Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Gabriel Kuhn (Assassinato)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 23/07/2007

Localização: Blumenau (SC)

Data de Nascimento: 21/03/1995 (12 anos)

Data de Falecimento: 23/07/2007

Sexo: Masculino Masculino
 

Gabriel Kuhn, 12 anos, foi assassinado, por seu colega de vídeo game, em Blumenau-SC, no dia 23/07/2007.  

Gabriel Kuhn foi encontrado morto e com as pernas separadas do corpo, por volta do meio-dia, na casa de um vizinho, na cidade de Blumenau, localizada a cerca de 200 km de Florianópolis.

O assassino, um rapaz de 16 anos, que convivia com a família de Gabriel Kuhn e com as outras crianças da rua. O crime teria sido motivado por uma discussão durante um jogo de computador.

O adolescente de 16 anos que esquartejou Gabriel Kuhn, prestou depoimento acompanhado do pai e do advogado da família, teria confessado o crime à delegada Rosi Serafim, responsável pelo caso. Durante uma discussão por causa de um jogo de computador, o adolescente teria estrangulado Gabriel Kuhn. Ao ver o Gabriel Kuhn desacordado, decidiu escondê-lo no sótão que fica a 1,80 metros do chão. Com o auxílio de uma escada, ele teria amarrado o corpo a um fio na tentativa de suspendê-lo.

- “Como tava muito pesado, ele não conseguiu levantar. Foi aí que ele teria cortado as pernas de Gabriel Kuhn para facilitar a remoção. Ele cortou as duas pernas com uma faca e quando chegou na parte óssea, pegou uma serrinha” - relatou a delegada.

Depois de prestar declarações, o adolescente foi conduzido ao IML e em seguida apresentado ao Ministério Público. Após ouvir o adolescente que esquartejou Gabriel Kuhn, a promotora substituta da infância e juventude, Mônica Papst, solicitou a internação provisória do jovem. A Justiça acatou o pedido.

A família de Gabriel Kuhn está inconformada com o crime. Ninguém compreende como o amigo de 16 anos pode ter tido coragem de matá-lo.

Em desabafo o pai de Gabriel Kuhn, Adelar Kuhn, 42 anos, “eles sempre brincavam juntos. Ele (o esquartejador) estava sempre aqui em casa, brincando no computador com os meus filhos. A gente ficou até na dúvida se é ele mesmo”.

O lamento da avó de Gabriel Kuhn afirmava que “ele (o esquartejador) sempre foi um menino bom. Eles só brincavam. Não dá para entender”.

Os vizinhos também se recordam das brincadeiras dos meninos na rua. Dolores Gonçalves, 61 anos, que ficou sabendo do crime pela TV, não acreditou que pudesse ser o rapaz de 16 anos: “ Alguma coisa errada aconteceu. Ele sempre ajudou os pais, era educado, quieto. Só fico pensando na dor das mães dessas crianças”.

A mãe do adolescente que esquartejou Gabriel Kuhn foi levada a Blumenau por familiares, ela estava na casa de amigos e mantinha-se à base de calmantes.

O laudo realizado pela IML de Santa Catarina apontou que o menino Gabriel Kuhn, estaria vivo quando teve as pernas arrancadas com uma serra pelo colega de 16 anos. A vítima também sofreu abuso sexual. A causa da morte foi a hermorragia causada pelo corte das pernas.

O adolescente de 16 anos que esquartejou Gabriel Kuhn vai cumprir pena sócio-educativa pelo período de três anos. A decisão foi tomada em 05/09/2007, pelo juiz Álvaro Pereira de Andrade, da Vara da Infância e Juventude.

Por Sandra Domingues, com informações do O Globo e Terra 

Gabriel Kuhn, 12 anos, foi assassinado, por seu colega de vídeo game, em Blumenau-SC, no dia 23/07/2007.  

Gabriel Kuhn foi encontrado morto e com as pernas separadas do corpo, por volta do meio-dia, na casa de um vizinho, na cidade de Blumenau, localizada a cerca de 200 km de Florianópolis. O assassino, um rapaz de 16 anos, que convivia com a família de Gabriel Kuhn e com as outras crianças da rua. O crime teria sido motivado por uma discussão durante um jogo de computador.

O adolescente de 16 anos que esquartejou Gabriel Kuhn, prestou depoimento acompanhado do pai e do advogado da família, teria confessado o crime à delegada Rosi Serafim, responsável pelo caso. Durante uma discussão por causa de um jogo de computador, o adolescente teria estrangulado Gabriel Kuhn. Ao ver o Gabriel Kuhn desacordado, decidiu escondê-lo no sótão que fica a 1,80 metros do chão. Com o auxílio de uma escada, ele teria amarrado o corpo a um fio na tentativa de suspendê-lo.

- “Como tava muito pesado, ele não conseguiu levantar. Foi aí que ele teria cortado as pernas de Gabriel Kuhn para facilitar a remoção. Ele cortou as duas pernas com uma faca e quando chegou na parte óssea, pegou uma serrinha” - relatou a delegada.

Depois de prestar declarações, o adolescente foi conduzido ao IML e em seguida apresentado ao Ministério Público. Após ouvir o adolescente que esquartejou Gabriel Kuhn, a promotora substituta da infância e juventude, Mônica Papst, solicitou a internação provisória do jovem. A Justiça acatou o pedido.

O laudo realizado pela IML de Santa Catarina apontou que o menino Gabriel Kuhn, estaria vivo quando teve as pernas arrancadas com uma serra pelo colega de 16 anos. A vítima também sofreu abuso sexual. A causa da morte foi a hermorragia causada pelo corte das pernas.

O adolescente de 16 anos que esquartejou Gabriel Kuhn vai cumprir pena sócio-educativa pelo período de três anos. A decisão foi tomada em 05/09/2007, pelo juiz Álvaro Pereira de Andrade, da Vara da Infância e Juventude.

Por Sandra Domingues, com informações do O Globo e Terra 



Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)






Gabriel Kuhn Da Silva em 06/02/2012 00:28
Nossa gente que crueldade, como sera ki o melhor amigo dele pode fazer isso! Obs: Meu Nome Tbm Eh Gabriel Kuhn Mas Sou GAbriel Kuhn Da Silva


Sandra Domingues em 01/11/2011 15:53
Esse foi um dos casos que mais me chocou!!! Não acredito que esse "menor" tenha recuperação...um "menor" que é capaz de fazer uma monstruosidade dessas...é capaz de TUDO! E o pior é que matam com o aval do judiciário que passa a mão em suas cabeças e lhes asseguram todos os direitos e respaldo possíveis. "Pequeno na idade, mas grande o bastante na maldade, na perversidade, na crueldade, na desumanidade!!!!" Se tivermos que morrer nas mãos desses marginais, que ao menos tenhamos a "sorte" de não sermos vítimas de réus primários ou de "pequenos marginais" senão....é IMPUNIDADE na certa!


Marcos em 18/12/2010 13:38
Isso é Brasil, Lei fraca + sem punições adequada + incompetência + maldade = psicopatas para mim um cara que faz isso não e porque esta com ódio ou algo do gênero e sim porque e ruim de natureza esta no sangue do FDP e para piorar sabendo-se que não terá pena pesada ou não será punido aumenta a possibilidade do cidadão se é que posso o chamar assim de cometer tais atos. 3 anos de apreensão porque és menor, por bom comportamento e outros direitos que os Merdas do direitos humanos da pra ele, ele não ficará 1 ano preso. agora pergunto aos putos do direitos humanos O Meleque esquartejou uma criança de 12 anos!!! cadê a !@#$ do direito desse garoto de 12 anos ???? Não tem ? Por quê? Simplesmente porque o cidadão do bem não tem direito algum. “Direitos Humanos” deveria ser chamado de “Direitos dos marginais” ou algo desse tipo, pois eu nunca vi os direitos humanos se meter quando ocorre algo de ruim com um trabalhador ou um policial ou alguém de bem, mais vejo todo o tempo os direitos humanos se meter quando morre vagabundo. Galera vou encerrar o meu comentário por aqui antes que eu fale mais algo que não deva pois esse assunto é revoltante e me deixa muito P@!$


Lucas Coral em 24/11/2010 09:48
Queria saber se o cara que matou Gabriel Kuhn já está em liberdade...

Pedro Lucas Campos Moraes Renato Dobelin Jonathan Felipe dos Santos Marilize Kraemer Picolo Caíque Müller de Oliveira Santana Pablo Gomes Matielli Giovanna Cremon Nelson Lopes Samira Pires Ribeiro Ana Beatriz de Souza Shirlene Suelen Santos Alves Thiago do Nascimento Braz Cláudia Soneghete Donati Gaudêncio Nogueira Vinicius da Paz Almeida Carlos Alberto da Silva Ferreira José Edmilson Costa dos Reis Camila Magalhães Lima Mutzenbecher Natasha Manuelle Correia Pinheiro Rodrigo Vale Fonseca Angelito Barros Correia de Mello
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS