Autor: Carlos Santiago
Gabriela Sou da Paz
Diga não à impunidade
Blog Blog   |   Fale Conosco Fale Conosco   |   Cadastro Cadastro   |   Depoimento Depoimento
 
 
 
Você está em: Inicial > memorial > perfil.php

Ives Yossiaki Ota (Sequestro)



 


Participe Participe cadastrando seu caso de impunidade.

Aviso O Movimento Gabriela Sou da Paz não se responsabiliza pela exatidão e veracidade das informações contribuidas voluntariamente abaixo.


Data do Ocorrido: 30/08/1997

Localização: São Paulo (SP)

Data de Nascimento: 02/06/1989 (8 anos)

Data de Falecimento: 30/08/1997

Sexo: Masculino Masculino
 

Em 29/08/1997, Ives Yossiaki Ota, 8 anos, foi sequestrado por três homens em sua própria casa, na Vila Carrão, Zona Leste de São Paulo, onde brincava, na sala, com seu primo, sob os cuidados da babá.

Porém, já estaria morto na madrugada do dia seguinte ao sequestro com dois tiros no rosto por ter reconhecido um de seus sequestradores. Os sequestradores faziam a segurança nas lojas de seu pai, sendo que dois deles eram Policiais Militares.

O juiz da 17º Vara Criminal de São Paulo, José Luiz de Carvalho, condenou em 02/06/1998 o motoboy e os dois PMs acusados de envolvimento no sequestro e na morte do garoto Ives Ota, 8, no dia 29 de agosto de 1997, a penas entre 43 e 45 anos de prisão. Dia 02/06/1998, Ives completaria 9 anos. 

Segundo a sentença da Justiça, o motoboy Adelino Donizete Esteves, inicialmente identificado como Silvio da Costa Batista, teria tocado a campainha da casa e dito que tinha uma encomenda e flores para entregar.

A moça que cuidava das crianças abriu o portão, e Adelino teria apontado uma arma, anunciando um assalto. O motoboy teria entrado na casa e, como havia mais de uma criança na residência, perguntou quem era o filho de Massataka Ota, comerciante que seria extorquido pelo grupo, mediante o sequestro de Ives.
 
O juiz Carvalho entendeu que o PM Paulo de Tarso Dantas foi o mentor do sequestro. Dantas trabalhava como segurança em uma das lojas do pai de Ives. O motoboy, depois de tirar Ives de casa, teria sido protegido por Dantas. Segundo a sentença, os sequestradores pretendiam extorquir US$ 800 mil da família Ota.
 
Os denunciados teriam decidido matar Ives porque ele teria reconhecido Dantas. Segundo o juiz, o próprio Dantas teria ordenado o motoboy a matar o garoto, para que não pudesse ser reconhecido. O motoboy teria oferecido ao garoto um copo de leite com chocolate contendo calmante. Entorpecido, o menino adormeceu.
 
Depois de colocar o menino na cova, cavada em seu quarto, o motoboy teria feito dois disparos contra o rosto de Ives. O motoboy é o único dos condenados que confessa o crime.
 
De acordo como o juiz, o outro PM, Sérgio Eduardo Pereira de Souza, foi "um seguidor" de Dantas. "Seu apelido, "Mocorongo', ilustra sua personalidade pacata e meio passiva.
 
O "Movimento da paz e justiça Ives Ota", fundado em setembro de 1997, é uma ONG sem sectarismo religioso, cujo objetivo é estender-se a todos os interessados, numa sociedade pacífica, onde cada um se conscientize de que, somente através do perdão, a verdadeira paz se instalará na sua vida.

Em entrevista a Revista Veja, em 05/09/2001, o Sr. Massataka Ota, pai de Ives Ota, afirmou: “Acho que perdoar não é dizer: soltem os assassinos de meu filho. Perdoar é tirar o ódio de dentro de você. É não querer mais o mal da pessoa que fez o mal para você”.

Após o seqüestro e assassinato do garoto Ives Ota, o Sr. Masataka Ota, pai da vítima, começou uma caminhada pelo Brasil, a fim de coletar assinaturas para aprovação da lei pela prisão perpétua agrícola, conseguindo mais de 2 milhões de assinaturas, as quais, em 13/05/1999, foram entregues ao Congresso Nacional. O Movimento teve impacto nacional na conscientização das pessoas em busca pela Paz.

Em dezembro do ano 2000, graças a todos que assinaram as listas para implantar a prisão agrícola, o Tenente Coronel Comandante do presídio militar Romão Gomes, iniciou o trabalho da prisão agrícola. Acreditam que “o homem com a mente desocupada não recupera e em contato com a natureza eles podem encontrar a sua verdadeira luz que é Divina”, pois “(…) se cada um fizer a sua parte podemos contribuir para a diminuição da violência.”

Hoje, a família Ota tem como objetivo filantrópico através do "Movimento Paz e Justiça Ives Ota", contribuir com os menos favorecidos materialmente e espiritualmente e dar apoio às famílias vitimas da violência.
 

Em 29/08/1997, Ives Yossiaki Ota, 8 anos, foi sequestrado por três homens em sua própria casa, na Vila Carrão, Zona Leste de São Paulo, onde brincava, na sala, com seu primo, sob os cuidados da babá.

Porém, já estaria morto na madrugada do dia seguinte ao sequestro com dois tiros no rosto por ter reconhecido um de seus sequestradores. Os sequestradores faziam a segurança nas lojas de seu pai, sendo que dois deles eram Policiais Militares.

O juiz da 17º Vara Criminal de São Paulo, José Luiz de Carvalho, condenou em 02/06/1998 o motoboy e os dois PMs acusados de envolvimento no sequestro e na morte do garoto Ives Ota, 8, no dia 29 de agosto de 1997, a penas entre 43 e 45 anos de prisão. Dia 02/06/1998, Ives completaria 9 anos. 



Não será publicado.




Desejo Receber Informativos (não enviamos SPAM)






Marcelo em 15/08/2014 09:10
Li o livro o mensageiro da paz, chorei é uma história e comovente.


Lú Rachadel em 16/08/2012 03:41
jamais perdoarei o assassino da minha filha ,não tenho esse sangue frio , respeito a atitude dos pais de Ives ,mas não aprovo. minha filha era td na minha vida ,e tinha muitos sonhos a realizar ,era uma pessoa boa nunca fez mal a ninguém ,e um monstro acabou com td....quero q ele morra na cadeia ,pena q não tem prisão perpétua nem pena de morte no Brasil. ele tem q sofrer muito e pagar pelo q fez ,jamais terá o meu ´perdão, lugar de assassino é na cadeia e depois no inferno. ele foi condenado a 21 anos de reclusão ,sem direito a recorrer em liberdade . Se Deus quiser ele não sai de lá vivo. e q Deus meu perdoe pela minha revolta ,eu tenho direito de pedir perdão ,pq nunca atentei contra a vida de ninguém .


Karla em 13/09/2011 13:53
ACHO MUITO BONITA A ATITUDE DO PAI DE IVES. SÃO POUCAS AS PESSOAS Q TEM A CAPACIDADE DE PERDOAR,AINDA MAIS EM UM CASO DESTE


Ester V Gozaga em 17/06/2011 16:47
meu irmao tambem foi morto por donisete ele sequestrou meu irmão para poder ensaiar o sequestro de ives ota lamentavel mas me incommoda muito ainda ja se passaram 13 anos mas não tem como esquecer. mas a justiça foi feita donisete esta morto desde 2001 esta no inferno.morreu deentro da cadeia...................

Jhony Azeredo da Silva Coutinho Danghlie Vieira de Andrade Jamile de Castro Nascimento Rodrigo Junior Mendes Diego da Rosa Hammes Thiago Augusto Silva Baggio Matheus Cavalcanti Ramalho Márcia Cristina Sales Militão Ana Elizabeth de Oliveira Juliana Costa Bruno Fonseca de Almeida Renata Melo do Amaral Gabriela Nunes de Araújo Lilian Maria dos Santos Stephanie dos Santos Teixeira Carlos Eduardo Mendes de Jesus Vitor Gurman Jhonata Oliveira Veruska Prado de Jesus Ana Carolina Salvador Custódio Renata Aparecida Leite
 
Blogger   Youtube   Facebook   Twitter   RSS