativeiro por 26 dias, sendo torturado e morto, São Bernardo do Campo-SP, em 03/08/2002.

Meu cunhado foi seqüestrado no dia 02/07/2002. A quadrilha exigia um valor de totalmente fora da realidade e de nosso alcance. Os escassos telefonemas vinham de telefones públicos. Eles ameaçavam cometer brutalidades com o Jackson Wataru Komati e outros membros da família; principalmente, as crianças. Só quem já passou por isso sabe o que é esperar sem dormir e comer direito, principalmente o pai e irmão do Jackson Wataru Komati que dormiam no sofá da sala, esperando por um contato ao lado do telefone. Uma mãe, esposa e irmã que só sabiam chorar e rezar. Toda uma família que não saía mais de casa por conta das ameaças.

Voltaram a ligar em 15/07/2002, disseram que não aceitariam a importância oferecida e que deixariam “um presente” para a família junto ao km 20 da Rodovia Anchieta num pacote de salgadinhos (Meu Deus!) e em seu interior um pedaço de seu dedo (Meu Deus!).

Em 27/07/2002, pagamos o que conseguimos juntar em mais de 30 anos de serviço. Mas nesses casos, não há opção. A gente faz o que eles mandam. Após o pagamento, os marginais voltaram a ligar, disseram que estava tudo certo, que haviam apanhado o dinheiro e que assim que fizessem a conferência soltariam a vítima, nosso tão esperado Jackson Wataru Komati. Porém, os dias se passaram e os seqüestradores não fizeram mais nenhum contato; e o pior, o Jack, Jackson Wataru Komati não aparecia.

Em 27/07/2002 foi o mais longo de nossas vidas. Ninguém dormiu, todo mundo só esperou, esperou, esperou... O corpo do Jackson Wataru Komati  foi encontrado em 03/08/2002 (2 dias após seu aniversário em que completaria somente 25 anos) às margens da Represa Billings, no Bairro Riacho Grande, São Bernardo Campo.

Alguém (não sei quem foi a pessoa) tinha falado para meus sogros ligarem a TV na Record, no programa do Datena. Meus Deus do céu!!! Como um pai e uma mãe podem ficar sabendo pela TV e assistirem, ao vivo, seu filho ser retirado da represa, só de calças, sem um pedaço do dedo, com uma fita adesiva verde em volta de toda a cabeça e um chumaço de algodão no nariz e na boca? Não vou meter a boca nesses programas porque depois nos ajudaram a encontrar alguns dos criminosos. Mas nessa parte, deveriam, pelo menos, esperar ser dada a notícia primeiro pelas autoridades competentes. Nunca vou esquecer a expressão nos rostos dos meus sogros. Não sei como resistiram a tanta dor. Eles têm uma força invejável, são guerreiros e minha admiração por eles não tem fim.

Começou a chegar gente na casa deles que não parava mais. Solidariedade, curiosidade, sei lá. De algumas pessoas, achei que faltou respeito, estavam lá só para assuntar. Só sei que ninguém dos “Direitos Humanos” apareceu por lá, nenhum telefonema, nenhum telegrama, nem um “olá” sequer. Os dias que se seguiram de nada ajudavam. Só chegavam até nós detalhes, cada vez mais sórdidos, sobre o crime cometido contra o Jackson Wataru Komati.

Conforme tomamos conhecimento deles, fomos descobrindo os requintes da crueldade a que nosso querido e saudoso Jackson Wataru Komati, o Jack, foi submetido. Estes vagabundos tiveram a oportunidade de conviver com o Jackson Wataru Komati, o Jack, nestes 26 dias de cativeiro e conhecer o bom caráter e a bondade presentes nele. Mesmo assim, não deram nenhum valor a sua vida. Além de ele ser morto de forma tão cruel e desumana, ele foi consistentemente torturado física e psicologicamente durante todo o período de cativeiro. As menores envolvidas no crime falaram para a juíza, no depoimento, que o escutaram gritar, várias vezes, de fome, dor, vontade de ir ao banheiro, tomar um banho; enfim, necessidades básicas das quais ele foi privado. Além das constantes ameaças que os bandidos faziam a sua integridade física e a dos seus parentes. Não contentes com a privação das suas necessidades básicas e as ameaças que lhe faziam, ele foi mantido durante quase todo o período de cativeiro naquele buraco debaixo da casa, acorrentado, com a cabeça vendada, com apenas um tubo de PVC para respirar, já que o tampão era vedado com sabão. Teve seu dedo decepado, ficando mais de 13 dias sem cuidados médicos algum. Portando, o sofrimento do Jackson Wataru Komati, o Jack, não se deu apenas no dia de sua morte, à base de pauladas e pedradas (!!!). Durante todo o período longe de casa, ele foi torturado das mais diversas formas; tendo apanhado freqüentemente, conforme laudos periciais que apontam os hematomas presentes e efetuados bem antes da sua morte (!).

Agora nos depoimentos, todos são "coitadinhos", foram "obrigados" a fazer o que fizeram devido a ameaças e necessidades econômicas. Sendo que existem depoimentos que atestam a realização de vários churrascos naquela casa com um alto grau de integração entre as pessoas e com grande promiscuidade. Não quero me focar nessas almas perdidas, mas em 28/04/2005, após quase 3 anos de espera, foram 7 condenados (maiores de idade) com uma média de 42 anos e 2 meses de reclusão, cada um. Isso se a Lei não os favorecer com inúmeros benefícios que sabemos que existem. As 3 menores envolvidas foram para a Febem, devem ter ensinado as técnicas do seqüestro e outros crimes a outras menores e ficaram, no máximo, entre 6 meses a 3 anos na citada Instituição. Já estão soltas, sem ficha criminal e devem estar cometendo, novamente, delitos e crimes com novos comparsas. Sem comentários. Abominável. Deus levou Jackson Wataru Komati muito cedo. Talvez Deus quisesse um anjo lá em cima. Queremos acreditar que ele está num lugar melhor; o que não é difícil, pois a vida aqui no Brasil está se tornando insuportável em termos de violência.

Enviei um projeto de lei que veio a ser aprovado para que a UBS do Jardim das Orquídeas, em São Bernardo do Campo, viesse a se denominar UBS JJackson Wataru Komati, o Jack. Segue um trecho do projeto de lei: “Muitos podem perguntar o que ele teve ou fez de tão especial para receber a homenagem de ter seu nome dado à UBS do Jardim das Orquídeas”. Estava praticamente começando a vida e quais foram os grandes feitos praticados por ele? Bom; para quem o conheceu, ele simplesmente existiu. Grande exemplo de honestidade, bom caráter, bondade e trabalho árduo para todos os que o conheceram. Infelizmente, foi tirado de nosso convívio muito cedo. Os que não o conheceram devem ter ouvido falar, visto ou lido o que aconteceu a ele pela imprensa. Foi seqüestrado, torturado, barbaramente mutilado, confinado em um cativeiro por aproximadamente 30 dias. Mesmo após o pagamento do resgate pela família, foi morto com requintes de crueldade, sem nenhuma compaixão. O que ele fez? Segundo depoimentos dos próprios, foi forte e extremamente corajoso. Somente queria ser solto e continuar sua vida ao lado de sua esposa e seu pequeno filho de apenas 1 mês de vida; e a ajudar seus pais, familiares, amigos e a quem precisasse.

A homenagem não será somente para Jackson e seu futuro promissor que jamais poderá ser concluído. Será uma homenagem a todas as vítimas da violência que infelizmente acontece nos dias atuais. Será uma homenagem aos jovens que precocemente se foram, vítimas da violência; uma homenagem aos pais e familiares destes jovens que sofreram uma perda irreparável; uma homenagem à esperança de um futuro melhor; uma homenagem para que seu filho tenha orgulho de ter tido um pai, um cidadão comum e ao mesmo tempo tão especial; muito mais que digno desta homenagem.” Foi interrompida uma vida de uma pessoa de caráter, lutador; bom, filho, marido, irmão, amigo e pai. Trabalhador, honesto, incapaz de fazer o mal a alguém. Todo mal que fizeram a ele não se compara ao amor que sentimos e à solidariedade recebida.

Que lembremos dele como sempre foi, alegre e com um ótimo coração. Que o amor que sentimos, ele receba em forma de luz. Comovo-me e solidarizo-me com todas histórias relatadas aqui. Que a Justiça dos homens e a de Deus faça-se presente. "Uma injustiça em qualquer lugar é uma ameaça à justiça em qualquer lugar" (Martin Luther King) ACASO."Cada um que passa em nossa vida,passa sozinho, pois cada pessoa é única e nenhuma substitui outra.Cada um que passa em nossa vida,passa sozinho, mas não vai só nem nos deixa sós.Leva um pouco de nós mesmos,deixa um pouco de si mesmo.Há os que levam muito,mas há os que não levam nada.

Essa é a maior responsabilidade de nossa vida, e a prova de que duas almas não se encontram ao acaso. " (Antoine de Saint-Exupéry)

Jackson Wataru Komati, 25 anos, foi sequestrado e mantido em cativeiro por 26 dias, sendo torturado e morto, São Bernardo do Campo-SP, em 03/08/2002.

Em 27/07/2002 o corpo do Jackson Wataru Komati  foi encontrado em 03/08/2002 (2 dias após seu aniversário em que completaria 25 anos) às margens da Represa Billings, no Bairro Riacho Grande, São Bernardo Campo.



Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)






Suzana Milene em 11/11/2011 20:29
q absurdo o brasil sem duvida nenhuma precisa de leis mais severas.quanto vale uma vida na mão desses criminosos? nada absolutamente nada...um rapaz tão jovem com uma vida inteira pela frente ser morto dessa maneira com requintes de crueldade. vendo um caso desses e tantos outros que se passam por aí e que muitas e muitas vezes ficam impunes digo pra mim mesma "que sinto muita vergonha de ser brasileira e de viver em um país como esse onde o amor de uma família, de um próximo seja considerado tão inútil, pois quem comete ou até mesmo sabe que pode ocorrer um crime desse tamanho é porque não tem amor dentro do coração e muito menos dó acho q nenhuma espécie de sentimento bom no coração. não sabe o que é o amor de uma mãe de um irmão, amigo filho .... não sabe....sei que a justiça pode ser feita ,temos que acreditar e torcer pra que isso seja feito, mas nada vai trazer a vida desse anjo de volta mas poderá sim, aliviar o sentimento de dor dessa família que com certeza clama por justiça mais que jusat é o que eu espero do fundo do meu coração....

Luís Antonio Nunes Aceto Carla Ingrid de Oliveira Correa Tainá Eliz de Souza Caetano Pablo Gomes Matielli Louise Sayuri Maeda Ana Paula Moreno Germano Alaélcio Pereira de Araújo Caren Cristina dos Santos Barbosa França Cidia Costa Cardoso Sérgio Lopes Souza Júnior Jaciene Ianca Farias dos Santos Raimundo Nonato Bezerra Vinicius da Paz Almeida Galdino Jesus dos Santos Rafaela Rabelo Alves Francisconi Vicente Yassuti Nakamatsu Joana Aparecida da Silva Santos Palmerina Pires Ribeiro Hugo Ronca Cavalcanti Patrícia Amieiro Branco de Franco Patricia Leal dos Santos
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS