Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Priscilla Gomes de França (Assassinato)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 01/07/2000

Localização: São Paulo (SP)

Data de Nascimento: 13/08/1984 (15 anos)

Data de Falecimento: 01/07/2000

Sexo: Feminino Feminino
 

Priscilla Gomes de França, 15 anos, assassinada após discussão com uma outra menor (Juliana), foi espancada e alvejada com três tiros na cabeça durante um quermesse – Festa junina , na Praça da Vila Nova Cachoerinha , zona norte , São Paulo-SP, em 01/07/2000.

Após discussão com Juliana, a qual prometeu que voltaria. Voltou logo depois com mais cinco elementos, que pegaram a Priscilla Gomes de França, espancando-a até desmaia e ainda deitada no chão, indefesa, deram os três tiros na nuca, foi uma crueldade inaceitável. Um menor foi preso como autor dos disparos, talvez para proteger os demais, pois sabemos que o menor é sempre protegido pelo Estatuto da Criança e Adolescente (ECA).

Francisca Rosemeire, mãe de Priscilla Gomes de França, relata que “só um menor foi detido. Ficou uns três meses na Febem e foi solto. Os outros e a menina mentora do crime estão livres, embora todo mundo os conheça e a polícia saiba quem são.

O motivo do crime foi ciúmes. A mãe garante que a polícia não se empenhou em prender os criminosos. E que ainda teve de ouvir que "na periferia, quem manda é o bandido”.


Priscilla Gomes de França, 15 anos, assassinada após discussão com uma outra menor (Juliana), foi espancada e alvejada com três tiros na cabeça durante um quermesse – Festa junina , na Praça da Vila Nova Cachoerinha , zona norte , São Paulo-SP, em 01/07/2000.

Após discussão com Juliana, a qual prometeu que voltaria. Voltou logo depois com mais cinco elementos, que pegaram a Priscilla Gomes de França, espancando-a até desmaia e ainda deitada no chão, indefesa, deram os três tiros na nuca, foi uma crueldade inaceitável. Um menor foi preso como autor dos disparos, talvez para proteger os demais, pois sabemos que o menor é sempre protegido pelo Estatuto da Criança e Adolescente (ECA).

Francisca Rosemeire, mãe de Priscilla Gomes de França, relata que “só um menor foi detido. Ficou uns três meses na Febem e foi solto. Os outros e a menina mentora do crime estão livres, embora todo mundo os conheça e a polícia saiba quem são.

O motivo do crime foi ciúmes. A mãe garante que a polícia não se empenhou em prender os criminosos. E que ainda teve de ouvir que "na periferia, quem manda é o bandido”.



Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)





Tereza Maria Nogueira Cobra Antônio de Pádua Guerra Ramalho Humberto José Figueiras Barrense Alessandra Mendes Ignez Barbosa de Oliveira Francisco Ferreira Oliveira Neto  Denise Quioca Pedro Pinheiro Fabbri João Vitor dos Santos Rodrigues e Igor Giovanni dos Santos Rodrigues Igor Desani da Silva Laís Matavelli Cadela Preta Vitor Suarez Cunha Isabella Oliveira Nardoni Jhonny Rafael Ferreira de Bahamontes Fernanda Lages Veras Camila Bezerra Míriam Oppenheimer Leão Brandão Sidney Júnior Andrade Souza Rosilene Maria da Silva Luana Rodrigues de Sousa
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS